RAIOS PARTAM ESTE MPLA…

Segundo a tese (brilhante, como todas as que têm origem no MPLA) do Governo, o combate à seca no Sul de Angola fica reforçado com o novo sistema de recolha e transmissão de dados via satélite sobre os recursos hídricos e sobre a localização dos assentamentos populacionais mais vulneráveis do país agora apresentado. Em Novembro de 2019, o Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional já tinha anunciado a mesma coisa… método, designado por “Sistema de Apoio às Políticas de Combate à Seca no Sul de Angola”, funciona com três…

Leia mais

QUANDO CHOVE… CAI ÁGUA!

O governo da província angolana do Cunene considerou hoje “incomuns” as cheias que se registam na região, admitindo um aumento das chuvas e “situações piores” nos próximos dois meses, mas assinalou que o fenómeno também traz “benefícios” às populações rurais. egundo o vice-governador da província, Apolo Ndinoulenga, “realmente a província está a ser beneficiada com chuvas abundantes e na montante no norte e leste da província, aí está a chover muito e fez com que a água das cheias partisse do município do Cuvelai e transbordasse do norte para o…

Leia mais

SECA MATA O POVO E ENGORDA O MPLA

As perdas económicas directas na agricultura angolana devido à seca podem aumentar dos actuais 100 para mais de 700 milhões de dólares até 2100, alerta o Relatório Sobre Clima e Desenvolvimento do País – CCDR, hoje lançado em Luanda. Se a isso, como faz o MPLA, se juntar as perdas provocados pela UNITA, pelos arruaceiros e pelo colonialismo português (embora o reino seja independente há 47 anos) a desgraça é total… egundo o documento, “espera-se que a falta de disponibilidade de água e o aumento das ocorrências extremas coloquem desafios…

Leia mais

A CULPA É (OBVIAMENTE) DOS PORTUGUESES

Angola (é claro!) e Guiné-Bissau estão entre os países do mundo em maior risco de choques ecológicos, segundo o Relatório de Ameaças Ecológicas, divulgado pelo Instituto de Economia e Paz que analisa 228 países e territórios, estando Angola na 10.ª posição e a Guiné-Bissau na 16.ª. O cenário é de escassez alimentar, rápido crescimento populacional e escassez de água. O instituto, sediado na Austrália, sublinha que Angola será um dos países do mundo onde o risco de escassez de água sobe mais até 2040 e cuja população deverá crescer 132%…

Leia mais

SECA ALIMENTA ORGIA DO GOVERNO

O Presidente (não eleito) angolano, João Lourenço, aprovou dois acordos de financiamento para a cobertura do projecto de abastecimento de água para o combate à seca severa e às alterações climáticas orçados em 420 milhões de euros. Segundo o despacho presidencial 236/22 de 5 de Outubro, os dois acordos de financiamento visam a cobertura financeira do Projecto de Resiliência Climática e Segurança Hídrica de Angola (Reclima) a celebrar com instituições multilaterais. Com o Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) o acordo é novo e terá “valor global de…

Leia mais

1,6 MILHÕES PASSAM FOME… RELATIVA (É CLARO!)

Quase 1,6 milhões de pessoas no sul de Angola sofreram insegurança alimentar grave (eufemismo que significa fome) em 2021 devido à seca, a pior em 40 anos, revela hoje um relatório que prevê em 2022 o terceiro ano consecutivo de colheitas reduzidas. De acordo com o relatório, publicado anualmente pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Programa Alimentar Mundial (PAM) e a União Europeia, no ano passado, 193 milhões de pessoas em 53 países estavam em situação de insegurança alimentar aguda, ou seja, precisavam…

Leia mais

ALIVIAR A SEDE E A FOME

No Sul de Angola, região assolada por secas cíclicas e cada vez mais severas e, igualmente, vítima da incompetência governativa, milhares de pessoas enfrentam graves situações de desnutrição que as escolas de campo (ECA) tentam aliviar, introduzindo melhorias na produção agrícola. A ECA Twepwila, fundada em 2021 e apoiada pelo programa Fortalecimento da Resiliência e Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN), é uma delas. Ali trabalham 25 mulheres da aldeia de Tchiango e aprendem como mitigar a fome, recorrendo a técnicas agrícolas pouco sofisticadas e de fácil aplicação que…

Leia mais

NO CUNENE, 40% DAS CRIANÇAS DESISTEM DA ESCOLA

Enquanto o Presidente, João Lourenço, conta anedotas na Escócia e o vice-Presidente, Bornito de Sousa, se entretém a processar judicialmente quem fala dos custos do vestido de noiva da sua filha, 40% de crianças desistiram da escola, na província do Cunene, devido à seca e à fome que assolam a região… Segundo fonte oficial, a situação leva, continua a levar, à “dispersão populacional que busca pela subsistência”. Segundo o coordenador da Zona de Influência Pedagógica (ZIP) da província do Cunene, sul de Angola, Pelágio Ndafenongo Silikuvamwe, o calor, a seca…

Leia mais

Melhor governo há 46 anos é o do MPLA…

Mais de 1,3 milhões de pessoas (mesmo que consideradas pelo MPLA como de segunda, ou terceira, categoria) no sudoeste de Angola sofrem de “fome extrema” devido à pior seca dos últimos 40 anos, que deixou campos áridos, pastagens secas e reservas alimentares esgotadas, advertiu hoje o Programa Alimentar Mundial (PAM). Por Orlando Castro (*) Pena é que este organismo da ONU não se preocupe em saber a razão pelo qual o governo (o mesmo há 46 anos) nada faz profilacticamente e se limite a constatar o óbvio, razão pela qual…

Leia mais

Operação… “task force” (da seca)

O Governo angolano criou, alinhando na moda internacional, uma “task force” para acompanhar a distribuição de ajuda para as vítimas da seca no sul de Angola, tendo sido enviadas 5.176 toneladas de bens desde 2019, das quais 840 este ano, foi hoje anunciado. Enviadas terão sido, se chegaram aos destinatários é outra questão. O anúncio foi feito pela ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, coordenadora de (mais) uma comissão de acompanhamento e resposta à seca no sul de Angola, e pelo ministro de Estado e chefe da…

Leia mais