Olho por olho

A ex-deputada do MPLA, Welwitschea dos Santos “Tchizé”, cujo mandato lhe foi retirado pelo Parlamento angolano, anunciou hoje que deu entrada no Tribunal Constitucional a uma acção de impugnação contra a decisão. Num comunicado de imprensa, “Tchizé” dos Santos, filha do ex-Presidente José Eduardo dos Santos, considera a decisão da Assembleia Nacional angolana um “arrepio à Constituição da República de Angola”. Para “Tchizé” dos Santos, além de atropelo à lei magna do país, a decisão que deliberou a sua perda de mandato, “com base em informações falsas dadas de má-fé…

Leia mais

Ditador e carrasco, diz ela

A deputada Welwitschea dos Santos, eleita pelo MPLA, partido no poder em Angola há 44 anos, 38 dos quais sob o comando do seu pai, José Eduardo dos Santos, considera que a revogação do seu mandato foi “um golpe” do Presidente João Lourenço, acusando-o de ser um “ditador” e o seu “carrasco político”. Se ela diz isso do actual Presidente, o que se deve dizer do seu pai? A empresária e deputada “Tchizé” dos Santos defende uma reflexão na sociedade portuguesa sobre os desequilíbrios nas relações entre os dois povos,…

Leia mais

Fraccionista Tchizé na
linha de fogo do MPLA

A deputada do MPLA ‘Tchizé’ dos Santos, filha do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, disse desconhecer qualquer processo disciplinar que lhe tenha sido movido pelo partido, falando de “jogada política”, e disse estar a ser ameaçada. O MPLA é mesmo isto. Pouco mais do que uma seita (grupo organizado que tem ideias ou causas em comum). Na quarta-feira, o órgão oficial do MPLA, Jornal de Angola, noticiou que a Comissão de Mandatos, Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Nacional agendou, para o início do mês de Setembro, uma audição…

Leia mais

MPLA mostra as garras
(de leão ou de gato?)

O Comité Central do único partido que governou Angola desde a independência, em 1975, o MPLA suspendeu a deputada “Tchizé” dos Santos, filha do ex-Presidente da República e do MPLA, José Eduardo dos Santos, daquele órgão, no âmbito de um processo disciplinar hoje instaurado. “A quele órgão deliberativo máximo do MPLA no intervalo dos congressos aprovou a instauração de um processo disciplinar e a aplicação da medida de suspensão de membro do Comité Central à camarada Welwitschea José dos Santos, por conduta que atenta contra as regras de disciplina do…

Leia mais

Quem não “mia” não mama. “Funeral” será brevemente

Dos seis partidos que integram a Coligação Ampla de Salvação Nacional – Coligação Eleitoral (CASA-CE), cinco não estão com meias medidas e deliberaram hoje a exoneração (apunhalar quem lhes deu a mão, cuspir no prato em que se refastelaram) do líder Abel Chivukuvuku, tendo nomeado em substituição André Mendes de Carvalho “Miau”. A decisão foi anunciada numa conferência de imprensa conjunta de cinco dos seis partidos e movimentos da CASA-CE depois de ter sido dado um prazo de 72 horas para que Abel Chivukuvuku apresentasse a demissão. Na conferência de…

Leia mais

“Batatas podres”. Polícia expulsou 127 efectivos

A Polícia Nacional angolana indicou hoje ter expulsado da corporação 127 efectivos do quadro de pessoal e despromovido outros dez na sequência de diversas infracções ao regulamento disciplinar da corporação. Numa intervenção na Unidade Operativa de Luanda da Polícia, o Comandante Geral da Polícia Nacional, Comissário-Geral Paulo Gaspar de Almeida, explicou que entre as infracções constam os crimes de homicídio voluntário, homicídio frustrado, negociação de emprego público, violação aos deveres funcionais da PN e recepção indevida de dinheiro, entre outros. Segundo Paulo Almeida, 10 outros – dois subinspectores e oito…

Leia mais

Violência? Refugiados?
Não. Com o MPLA… nunca

A organização não-governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW) defendeu hoje a suspensão imediata da deportação dos refugiados da República Democrática do Congo e o início de uma investigação aos alegados abusos por parte das forças de segurança angolanas. É claro que o Governo do MPLA se está nas tintas para a HRW, acreditando que a razão da sua força supera a força da razão de qualquer ONG. “O Governo angolano deve imediatamente suspender a deportação de refugiados da RD Congo e levar a cabo uma investigação rápida e imparcial sobre…

Leia mais

Angola nega violência contra congoleses

O Governo angolano insistiu hoje que “são completamente falsas” as afirmações sobre “massacres, sevícias e violações” praticadas por autoridades ou populares a migrantes ilegais, afirmando que qualquer situação “menos correcta” que tenha ocorrido “não foi orientação das autoridades”. Esta posição oficial foi tomada pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República de Angola, Pedro Sebastião, refutando quaisquer actos de violações dos direitos humanos de migrantes ilegais no âmbito da “Operação Transparência”, número que, disse, atingiu já os 380.000 expulsos. Segundo o governante, que falava…

Leia mais

RD Congo reitera boas relações com Angola

De acordo com o Governo angolano, as autoridades da RD Congo foram informadas sobre os “procedimentos” da “Operação Transparência”, iniciada em 25 de Setembro e que já levou mais de 2.600 congoleses a regressar ao país, tendo Kinshasa garantido que a relação bilateral continua “saudável”. Num comunicado do Ministério das Relações Exteriores (MIREX) angolano, é referido que as informações foram prestadas durante um encontro com o embaixador da República Democrática do Congo (RD Congo) em Angola, Didier Kazadi Nyembwa, realizado em Luanda. No documento lê-se que Didier Kazadi Nyembwa foi…

Leia mais

Militantes da FNLA exigem expulsão de Lucas Ngonda

Cerca de 1.800 militantes da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), reunidos em “Assembleia Magna”, no Cine São João, em Luanda, exigem, ao invés de suspensão, a expulsão do presidente Lucas Benghy Ngonda do partido, bem como a alteração da data de realização do Congresso para o fim deste mês. Por Antunes Zongo Refira-se que, o Congresso Extraordinário da FNLA foi convocado pela maioria do Comité Central, reunido no passado dia 04.03.17, no qual também foram suspensos dos seus mandatos, o presidente Lucas Ngonda e o secretário-geral, António Muhongo.…

Leia mais