Porrada (ou morte) para
quem ousar dizer “basta”

A Polícia do MPLA disse hoje que o uso da força em manifestações “muitas vezes resulta de desobediência dos cidadãos”, afirmando que a polícia é chamada para “garantir o livre exercício de reunião ou interditar manifestações violentas”. Por Orlando Castro “E m primeiro lugar a polícia é chamada para garantir o livre exercício de reunião e/ou de manifestação, em segundo lugar a polícia pode ser chamada para interditar aquelas manifestações que violem a lei sobre reunião e manifestações”, respondeu hoje à Lusa o director do gabinete de Estudos, Informação e…

Leia mais

Governo tem (muito) medo
que o medo (do Povo) acabe

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje haver demasiados poderes com medo que o medo acabe, considerando a “instrumentalização do medo” para acorrentar os outros como um problema na ordem do dia. Não estava a falar de Angola, obviamente… Mas que os donos do (nosso) país têm medo que o medo acabe, isso têm. “H á quem tenha medo que acabe o medo”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, citando o último livro do escritor Mia Couto, alertando para o que considera ser “a instrumentalização do…

Leia mais

Vergonha procura-se!

Num país de 30 milhões de habitantes e que tem 20 milhões de pobres, é caricato e ultrajante ver a primeira-dama da Reino, Ana Dias Lourenço, defender a necessidade dos cidadãos investirem mais o seu tempo e recursos no aumento dos níveis de literacia financeira. Soubesse a esposa do Presidente da República o que é ser gerado com fome, nascer com fome e morrer com fome e estaria caladinha. Por Orlando Castro (*) Ao discursar na abertura da 2ª Feira do Investidor, promovida pela Comissão de Mercado de Capitais (CMC),…

Leia mais

Porra! Parem estes assassinos!

Morreu mais uma. Paz à sua alma. Mais uma mulher. Uma mãe zungueira. Inocente. Morreu nas mãos de um energúmeno assassino, vestido com as cores do Estado (que Estado, afinal?), postando um colete azul, identificado mais com a morte do que com a pedagogia, mais com ódio do que com o civismo. Por William Tonet O crime pelo qual mereceu tão cruel, covarde e selvática sentença foi o de trabalhar honestamente, rasgando as ruas de uma cidade (sem oportunidades empregantícias públicas e privadas), vendendo hortícolas, para alimentar sete filhos, um…

Leia mais

Zungueiras continuam a ser cidadãs de… terceira

As “zungueiras” de Luanda continuam a ser perseguidas e os seus haveres apreendidos o que está a aumentar a pobreza e má nutrição entre as sua famílias, afirmou José Ambrósio Cassoma, Presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes de Luanda, AVAL. Segundo Cassoma, revela a VoA, agentes da Polícia Nacional e a fiscalização de Luanda, continuam a receber em vários municípios os haveres das mulheres Zungueiras. “Continua e muitas as mulheres por exemplo já abandonaram a venda ambulante e acabam por cair na prostituição, alguns rapazes na criminalidade”, disse José Ambrósio…

Leia mais

Culpados são os taxistas, zungueiras e domésticas

O Governo angolano quer (é, pelo menos, o que diz) retirar, entre outros grupos-alvo, taxistas, empregadas domésticas e vendedores de rua, do mercado informal, que absorve cerca de nove milhões de pessoas, um terço da população de Angola. Não o faz por uma questão de equidade social mas, apenas e só, porque quer arrecadar dinheiro dos impostos que, desta forma, não consegue fazer. Segundo o secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social de Angola, Manuel Moreira, a título de exemplo, só o sector de táxis, ainda informal, representa anualmente…

Leia mais

Que país é este?

Os polícias angolanos que assistiram, sem impedir, ao linchamento popular de dois assaltantes, sábado em Luanda, actuaram com os padrões de segurança adequados para salvaguardar a sua própria “integridade física”, segundo Mateus Rodrigues, porta-voz da Polícia Nacional. Mas, afinal, que país é este? Poderemos, com rigor e propriedade, dizer que Angola é um país, é um Estado de Direito? Não, não podemos! Por Orlando Castro Que país é este que mobiliza, para além da Polícia, a Força Aérea e a Marinha de Guerra para muscular a “Operação Transparência” e não…

Leia mais

Caridadezinha saprófita

As notícias dizem que Norberto Garcia foi inocentado das acusações que caíram sobre ele, como um raio, que não o partiu, de corrupção. Já não é novidade ouvir falar nestes resultados obtidos nos tribunais do MPLA quando julgam “digerentes” do MPLA. Não queremos com isto dizer que a decisão não tenha sido justa, nem o contrário. Todavia, sabemos que as decisões dos tribunais do MPLA são muito dúbias e a justiça do MPLA é demasiado cega, quando não quer ver. Por Domingos Kambunji A tragicomédia não reside no facto de…

Leia mais

Agora o Ângelo é anjo?

Um poeta brasileiro diz-nos que “o nada sobre o nada é nada”. Um poeta português diz-nos: “ou tudo ou nada, o meio termo é que não pode ser”. Um poeta angolano diz-nos: “porrada se refilares”. Por Domingos Kambunji Esta nossa introdução vem na sequência da observação que efectuámos, muito pacientemente, da actuação do coro de dinossauros matumbos dos órgãos oficiais da comunicação social da Re(i)pública da Angola do MPLA. A TPA do MPLA deu voz a um comunicado do Departamento de Informação e Propaganda (DIP) do Bureau Político do MPLA,…

Leia mais

MPLA quer que jornalistas passem a ser… zungueiras!

O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa comemora-se, isto é como quem diz, a 3 de Maio. Em Angola não há Dia Mundial que nos valha. E não há porque aos jornalistas (pensamos, queremos ainda pensar, que são eles que fazem a informação) restam duas opções: serem domados pelos que continuam a julgar-se donos disto tudo (o MPLA) e, dessa forma, manter o emprego, ou o inverso. Por Orlando Castro É claro que, no próximo Dia Mundial da Liberdade de Imprensa (repugna-nos comemorar uma coisa que não existe), veremos toda…

Leia mais