A CULTURA CONTINUA A TER DONO?

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente angolano, Filipe Zau, disse hoje que a diversificação da economia no sector do turismo vai ter preocupações ambientais, destacando medidas como a transformação do plástico em combustível ou a dessalinização da água do mar. As autoridades angolanas estão a tentar transformar o plástico, que é deitado no mar e cria “um problema enorme à biodiversidade, em combustível, como forma de tentar lançar o fomento do turismo, tornando os preços mais baratos, porque se gasta muito com combustível”, afirmou Filipe Zau, numa conferência de…

Leia mais

SOPA DE CULTURA, TURISMO E AMBIENTE

O Fundo do Ambiente angolano vai ser transformado em Fundo da Cultura, Turismo e Ambiente para fomentar a actividade turística, sobretudo o turismo interno, apoiar associações ambientais e artistas em dificuldades sociais, anunciou hoje o ministro do sector. Senhor ministro Filipe Zau, não dará também para explicar aos angolanos que o resultado final de aprender a viver sem comer é… morrer? Segundo o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Filipe Zau, estão em curso trabalhos visando a “reforma do Fundo do Ambiente com vista à sua transformação em Fundo da…

Leia mais

ANGOLA TEM ALTERNATIVAS AO PETRÓLEO

Manuel Nunes Júnior, Ministro de Estado para a Coordenação Económica, afirmou no dia 29 de Abril – quase parecendo ter descoberto a pólvora – que o Governo quer um maior envolvimento do sector florestal para acabar com a dependência do petróleo. Em 18 de Fevereiro de… 2015 o Folha 8 escrevia: Angola tem à mão de semear alternativas ao petróleo. É preciso ter uma monumental paciência para aturar estes génios de pacotilha. Hoje, reproduzimos o artigo então publicado, de que é autor Carlos Pinho, um angolano que (como outros) o…

Leia mais

QUANDO A DEMAGOGIA COLIDE COM A VERDADE

Na cimeira das Nações Unidas sobre o clima, COP26, na Escócia, o Presidente João Lourenço comprometeu-se em concretizar a redução da intensidade de carbono na produção de energia eléctrica num horizonte de até 2025 e traçou acções complementares no domínio da gestão sustentável das florestas, transportes e agricultura. Em 2019, dados do satélite MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) lançado pela NASA – agência espacial norte-americana – apontava que Angola liderava a lista de países com o maior número de incêndios florestais, ultrapassando a República Democrática do Congo e o Brasil.…

Leia mais

NADA MELHOR QUE BOAS ANEDOTAS

O Presidente de Angola, João Lourenço, comprometeu-se hoje, na 26.ª conferência do clima das Nações Unidas (COP26), em Glasgow, a aumentar para 70% o uso de fontes renováveis de energia até 2025. Se insistissem um pouco mais teria prometido fazê-lo já em 2022… Numa intervenção esta manhã, o chefe de Estado disse que o país privilegia “a produção e consumo da energia limpa proveniente das barragens hidroeléctricas existentes e outras por construir, assim como mais fontes renováveis de energia, com destaque para projectos de produção de energia fotovoltaica como parques…

Leia mais

NÃO BASTA FALAR…

O Presidente angolano, João Lourenço, disse hoje que o mundo “já falou bastante” sobre a necessidade da protecção ambiental e agora “é preciso que se façam acções concretas, pequenas ou grandes”, sob pena de se perder “a casa comum”, o planeta. Bem dito. Será possível, a nível interno, adaptar isso à pobreza, à fome, às doenças? “O apelo que faço é que as populações ganhem consciência da necessidade de fazermos acções concretas em prol da defesa do ambiente. O mundo já falou bastante sobre a necessidade de protegermos o ambiente,…

Leia mais

RD Congo reitera acusação contra mineira Catoca

As autoridades da República Democrática do Congo acusam o governo de Angola de nada ter feito para impedir que a Sociedade Mineira do Catoca continue a poluir a zona fronteiriça; Baixo Zaire, Nordeste, com líquidos tóxicos, provenientes das lavarias de mineração, que invadem os rios do país vizinho, causando a morte de espécies como peixes e, hipopótamos e, até, populares que habitam ao longo das zonas ribeirinhas. Por Matondo Ikango (*) “As nossas autoridades, por negligência da Sociedade Mineira de Catoca, explorada pelos russos e angolanos, registaram, desde Julho, a…

Leia mais

Dia da Terra que (também) é nossa

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente (MCTA) de Angola destacou, nesta quinta-feira, em Luanda, a necessidade da conservação do equilíbrio ambiental e a utilização sustentável dos recursos do planeta, por serem factores fundamentais para satisfazer as necessidades actuais e das gerações vindouras. O lixo que tomou conta da capital é, entre muitos outros, exemplo das preocupações ambientais do partido (MPLA) que está no Poder há… 45 anos. Segundo uma nota ministerial, divulgada por ocasião do Dia Mundial do Planeta Terra, que se assinala hoje, o MCTA adianta que as…

Leia mais

Ora então o… ambiente

O ambientalista angolano Vladimiro Russo denunciou hoje que ao longo de anos foram realizadas actividades económicas “ao arrepio da lei” nas zonas protegidas em Angola e que poucos projectos contribuíram para o desenvolvimento destas áreas. Desta vez, presume-se, a culpa mão é dos governos do MPLA porque este partido “só” está no Poder há… 45 anos! “Todas as áreas de conservação tiveram um desenvolvimento que foi contra a lei e que nenhum deles ou muito poucos contribuíram para o desenvolvimento daquelas áreas de conservação”, afirmou hoje Vladimiro Russo em declarações…

Leia mais

“Donald Trump foi um desastre”

Os quatro anos de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos da América foram “um desastre” para os Direitos Humanos, considera a organização Human Rights Watch (HRW), manifestando esperança numa mudança de paradigma com o Presidente eleito Joe Biden. No seu relatório anual, no capítulo intitulado “O Desafio de Biden: Resgatar o Papel dos Estados Unidos para os Direitos Humanos” e quase sempre em torno do papel norte-americano, a HRW sublinha que Trump foi um Presidente “frequentemente hostil e indiferente” em relação aos Direitos Humanos, quer interna quer externamente. Razão…

Leia mais