“Donald Trump foi um desastre”

Os quatro anos de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos da América foram “um desastre” para os Direitos Humanos, considera a organização Human Rights Watch (HRW), manifestando esperança numa mudança de paradigma com o Presidente eleito Joe Biden. No seu relatório anual, no capítulo intitulado “O Desafio de Biden: Resgatar o Papel dos Estados Unidos para os Direitos Humanos” e quase sempre em torno do papel norte-americano, a HRW sublinha que Trump foi um Presidente “frequentemente hostil e indiferente” em relação aos Direitos Humanos, quer interna quer externamente. Razão…

Leia mais

Milhões com pouco,
poucos com milhões

O gestor António Costa e Silva, o angolano (nasceu em Nova Sintra – Catabola, Bié) que o primeiro-ministro português (António Costa) chamou para desenhar a estratégia económica de Portugal para a década, afirma que Angola caiu numa “armadilha” e, dos biliões das receitas petrolíferas “nada ficou para os angolanos”, 45 anos depois da independência. E quem governou nestes 45 anos? Apenas e só o MPLA. Para António Costa e Silva, a centralização do poder, a que a guerra obrigou, combinada com “um boom de receitas do petróleo” logo a seguir…

Leia mais

Paraíso convidado a integrar o Conselho Económico e Social

No dia em que o Presidente angolano (não nominalmente eleito), João Lourenço, completa três anos de mandato, duas manifestações tomaram algumas artérias de Luanda em protesto contra a alta taxa de desemprego no país e a burla (mais uma) Build Angola em que alegam estarem envolvidos gestores públicos angolanos (coisa estanha, não é?) e valores superiores a 200 milhões de dólares. No dia 25 Maio de 2017, o então cabeça-de-lista do MPLA (partido que “só” desgoverna Angola desde 1975) às eleições gerais de 23 de Agosto, João Lourenço, prometeu uma…

Leia mais

Degradação económica e social sem precedentes

Há três anos, no dia 26 de Setembro de 2017, João Manuel Gonçalves Lourenço tomava posse como chefe de Estado, com o propósito de “corrigir o que estava mal no país”. Mas a degradação da economia e da situação social em três anos atingiu recordes sem precedentes. A corrupção, a repressão e a fragilidade das superestruturas político-jurídicas e económicas herdadas do seu predecessor colocam-se como desafios cruciais. Por José Marcos Mavungo (*) Todos sabemos o famoso slogan do actual Presidente da República de Angola na campanha eleitoral de Agosto 2017:…

Leia mais

Peçam mais fiado, diz o FMI

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou hoje que os riscos económicos em Angola “aumentaram de forma dramática”, mas considerou que o empenho das autoridades deverá garantir que o programa de ajustamento continue no rumo certo. “O s riscos subiram dramaticamente, mas a resposta política forte das autoridades e a perseverança na implementação das reformas vai ajudar o programa a manter o rumo”, lê-se na terceira avaliação detalhada ao programa de ajustamento financeiro de Angola. “A determinação do Governo em atacar a crise de frente a o apoio financeiro internacional significativo,…

Leia mais

É isso aí!

O MPLA, qual virgem (de esquina de estrada) ofendida, mudou de líder mas continua igual, ou até pior porque agora nos quer convencer que os jacarés são vegetarianos. João Lourenço continua a preferir ser assassinado pelo elogio do que salvo pela crítica. Continua a valorizar a bajulação dos que, como ele, antes bajulavam José Eduardo dos Santos. Por Orlando Castro João Lourenço pode, contudo, estar descansado. Não será o Folha 8 a “assassiná-lo”. Para inglês ver, o Presidente recebe e condecora gente que, supostamente, lhe era hostil, gente que se…

Leia mais

Nem os animais escapam

O número de mamíferos selvagens na principal reserva natural de Angola, na Quiçama, registou um declínio de 77 por cento durante os 27 anos da guerra civil, revela um estudo publicado hoje na revista Nature Scientific Reports. Tendo como caso de estudo a principal área protegida de Angola, o Parque Nacional e a Reserva de Caça da Quiçama, a investigação analisa, de forma abrangente, o impacto das guerras civis na vida selvagem em países afectados por conflitos em África. Os investigadores da Universidade de East Anglia (Reino Unido), Universidade Federal…

Leia mais

Kwanza? Ainda existe?

O kwanza desvalorizou quase 250% desde 2017, uma estratégia necessária para defender as reservas líquidas internacionais, mas não suficiente, porque o país ainda precisa de dinamizar o sector produtivo de Angola, defende o economista Fernandes Wanda. Vamos, portanto, de desvalorização em desvalorização até ao… óbito. O investigador da School of Oriental and African Studies University of London salientou que existe uma interligação entre a desvalorização do kwanza, a política cambial, a inflação e a política monetária, “um problema que não é de hoje”, embora se tenha acentuado. Fernandes Wanda notou…

Leia mais

O Estado Velho

Pelo 25 de Abril diversos comentários foram logicamente aparecendo nos jornais portugueses e angolanos, relativos à efeméride. Muito é mais do mesmo, e acabamos por olhar para os vários textos com alguma indiferença, que o passar dos anos vai acentuando, esquecendo-nos do que esteve por detrás de tal evento histórico. Por Carlos Pinho (*) Dos textos que li este ano, o que verdadeiramente me marcou foi aquele escrito pelo historiador português Rui Tavares, no jornal Público de 27 de Abril de 2020, intitulado “Portugal, utopia real”. Neste texto, o que…

Leia mais

O fraco rei faz fraca
a nossa forte gente!

O aumento da despesa pública em infra-estruturas sanitárias traria benefício para a saúde da população angolana e ganhos económicos, gerando mais 530 mil milhões de euros em 2050, segundo um estudo divulgado pelo Instituto Sul Africano de Estudos de Segurança. Tal como se tivesse sido implantado o primado da competência e não o da subserviência, Angola seria um paradigma em África. O relatório “Futuros angolanos 2050 — Para lá do petróleo”. do Instituto Sul Africano de Estudos de Segurança (ISS, na sigla inglesa), publicado em Março, conclui que o investimento…

Leia mais