AS QUATRO MULHERES & OS ANTI-CORPOS DA DEMOCRACIA

O Presidente do MPLA, actualmente a navegar nos mares espanhóis, nunca como agora se deu conta de o tempo não ser fêmea… Melhor, não se reproduz, principalmente, quando ao longo da caminhada se cometem erros crassos. O tempo, fundamentalmente o político, corria, velozmente, para o “porto cardeal”: 2022 (-2017) e ante a truculência do timoneiro, despida de humildade, sabedoria, inteligência e espírito de conciliação ao longo dos cinco anos, foi de derrota em derrota até a derrota final: 240822! Por William Tonet A máquina informática da mercenária INDRA (empresa espanhola…

Leia mais

Casar e engravidar é um saralho do carilho

A secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher angolana, Elsa Barber (foto), não só inventou a pólvora como descobriu a fórmula da pedra filosofal. Hoje louvou os “notáveis progressos” de muitos países africanos em prol dos direitos da mulher, apontando no entanto os casamentos e gravidezes precoces como “barreiras” ao desenvolvimento. É obra. Elsa Barber, que falava em Luanda num seminário sobre os direitos humanos da mulher em África, considerou que a igualdade de género continua a preocupar, face às disparidades entre mulheres e homens, não obstante…

Leia mais

Propaganda política saprófita

Ainda não há muito tempo o Departamento de Informação e Propaganda do MPLA ficou muito nervoso porque classificamos como nojenta a atitude de Luísa Damião, que aproveitou o fuzilamento de uma zungueira, pela polícia do MPLA, para usar a situação deixando-se fotografar com familiares, dizendo que estava a dar carinho e solidariedade, como mãe e mulher do MPLA, aos familiares da vítima mortal. Por José Filipe Rodrigues (*) O que nos incomodou mais nesse parasitismo oportunista necrófilo foi o facto de Luísa Damião não ter a dignidade e um processamento…

Leia mais

Pistoleira freira, ou freira pistoleira?

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, partido no poder em Angola há quase 46 anos, admitiu esta segunda-feira preocupação face à sobrelotação das cadeias angolanas, cenário que não se verifica na cadeia feminina de Viana, em Luanda, estabelecimento prisional que hoje visitou. Luísa Damião falava depois de visitar a ala feminina da Cadeia de Viana, na qual procedeu igualmente à doação de alguns bens alimentares e materiais, para apoio à formação das reclusas. E como quem manda são os dirigentes do MPLA, não cabe aos ministros do governo abordar estes…

Leia mais

Mudam as cobras mas a banha é a mesma

As mulheres angolanas são discriminadas no acesso ao registo civil, à justiça e à educação, estão afastadas dos espaços de decisão e são educadas para se submeter e a normalizarem a sua exclusão, alertou hoje uma ONG Mosaiko. As conclusões constam da versão preliminar do relatório sobre “Política Públicas inclusivas numa perspectiva de género 2019-2021”, produzido pela associação Mosaiko, que promoveu um debate internacional sobe o tema entre quarta-feira e hoje O estudo concluiu que são as mulheres que mais procuram registar os seus filhos, mas em simultâneo são as…

Leia mais

Tráfico humano está por aí, está por cá

Mais de 100 casos de tráfico de seres humanos, cujas vítimas foram maioritariamente crianças, estão sob investigação das autoridades angolanas. A informação foi prestada no Dundo, Lunda-Norte, pelo chefe de departamento para os direitos económicos, sociais, ambientais e culturais da Direcção Nacional, do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, Felismino Lisboa. O responsável que falava durante um Workshop sobre “tráfico de seres humanos e direitos de asilo”, esclareceu que além dos processos em investigação, 21 casos de tráfico de seres humanos já foram julgados. Felismino Lisboa garantiu que a…

Leia mais

Irineia Gabriel representa Angola

A Directora do Centro de Estudos do Desporto de Guimarães (Portugal) – unidade de trabalho na área da investigação e formação criada em 2018 pela Tempo Livre-, Paula Nogueira, e Alexandra Gonçalves (atleta de futsal da GTeam e estudante de Enfermagem) são as portuguesas presentes no projecto FLOT – Female Leaders of Tomorrow, uma iniciativa da TAFISA – The Association for International Sport for All cofinanciada pela Comissão Europeia. Uma outra jovem atleta, dirigente desportiva e universitária, Irineia Gabriel (de Luanda), representa Angola no mesmo grupo de trabalho. O FLOT…

Leia mais

Foram o passado, são o presente e querem ser o futuro

A primeira-dama de Angola, Ana Dias Lourenço, defende que o país (que é independente há 45 anos e que há 45 anos é governado pelo seu partido, o MPLA) “não pode desperdiçar” os melhores ensinamentos do passado, advogando que precisa de se construir uma sociedade “mais justa, digna, inclusiva e com respeito pelas experiências dos mais velhos”. Ana Dias Lourenço, que falava na cerimónia de lançamento da plataforma “Dikota_E6.0”, projecto que se propõe “criar raízes e deixar marcas” para a sociedade angolana, garantiu “empenho e envolvimento pessoal” na iniciativa. “É…

Leia mais

Vira o disco… toca o mesmo

A Primeira-Dama de Angola, Ana Dias Lourenço, apelou nesta terça-feira, aos órgãos do Executivo (cuja liderança pertence ao seu marido, João Lourenço) para o reforço, de forma substantiva e sustentável, dos apoios à mulher rural, por ser a principal força motora da economia familiar e rural no país. Em Angola, a mulher rural, reconhecida como um importante agente económico, representa um universo de 5.360.200 pessoas, 18,6% da população estimada em mais de 30 milhões de habitantes, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Ana Dias Lourenço, que…

Leia mais

O diagnóstico de Ana
e a amnésia de… João

A melhoria do bem-estar dos cidadãos e da qualidade de vida das famílias angolanas, a redução da pobreza e das desigualdades e a promoção do nível de desenvolvimento humano são condições essenciais para o progresso económico e social de Angola. É verdade. O diagnóstico data de 2018 e foi feito pela primeira-dama, Ana Dias Lourenço. A receita está nas mãos do marido, João Lourenço. Continua, contudo, à espera de ser aviada. Trata-se, contudo, de um diagnóstico que já tem quase 45 anos. Até agora o máximo que o MPLA conseguiu…

Leia mais