FRACO LÍDER FAZ FRACA A FORTE GENTE!

João Lourenço tornou regra de ouro no seu (mau) reino que a liberdade dos jornalistas tem de acabar onde começa a do seu (mau) MPLA, seja em Angola ou noutros países (caso do seu protectorado socialista que dá pelo nome de Portugal), entendendo que a sua liberdade não tem limites. E não faltam seguidores, não só no MPLA, não só em Portugal. Por Orlando Castro Por alguma razão, há já bastante tempo mas sempre com plena actualidade, António Barreto – prestigiadíssimo sociólogo português – disse de José Sócrates aquilo que…

Leia mais

PRESIDENTE, “LIVRE-SE DOS BAJULADOES”

Vez por outra, surgem aqui nas redes sociais vozes que sugerem que falar do Presidente João Lourenço deveriam ser um direito exclusivo deles – eles, os bajuladores profissionais. Sou cidadão angolano, no uso de todos os meus direitos constitucionalmente consagrados. Por isso, assiste-me, também, o direito de falar sobre e do Presidente do meu país. Por Graça Campos (*) Goste-se ou não dele, o cidadão João Lourenço é o Presidente deste país e não chegou ao posto por via de golpe de Estado ou de outro expediente menos recomendável. Como…

Leia mais

Urge fuzilar as… redes sociais

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem bloqueado seguidores que o criticam nas redes sociais, violando a liberdade de expressão e os direitos de acesso à informação e de participar do debate público, disse hoje a Human Rights Watch (HRW). É de crer que o DIP (Departamento de Informação e Propaganda) do MPLA esteja a equacionar importar para Angola a estratégia de Bolsonaro. A organização não-governamental (ONG) internacional de defesa dos direitos humanos informou em comunicado que identificou 176 contas bloqueadas pelo Presidente, a grande maioria na rede social Twitter, incluindo…

Leia mais

Críticas à Polícia (do MPLA)

O investigador responsável pela África Austral na Amnistia Internacional (AI), David Matsinhe, afirmou hoje que “ninguém pode justificar” os dez homicídios documentados em Angola atribuídos às forças de segurança no âmbito da imposição de restrições contra a Covid-19. “Não há justificativa para encurtar as suas vidas. Ninguém pode justificar a morte destes jovens, em particular nas circunstâncias em que perderam as suas vidas”, afirmou David Matsinhe no seminário virtual “Violência policial em Angola”, organizado pela AI. No seminário, David Matsinhe apontou que a AI, em colaboração com a organização não-governamental…

Leia mais

Críticas da oposição,
servilismo do MPLA

O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que existe em Angola, deu hoje “cartão vermelho” ao discurso do estado da Nação proferido pelo Presidente, João Lourenço, na Assembleia Nacional, considerando “uma mão cheia de nada”, afirmação assertiva e coincidente com a análise feita pelo Folha 8. O protesto foi realizado no final da cerimónia de abertura do novo ano legislativo, na qual o chefe de Estado angolano (não nominalmente eleito e também Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo) profere, por…

Leia mais

Potência (agrícola e não só) já fomos antes de o MPLA chegar ao Poder

O Presidente de Angola, também Presidente do partido que está no Poder há 45 anos (o MPLA) e Titular do Poder Executivo., João Lourenço, é mesmo um génio. Então não é que disse hoje que o país tem condições para ser uma potência agrícola no continente africano, mas falta “formar o homem”? Há quem diga que o seu trabalho de casa foi ler o que, antes de 1975, os portugueses fizeram por cá… As declarações foram proferidas no Malanje, após a inauguração do Instituto Superior das Tecnologias Agro-Alimentares de Malanje…

Leia mais

Lagosta ou mandioca?

A UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, mostrou-se preocupada com a “partidarização” da comunicação social e recomendou a “reprivatização” urgente dos órgãos privados que passaram para as mãos do Estado. Talvez o MPLA alinhe. Mas, quiçá, para o fazer quererá que os dirigentes de UNITA deixem as lagostas e regressem à mandioca. Estarão eles dispostos a isso? Em declarações à Lusa após uma conferência de imprensa da UNITA sobre o estado democrático em Angola, 28 anos após as primeiras eleições gerais, a…

Leia mais

As filhas dos presidentes

Estávamos em Julho de 2017. A filha do primeiro Presidente de Angola, herói nacional do regime, Irene Neto, voltava a criticar a liderança do MPLA no arranque da campanha eleitoral e, embora dissesse não se assumir como líder de uma tendência renovadora e contestatária e interna do MPLA, denunciou o saque do erário público… por parte do… MPLA. Em declarações à VOA, Irene Neto disse que a sua geração atingiu um patamar que permite aceitar ou não as opiniões de pessoas que fazem parte do sistema. Serviu a ingenuidade a…

Leia mais

MPLA não se importa
que a UNITA cacareje

A UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, exprimiu hoje inquietação face ao elevado custo de vida no país, com os salários afectados pela “galopante e imparável inflação”, sem soluções apresentadas pelo Governo. Novidade? Nenhuma. Mais do mesmo? Não exactamente. No caso o Galo Negro quer trocar seis por… meia dúzia. A posição é expressa no comunicado final da reunião do conselho da presidência e da segunda reunião ordinária do comité permanente da comissão política, realizadas na segunda e terça-feira, respectivamente. No…

Leia mais

ERCCN critica o F8

O Conselho Directivo da Entidade Reguladora da Comunicação Social da Coreia do Norte (ERCCN) assinalou “com preocupação, a publicação, pelo jornal “Folha 8”, em edições “on line”, de fotomontagens e caricaturas que atentam contra os direitos de personalidade de dignitários do Estado norte-coreano, como o Chefe de Estado, os antigos presidentes outras entidades públicas, expondo-os a situações lesivas à moral e aos bons costumes”. A ERCCN refere que “estas práticas não se compaginam com o princípio segundo o qual os conteúdos difundidos pelos Meios de Comunicação Social devem pautar-se por…

Leia mais