Estamos (quase) lá!

O Plano Nacional de Geologia (Planageo) angolano, que concluiu o levantamento aéreo geofísico do potencial mineral e geológico do país, a uma altura média de 120 metros, já absorveu quase 260 milhões de dólares (213 milhões de euros), foi hoje anunciado. Segundo o presidente do Conselho de Administração do Instituto Geológico de Angola (Igeo), Canga Xiaquivuila, já foram investidos neste projecto 259,4 milhões de dólares o que corresponde a uma execução financeira de 64%, contando com uma execução física de 66%. O Planageo foi lançado em Maio de 2014 com…

Leia mais

S.O.S. a todos os credores

O líder do Clube de Paris disse hoje que os credores privados terão de participar no alívio da dívida dos países mais vulneráveis, admitindo, ainda assim, a possibilidade de haver “excepções específicas e muito limitadas”. Em entrevista à agência de informação financeira Bloomberg, o chefe do Tesouro do Ministério das Finanças da França, Emmanuel Moulin, que acumula a presidência do Clube, disse que “um tratamento de dívida ao abrigo do Enquadramento Comum para o Tratamento da Dívida para além da Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI) vai requerer…

Leia mais

Antes havia. Hoje não há. Culpado há só um

Caro Senhor Presidente João Lourenço. Gostei de saber que V. Exa., na altura da inauguração do novo Instituto Geológico de Angola, em Luanda, tenha referido, no seu discurso que Angola tem muito mais recursos minerais além de petróleo, gás natural e diamantes. Por Carlos Pinho (*) Pois tem, e mais ainda, tem, ou devia ter outro tipo de recursos, tais como agrícolas, silvícolas, pesqueiros, turísticos e humanos. Mas a fixação nos recursos naturais minerais é uma fixação mórbida. Como dá imenso trabalho actuar noutras áreas, nesta dos recursos minerais é…

Leia mais

“I like bananas, because na pas de caroço”

Como povo poliglota, sobretudo porque graças a um sistema escolar implantado pelo MPLA ao longo de 45 anos, falamos todas as línguas até mesmo quase o português, consta que Angola tem 4,5 milhões de falantes de francês, sendo por isso o país lusófono mais francófono de África. E assim sendo, Angola pode recolher benefícios económicos da sua adesão à Francofonia, afirmou hoje a presidente do grupo dos embaixadores francófonos em Angola, marroquina Saadia El Alaoui. Falando no âmbito do cinquentenário da Organização Internacional da Francofonia (OIF), criada a 20 de…

Leia mais

Só se é ladrão quando não se consegue estar no Poder

Em entrevista ao Jornal de Angola, órgão oficial do MPLA, A enviada Comercial para Angola do primeiro-ministro britânico, Lindsay Northover, elogia a governação de João Lourenço, tal como elogiou a governação de José Eduardo dos Santos. A única diferença é que agora está ao serviço de Boris Johnson e antes a patroa era Theresa May. Em Março de 2017 decorreu em Londres o Fórum de Comércio e Investimento Reino Unido-Angola. Entre os participantes, além de representantes de empresas e instituições financeiras dos dois países, estiveram o embaixador britânico em Angola,…

Leia mais

Foi ele quem hipotecou
o país por uma bagatela

O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, coadjuvado por uma equipa económica considerada, pelo mercado, como das piores, para enfrentar um momento de crise nacional e global, será, seguramente, responsabilizado, caso o país não consiga, nos próximos tempos, sair do precipício, onde está “FMImiscamente” atolado até ao pescoço… ou mais. Por William Tonet Actualmente, a maioria dos cidadãos, não vislumbra uma projecção com sentido lógico, tão pouco uma equação económica blindada na realidade do país real, salvo a irracional opção por uma política neoliberal, cujo mérito, se disso podemos…

Leia mais

Quem aprende com os bons
só pode ser (muito) melhor

Um estudo da Comissão Europeia mostra que Portugal é o terceiro país da União Europeia que mais riqueza coloca em paraísos fiscais. Assim, entre 2004 e 2016, o país perdeu mais de 1,3 mil milhões de euros em impostos. 65% da receita fiscal perdida em Portugal foi nos rendimentos de capital. Assim percebe-se melhor o altíssimo desempenho dos discípulos que Portugal deixou no MPLA. Na União Europeia, só Chipre e Malta batem Portugal no campeonato do dinheiro desviado para offshores. Segundo um estudo da Comissão Europeia citado pelo português Jornal…

Leia mais

Mesmo de joelhos, o nosso “leãozinho” finge que ruge

O Presidente de Angola disse hoje que África “está cansada” da simples exploração dos seus recursos minerais e defendeu a industrialização do continente, convidando os investidores russos a olhar para as oportunidades em Angola. Na verdade, João Lourenço apenas se propõe trocar seis por meia dúzia, mantendo o “statu quo” que o MPLA mantém intacto há 44 anos. Poucos com milhões, milhões com pouco ou… nada. João Lourenço, que discursou hoje na Cimeira Rússia-África, que decorre em Sochi, recordou “a solidariedade do povo russo” com os africanos no período das…

Leia mais

A cenoura na ponta do pau

Os presidentes de Angola, Moçambique e Cabo Verde participam na quarta e na quinta-feira na primeira cimeira Rússia-África, em Sochi, onde serão recebidos pelo Presidente Vladimir Putin e assinarão acordos em vários domínios. Velhos amigos unidos jamais serão vencidos. Será? O Presidente angolano, João Lourenço, viajou hoje para a estância balnear russa no Mar Negro, mas o seu homólogo moçambicano, Filipe Nyusi, já lá se encontra desde segunda-feira, tendo recebido à sua chegada as felicitações do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo pelo resultado nas eleições de 15 de Outubro, mau…

Leia mais

MPLA aprendeu alguma
coisa com os colonos?

Angola prepara-se para lançar a 27 de Agosto o primeiro concurso público internacional para atribuição de licenças de exploração e prospecção de diamantes, ferro e fosfato. De acordo com Diamantino de Azevedo, ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, o concurso visa dar cumprimento ao que está estabelecido no código mineiro angolano, bem como relançar e revitalizar o sector. As condições técnicas de acesso ao referido concurso serão apresentadas em Luanda, Dubai, Londres e Pequim. Serão licitadas cinco concessões mineiras, sendo duas de diamantes nas províncias da Lunda-Norte e…

Leia mais