Angola vai? Vai. Onde? Isso interessa?

A empresa norte-americana Sun Africa, especializada em energia, vai lançar na quinta-feira a construção de um megaprojecto fotovoltaico e de baterias em Angola, que produzirá 370 megawatts (MWp) em sete centrais. O início do megaprojecto, orçamentado em 524 milhões de euros e que a empresa prevê que esteja terminado no terceiro trimestre de 2022, será marcado com o lançamento da pedra fundamental em Biópio, na província de Benguela (a tão desejada Califórnia do MPLA), que acolherá o maior dos projectos. A central de produção de Biópio terá uma capacidade de…

Leia mais

Se há rios pode haver barragens. Quem diria?

A província de Namibe, em Angola, vai ter (isto é…) seis novas barragens, num investimento estimado de 800 milhões de dólares, de acordo com um projecto apresentado pelo Instituto Nacional de Recursos Hídricos (INRH). De acordo com o órgão oficial do MPLA, Jornal de Angola, o projecto, apresentado na cidade de Moçâmedes, capital da província, prevê a construção de seis barragens nos principais rios do Namibe, com o objectivo de atenuar os efeitos da seca naquela região angolana. Num investimento estimado de 800 milhões de dólares (cerca de 735 milhões…

Leia mais

A desfaçatez ou o encanto
da tal escuridão… potável

João Baptista Borges, o ministro da Energia e Águas angolano, que é titular desta pasta apenas há oito… anos (desde 2011), disse hoje, em Luanda, que é preciso aumentar a taxa de acesso à electricidade, num país onde só menos de metade dos cerca de 30 milhões de habitantes tem acesso a luz. Não é uma questão de desfaçatez. É uma questão de criminosa incompetência. João Baptista Borges discursava na abertura da palestra sobre o Financiamento dos Projectos de Energia Renováveis e o Ambiente Regulatório Óptimo para o Sector da…

Leia mais

Ministro há 8 anos apenas agora viu as boas práticas

As empresas afectas ao Ministério da Energia e Águas (Minea) devem adoptar as boas práticas de gestão, com vista a permitir maior sustentabilidade empresarial, defendeu nesta quinta-feira, em Luanda, o titular da pasta desde… 2011, João Baptista Borges. Se devem adoptar é porque as não têm actualmente. E quem é o culpado? Será que continua a ser Jonas Savimbi ou, mais remotamente, os colonialistas portugueses? Ao falar na abertura do 1º congresso angolano de “corporate governance” (sistema de regras e condutas relativo ao exercício da direcção e controlo das empresas)…

Leia mais

Aumentos em cadeia sem cadeia para os… ladrões

O bispo católico de Cabinda, Belmiro Tchissengueti, considerou hoje, que as novas tarifas de electricidade, em vigor a partir desta segunda-feira, vão “inflacionar os preços de vários serviços”, receando uma “revolta social” devido aos “impostos sufocantes”. Segundo Belmiro Tchissengueti, a medida do Governo angolano, em vigor a partir de hoje, “contrasta com a actual redução ou estagnação da qualidade de vida dos cidadãos”, porque os cidadãos “vão pagar mais” pela energia que consomem. “De forma que vão ter o combustível a subir, também pelo que se tem ouvido, aliás já…

Leia mais

Mega aumento da energia invade o país já no dia 15

O Governo angolano adiou para 15 de Julho a entrada em vigor do aumento (como exige o Fundo Monetário Internacional) do tarifário da energia, que sofre um reajuste até 97%, deixando o Estado de a subvencionar, informou o Ministério das Finanças. Na electricidade, “categoria doméstica monofásica”, onde se encontram integrados a maioria dos consumidores, o aumento será de 66%. Um comunicado de imprensa do Ministério das Finanças refere que a implementação do Novo Regime Tarifário da Energia Eléctrica deveria vigorar desde o passado dia 24 de Junho, mas “por razões…

Leia mais

A falta de água mostra o mau estado deste Estado

Luanda está a enfrentar desde domingo restrições ao abastecimento de água devido a “questões técnicas” e com a “reduzida capacidade de produção”, explicou hoje a empresa pública. Se a isso se juntar os problemas com o fornecimento de energias ficamos a saber o (mau) estado em que o Estado está. Segundo o porta-voz da Empresa Pública de Água de Luanda (EPAL), Waldemir Bernardo, a empresa produz em média 500 mil metros cúbicos de água por dia, enquanto a necessidade de abastecimento de Luanda está acima de um milhão, para uma…

Leia mais

Energia nuclear é vital na guerra à fome e à pobreza

Angola não possui nenhuma central nuclear nem extrai minérios radioactivos, apesar de ter no seu território mais de mil fontes e vários equipamentos emissores de radiação ionizante, garantiu hoje o secretário de Estado da Energia angolano, António Belsa da Costa. António Belsa da Costa falava na abertura do seminário nacional sobre a Convenção Internacional para a Supressão de Actos de Terrorismo Nuclear, a Convenção sobre a Protecção Física de Material Nuclear e a sua Alteração de 2005, que Luanda acolhe com a participação do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas…

Leia mais

África aposta em Angola

As empresas angolanas presentes na 1ª Feira Comercial Intra-Africana (IATF/2018), que decorreu no Cairo, mobilizaram 650 milhões de dólares (565 milhões de euros) para projectos em Angola, disponibilizados através do Afreximbank e destinam-se à Aenergy, ANIMA e FMEA. O montante, segundo a agência noticiosa angolana, Angop, será disponibilizado pelo Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank) à empresa de energias renováveis Aenergy, à Associação Nacional dos Industriais e Madeireiros de Angola (ANIMA) e à Federação de Mulheres Empreendedoras de Angola (FMEA). A Aenergy contará com 400 milhões de dólares (348…

Leia mais

Nova central eléctrica
na Califórnia de Angola

O Governo angolano seleccionou um consórcio formado por quatro das maiores empresas sul-coreanas do sector energético para apoiar o processo de construção de uma nova central eléctrica de ciclo combinado a gás, a executar na província de Benguela. Recorde-se que na pré-campanha eleitoral, em Benguela, João Lourenço afirmou que o governador provincial, Rui Falcão, era obrigado a ‘’transformar a região numa Califórnia em Angola’’, capaz de mexer com a economia e gerar empregos. Isto porque João Lourenço considera que o agro-negócio, a pesca, a indústria e o turismo podem elevar…

Leia mais