Num país sério, regabofe da PGR era punido como crime

Um provérbio popular diz “que é quando a casa do vizinho está a incendiar que devemos colocar a barba de molho”. A justiça angolana está mal, aliás, nasceu mal, cresce mal e com o actual regime, morrerá mal, pois na actuação pirotécnica, lesa milhões de cidadãos, muitas vezes na lógica do espectáculo discriminador de um poder, cuja espinha dorsal assenta no fascismo ideológico. Por William Tonet E quando assim ocorre, mesmo na desproporção e desvantagem de armas, os homens de bem devem lutar para o desabrochar de uma verdadeira justiça…

Leia mais

Açúcar “made in” Angola

A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), que junta em Malanje os brasileiros da Odebrecht e a Sonangol, prevê colocar este ano no mercado 100.000 toneladas de açúcar, valor recorde, mas que garante menos de 40% das necessidades nacionais. Os números foram avançados pela administração da Biocom, a única do género em Angola, no arranque da colheita de 2018 nos 24.000 hectares de cana-de-açúcar, que deverá ser a maior em quatro anos. “Nós ultrapassámos a expectativa. Tínhamos um plano para produzir cerca de 96.000 toneladas, mas devido ao esforço e…

Leia mais

Estado financia Estado a bem do regime

Estado financia Estado a bem do regime - Folha 8

Em Angola, o Governo autorizou um empréstimo de 300 milhões de dólares à Biocom, uma empresa privada detida em 40% por figuras ligadas ao Presidente. J osé Eduardo dos Santos terá emitido uma garantia soberana por considerar o projecto “estratégico”. A emissão da garantia, em termos práticos, significa que se o projecto falhar o Estado assume os 70% da dívida perante os bancos comerciais que cedem o dinheiro. “Tratando-se de iniciativas e empreendimentos privados, não tem de haver esta garantia de 300 milhões de dólares. Creio que esta empresa já…

Leia mais

Investimento de bioenergia com garantia soberana

Investimento de bioenergia com garantia soberana

O Executivo angolano aprovou a emissão de uma garantia soberana do Estado para financiamento de parte de um investimento de 235 milhões de euros, a realizar pela sociedade brasileira Biocom – Bioenergia de Angola. Aautorização consta de um despacho presidencial de 20 de Outubro, sendo a decisão justificada com a criação do polo agro-industrial de Capanda (Malanje) e a atracção de empreendimentos “de grande porte” para aquela região, visando o desenvolvimento do sector agro-pecuário. Instalado no município de Cacuso, a 75 quilómetros da cidade de Malanje, o Biocom é um…

Leia mais