PIORAR (AINDA) MAIS O QUE (JÁ) ESTAVA MAL

O engenheiro agrónomo Fernando Pacheco, membro do Conselho da República de Angola, considerou hoje que as greves que se registam no país resultam “de deficientes políticas de governação” e da “decadência do diálogo” entre governantes e a população. Quem diria? Mas será que o MPLA faz o mesmo diagnóstico? Não. Desde logo porque para o partido de João Lourenço diálogo significa… monólogo de que manda. “Penso que esta onda de greves deve ser vista na sequência de outras, que se foram desenhando em anos anteriores, claro que a aproximação das…

Leia mais

Fraude eleitoral soma e segue

Partidos políticos, a quem o MPLA na sua celestial misericórdia confere o direito (embora provisório e revogável a qualquer momento) de fazerem oposição em Angola, defenderam hoje que o Presidente (não nominalmente eleito), João Lourenço, “não deve promulgar” a lei que altera a lei orgânica das eleições gerais, aprovada na quarta-feira, por conter normas que atentam contra transparência das eleições. É preciso ser ingénuo. Como é que a lei mandada aprovar por João Lourenço poderia atentar contra algo que não existe, que nunca existiu – transparência eleitoral? Os partidos políticos…

Leia mais

Até prova em contrário,
todos somos… culpados

O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA) anunciou hoje, em Luanda, que tem provas concretas de que o seu colega, Sílvio Dala, não faleceu de enfarte agudo do miocárdio, mas por outras causas. Para nós, Folha 8, tudo indica que o médico se suicidou só para azucrinar o prestígio, internacionalmente (re)conhecido, da Polícia do MPLA. Simples! A informação foi hoje avançada pelo presidente do SINMEA, Adriano Manuel, no protesto da classe médica, em memória do pediatra Sílvio Dala, que morreu no dia 1 de Setembro, depois de ter sido…

Leia mais

“Tortura psicológica”

O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA) acusou hoje a ministra de Saúde, Sílvia Lutucuta, de promover “tortura psicológica” contra estes profissionais nos concursos e reiterou que está em preparação “uma mega manifestação” reclamando a integração de todos os médicos. Lá terá o ministro Eugénio Laborinho de pôr as suas “tropas” em “prevenção elevada”… A posição do SINMEA, expressa em comunicado, surgiu na sequência das declarações de Sílvia Lutucuta que, na segunda-feira, rejeitou críticas aos concursos públicos para admissão de médicos, salientando que a entrada destes na função pública…

Leia mais

O MPLA tem…

Grupos de jovens saem hoje à rua em várias províncias de Angola para protestar contra o “elevado nível de desemprego” e exigir ao presidente da República, presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, que cumpra a promessa eleitoral de criar 500 mil empregos. Segundo a organização, além de Luanda, a marcha contra o desemprego vai decorrer igualmente nas províncias de Malanje, Bengo, Cuanza Norte, Lunda Norte, Uíje e Benguela. “O objectivo é relembrar os 500.000 empregos que o Titular do Poder Executivo, João Lourenço, prometeu aquando da…

Leia mais

Saúde em estado de coma?
– Sim, mas só para o Povo!

Os médicos angolanos anunciaram hoje a realização de uma marcha de protesto, a 16 deste mês, para exigir às autoridades respostas “ao caderno reivindicativo e maior celeridade” no concurso público de ingresso de novos profissionais “repleto de burocracias”. “A s motivações da marcha estão directamente relacionados com o facto de o Ministério da Saúde ter, unilateralmente, desistido das negociações, pelo que se deixou de discutir o caderno reivindicativo”, disse hoje o presidente do Sindicato dos Médicos Angolanos, Armando Manuel. A melhoria das condições laborais, o aumento salarial ou o pagamento…

Leia mais

Racistas atiram a pedra e (claro) escondem a… pata!

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, negou hoje que o Governo tenha recebido um protesto diplomático de Angola na sequência dos incidentes ocorridos no passado domingo no Bairro da Jamaica. Bem antes de David Mendes já Bento Kangamba estava farto dos… portugueses. Questionado sobre se poderia confirmar uma notícia avançada pela Rádio Nacional de Angola (RNA), segundo a qual as autoridades de Luanda enviaram um protesto diplomático ao Governo português na sequência da intervenção policial, da qual resultaram vários feridos e a detenção de um cidadão…

Leia mais

Mas o Zango existe mesmo?
– Pergunta, perspicaz, JLo II

Centenas de cidadãos do município angolano de Viana, em Luanda, manifestaram-se hoje em frente à administração municipal, em protesto pelas “péssimas condições de habitabilidade”, uma vez que vivem há dez anos em tendas, na localidade do Zango 1. E estão com sorte, pensarão os ideólogos da “Nova Angola” liderados por João Lourenço II, porque ainda… (sobre)vivem. “Q ueremos as nossas casas”, “Chega de sofrimento” eram alguns dizeres estampados nos cartazes dos manifestantes, que, em 2009, viram demolidas as suas residências na Ilha de Luanda, e foram transferidos para o Zango…

Leia mais

Manifestação (mais uma) contra “Kwata Kanawa

Em Malanje, tirando o governador Norberto dos Santos “Kwata Kanawa” e o seu restrito grupo de acólitos (sempre disponíveis para elogiar quem estiver no Poder, seja quem for), ninguém está satisfeito com o seu desempenho. É mesmo caso para perguntar: Com um governador assim, como acreditar que o MPLA ganhou as eleições, nesta província? O maior e melhor tribunal do mundo, clone do tempo: o Povo, está a desvendar a verdade, da trama eleitoral, antes mesmo de completar dois anos na administração pessoal que, como governador, deveria ser colectiva: a…

Leia mais

Desemprego? Onde? Onde? (peixe podre, fuba podre e…)

Um grupo de estudantes, activistas e parte de sociedade civil angolana, certamente do grupo de marimbondos e sem direito a serem recebidos (por falta de representatividade institucional) pelo Presidente João Lourenço, marcha hoje um pouco por todo o país, como forma de protesto contra o desemprego no país, acusando o Governo de “pouco ou nada” fazer. Num documento enviado ao governador de Benguela, a organização do protesto nesta cidade lembra o “comprometimento” do partido no poder desde 1975, o MPLA, que no seu manifesto eleitoral prometia “a criação, no mínimo,…

Leia mais