Angola vai? Vai. Onde? Isso interessa?

A empresa norte-americana Sun Africa, especializada em energia, vai lançar na quinta-feira a construção de um megaprojecto fotovoltaico e de baterias em Angola, que produzirá 370 megawatts (MWp) em sete centrais. O início do megaprojecto, orçamentado em 524 milhões de euros e que a empresa prevê que esteja terminado no terceiro trimestre de 2022, será marcado com o lançamento da pedra fundamental em Biópio, na província de Benguela (a tão desejada Califórnia do MPLA), que acolherá o maior dos projectos. A central de produção de Biópio terá uma capacidade de…

Leia mais

O encanto da escuridão… potável

Em comunicado, o Grupo Parlamentar da UNITA diz que “tomou conhecimento das recentes denúncias da TVI de Portugal, sobre o alegado envolvimento do Ministro Angolano da Energia e Águas em operações de branqueamento de capitais e tráfico de influência”. “Tais revelações vêm acrescer a lista de outras, várias vezes denunciadas por círculos internos e externos sobre o saque ao erário desencadeado pelos governantes angolanos nos últimos 45 anos de Angola Independente”, lê-se no comunicado. Assim, “o Grupo Parlamentar da UNITA apela aos órgãos de justiça em Angola para que se…

Leia mais

Alâmpadas fundidas na escuridão do Governo

O custo de vida custa à vida cada vez mais Veja-se a cesta básica e os serviços essenciais. Os donos do reino, baseados na suprema sabedoria do Presidente do MPLA (João Lourenço), do Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e também do Presidente da República (João Lourenço), garantem que é tudo para benefício do Povo. A crise (económica, financeira, cambial, moral etc.) levou o Governo a cortar para metade os quase 20.000 milhões de euros que previa investir no sector da energia e águas entre 2014 e 2017. Isso não…

Leia mais

Internet… potável!

O ministro das Telecomunicações Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, defendeu, em Luanda, a promoção do acesso à Internet em todos os estratos sociais e em todo o país. Embora dê jeito haver electricidade, crê-se que o Governo a vá tornar “potável” através de ligação a candeeiros a petróleo ou a velas de cera… Por todos os cantos e esquinas do país multiplicaram-se as manifestações de júbilo e elogios à tese de Manuel Homem. A população dos Gambos, por exemplo, e daquelas localidades do Cuando Cubango, onde, só…

Leia mais

O farelo, os cães e o MPLA

As medidas de higienização são prioritárias no combate à Covid-19, mas em Angola (país que desde há 45 anos é governado ininterruptamente pelo mesmo partido, o MPLA) só três em cada 10 cidadãos têm água canalizada na residência, enquanto metade não tem acesso a ligação eléctrica da rede pública, segundo revelou o Afrobarómetro. Realizado pela Afrobarómetro, uma rede de pesquisa pan-africana e não partidária que fornece dados quantitativos sobre a vivência e avaliação dos africanos da democracia, da governação e da qualidade de vida, o inquérito indicou que as dificuldades…

Leia mais

Se não há água, a Covid-19 agradece o apoio do MPLA

A presidente da parceria da ONU “Água e Saneamento para Todos”, Catarina de Albuquerque, considera que a Covid-19 só será estancada quando todos tiverem acesso a água para lavar as mãos, “um luxo” para 40% da população mundial, um superluxo para 80% dos angolanos. Em declarações à agência Lusa, a jurista portuguesa sublinhou a importância das medidas preventivas contra a infecção pelo novo coronavírus, mas recordou que nem todos têm acesso ao mais essencial dos bens: a água. Refira-se que em Angola (antes da entrada em vigor do estado de…

Leia mais

Governo promete meter
ainda (muito) mais… água

O Governo angolano (diz que) vai investir 500 milhões de euros na construção de novos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável nas sedes das províncias de Luanda, Benguela, Malanje, Moxico, Cuanza Norte, Uíge e Huíla, a partir do segundo semestre de 2020, altura em que arrancam as obras. A construção das infra-estruturas conta com o financiamento da Espanha, Japão, Alemanha e Índia e visa dar resposta às necessidades de melhoria da qualidade e quantidade de água destinada a mais de sete 7.500.000 consumidores, bem como atingir uma…

Leia mais

(In)competentes há 44 anos

Cerca de três em cada cinco angolanos têm acesso a uma fonte segura de água, mas as metas do Governo de atingir 76% da população, em 2022, “não serão alcançadas”, refere um estudo de um instituto sul-africano. É uma chatice. Quarenta e quatro anos de governação, 17 de paz total, não foram suficientes para resolver os problemas do Povo. Serão, talvez, precisos mais 56 anos. Denominado “Relatório – O Caminho Actual: Angola Rumo ao ano 2050”, o estudo, que integra variáveis geográficas, económicas, energia, infra-estruturas, saúde, entre outras, baseadas no…

Leia mais

A desfaçatez ou o encanto
da tal escuridão… potável

João Baptista Borges, o ministro da Energia e Águas angolano, que é titular desta pasta apenas há oito… anos (desde 2011), disse hoje, em Luanda, que é preciso aumentar a taxa de acesso à electricidade, num país onde só menos de metade dos cerca de 30 milhões de habitantes tem acesso a luz. Não é uma questão de desfaçatez. É uma questão de criminosa incompetência. João Baptista Borges discursava na abertura da palestra sobre o Financiamento dos Projectos de Energia Renováveis e o Ambiente Regulatório Óptimo para o Sector da…

Leia mais

Ser pobre tem mais encanto à luz de um candeeiro (apagado)

A subida do preço da electricidade em Angola está a revoltar os cidadãos, que se queixam do aumento do custo de vida, sobretudo na cesta básica e serviços essenciais. Os donos do reino, baseados na suprema sabedoria do Presidente do MPLA (João Lourenço), do Titular do Poder Executivo (João Lourenço) e também do Presidente da República (João Lourenço), garantem que é tudo para benefício do Povo. Muitos angolanos, entrevistados pela Lusa junto das agências de pagamento da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) consideram que a medida do Governo…

Leia mais