Doidos à solta na ONU

Ao que parece, e acerca dos retornados que fugiram em debandada há cerca de 50 anos e que não tiveram hipótese de solicitar nacionalidade angolana, por motivos vários, terão agora a possibilidade de o fazer facilmente no consulado de Lisboa. Nada mais justo. Portugal está a fazer o mesmo aos judeus sefarditas expulsos há cerca 500 anos quando a Santa Inquisição se acercou pulando figurativamente a cerca que separava uma dada ideologia portuguesa da de Castela e onde o dedo católico e papal foi um dado adquirido. Por Brandão de…

Leia mais

JLo plagia teses de Zédu

O Governo angolano reconhece (por manifesto oportunismo e na vã tentativa de tapar o Sol com uma peneira) a vulnerabilidade do país às alterações climáticas e refere que constante variação climatérica com “recorrentes secas, inundações e aumento da temperatura” constitui uma “ameaça séria à estabilidade social, económica e ambiental” do país. É uma estratégia de justificação e vitimização de quem, afinal, está no Poder há 44 anos e nada fez em matéria de profilaxia destes conhecidos e recorrentes problemas, navegando sempre à vista e só se preocupando com o próprio…

Leia mais

O clima(ctério) do MPLA

O ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, disse hoje que é necessário realizar mais estudos sobre o clima para permitir aos decisores tomar as medidas certas na altura certa. Pois é. Nesse âmbito insere-se também o lançamento de satélites de teledetecção remota no âmbito do programa de Estratégia Espacial até 2025 que teve como paradigma o lançamento do satélite “marimbondo” AngoSat-1. O ministro “telstariano”, que falava na abertura do 23.º Fórum Regional de Previsão Climática para a África Austral, que se realizou pela primeira…

Leia mais

Planeta Terra, uma aldeia global

Portugal, Líbia, Síria, Venezuela, Angola, USA, China, Rússia, Estado Islâmico, Irão, Arábia Saudita, Império Britânico, Moçambique, Japão, Brasil, para que não restem dúvidas que o mundo de facto é uma verdadeira aldeia global, onde todos os países estão irremediavelmente interligados desde que os portugueses desabrocharam e debutaram as expedições marítimas, para mares nunca antes, alegadamente, navegados e se dedicaram ao comércio e evangelização, que mais não é do que um belo eufemismo para descrever lavagens cerebrais compulsivas e destruição de cultura e tradições seculares (não resisti ao trocadilho no sentido…

Leia mais

Fome? Culpa foi de Savimbi
mas hoje é e será de Isabel

Angola figura entre os nove países do mundo que apresentam um alto risco de fome e discriminação por parte das instituições (marginalização de certos grupos sociais) em contexto de instabilidade causada pelo clima, revela um estudo da publicação académica Foreign Affairs, hoje divulgado. É preciso ter pouca sorte. O estudo da revista científica norte-americana, que avaliou as crises humanitárias e outros factores de ameaça provocados em consequência das mudanças climáticas, revela que Angola, conjuntamente com República Democrática do Congo, Uganda, Sudão do Sul e Sudão, países africanos, e Iémen, Paquistão,…

Leia mais

Aquecimento é sentença de morte para os africanos

Hoje, o Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas (IPCC) divulgou em Nairobi, Quénia, um relatório detalhando o progresso e os caminhos para limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius. O aumento das temperaturas forçará milhões de pessoas em África à pobreza e à fome, a menos que os governos tomem medidas rápidas. Sobre o relatório, Apollos Nwafor, Director Pan-Africano de Oxfam Internacional disse: “As mudanças climáticas incendiaram o nosso planeta, milhões de pessoas já estão a sofrer os impactos e o IPCC mostrou que as coisas podem piorar muito…

Leia mais

Moody’s dá uma no cravo
e, pois, duas na ferradura

A agência de notação financeira Moody’s retirou Angola da lista de países cuja qualidade do crédito é mais vulnerável aos factores climatéricos, essencialmente devido à saída das pessoas da pobreza extrema e das zonas rurais. Como? “O crédito soberano de Angola permanece vulnerável devido ao impacto projectado das mudanças climatéricas nos rendimentos das colheitas de arroz, trigo e milho, nas cheias e também devido à evidência histórica de um número relativamente elevado de desastres naturais”, escrevem os analistas da Moody’s. O relatório da Moody’s é uma actualização da análise sobre…

Leia mais

Agora (pois claro!) são os riscos climáticos

O Governo de Angola vai necessitar, em 2016, de cerca de 12 mil milhões de dólares para combater os riscos climáticos, que ameaçam 31,8% do país, anunciou o Ministério do Ambiente. U ma nota de imprensa daquele Ministério, citada hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, refere que os desafios para o próximo ano resultam da adopção do novo Acordo Global, assinado este mês em Paris, França, que obriga a novas estratégias para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e o impacto das alterações climáticas. O documento sublinha que…

Leia mais

Um novo acordo climático na COP21

Ao meio ambiente, seja nos casos de acção ou omissão atribuíveis a um indivíduo ou a um Estado, imputa-se a necessidade de equilíbrio. O espaço natural não constitui preocupação da ecologia exclusivamente, mas também da nossa sociedade enquanto espécie dominante. Por Gabriel Bocorny Guidotti Jornalista e escritor – Porto Alegre, Brasil P ensando nisso, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas 21 (COP21) começou no último domingo (29) na busca um novo acordo global. O evento reúne 195 delegações, mais a União Europeia, e vai prolongar-se até 11 de…

Leia mais

Metas contra a pobreza

Enquanto poucos dispõem de muito, muitos dispõem de pouco. Essa é uma das mazelas da sociedade humana, que super-estima o supérfluo. Todos os dias, milhões de pessoas travam batalhas pela sobrevivência, enfrentando inúmeras intempéries. Por Gabriel Bocorny Guidotti (*) A pobreza é um problema global que vitima inocentes. Um mundo melhor caminha na esteira de garantir, a todos, condições dignas de vida. Ainda estamos muito distantes dessa realidade, mas, paulatinamente, é possível chegar lá. A Organização das Nações Unidas (ONU) não ficou parada perante o contexto degradante da pobreza. Semanas…

Leia mais