Compromissos assinam-se. Quanto a cumpri-los…

Angola tem assumido, segundo a secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Cardoso Januário, o compromisso de garantir o acesso aos mais elementares serviços públicos, nomeadamente a água potável, saneamento, energia eléctrica, saúde, educação e habitação, cumprindo assim as recomendações dos direitos humanos em Angola. Se em vez de assumir o compromisso de garantir… garantisse mesmo, tudo seria diferente. Essa afirmação foi feita pela secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Cardoso Januário, na abertura do debate público sobre as Recomendações do…

Leia mais

Crise? Só para os de sempre, os angolanos de segunda

A ‘ilha’ de Luanda vai receber 49 edifícios de habitação, com até 14 andares, investimento privado de dois mil milhões de euros que envolve uma das três parcelas de terreno, conquistadas ao mar na baía da capital angolana. T rata-se de uma área de 27 hectares, infra-estruturada, desenvolvida e promovida pela Baía de Luanda – sociedade que resulta de uma parceria público-privada -, e que prevê a construção de 58 edifícios, oito dos quais de escritórios, cada um com 10.000 metros quadrados, além de um centro comercial de 40.000 m2.…

Leia mais

Nas promessas não há crise

O Governo angolano criou um fundo público para garantir a execução do programa nacional de construção de habitações, que terá ainda a responsabilidade de reunir o financiamento bancário necessário. A informação consta de um decreto assinado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, de 25 de Agosto, justificando a criação do Fundo de Activos para o Desenvolvimento Habitacional (FADEH) para “impulsionar o sector” e “criar um modelo de gestão mais eficiente e sustentável” para o Estado, em termos económicos e financeiros. Este fundo, define-se no decreto, vai assumir os…

Leia mais