TROCA DE COLONOS FOI HÁ 47 ANOS

Quarenta e sete anos depois, 20 em paz total, só falta quase tudo para chegarmos ao paraíso. Quando o Presidente da República, João Lourenço, esteve em Nova Iorque (EUA) numa das suas muitas viagens de “trabalho”, reconheceu que “são legítimas as reclamações de alguns sectores da sociedade que não viram ainda concretizados as suas expectativas de vida”. Com a sua oratória mais brilhantina do que brilhante, afirmou na altura que em dois anos não se fazem “milagres” e “o que não se fez em 44 anos, ninguém pode esperar que…

Leia mais

RACISMO É RACISMO, SEJA PORTUGUÊS OU ANGOLANO

A activista social angolana e promotora da marcha contra a imposição de penteados nas escolas, Arminda Milena Ernesto, defendeu hoje que é preciso “desmistificar” o problema do uso de cabelo crespo e promete continuar a lutar contra o “racismo capilar”, culpando os colonos portugueses que já cá não estão há 47 anos. Por Orlando Castro (*) Arminda Milena Ernesto, em declarações à agência Lusa, manifestou a sua indignação sobre os regulamentos internos de algumas escolas sobre o uso de cortes de cabelo, que associou a uma imposição de valores associada…

Leia mais

VEJAM COMO ERA (E APRENDAM)

No mato, onde não havia luz eléctrica, tínhamos alimentos frescos e água gelada, porque o colono, branco, fascista, português, vendia aos pretos geleiras a petróleo e ainda candeeiros petromax. Estes elementos nada tinham a ver com o colonialismo, mas com os negros no poder que retiraram e nunca mais repuseram… Infelizmente, na maioria dos casos, vivemos pior hoje do que no ontem colonial, pelo carácter discriminatório de teimar, na recusa de se elaborar um projecto-país integrando os sentires e gemeres de todos os nosso povos. Nas muitas sanzalas e bualas…

Leia mais

VERGONHA A MENOS, INCOMPETÊNCIA A MAIS

Hoje, no Bié, João Lourenço disse que quer o Caminho-de-Ferro de Benguela a funcionar “com eficiência, como no tempo colonial”. Relembre-se que Angola é governada, desde 11 de Novembro de 1975, pelo MPLA. No dia 8 de Setembro de 2021, o Governo angolano lançou o concurso público internacional para a gestão e manutenção do Caminho-de-Ferro de Benguela, denominado Corredor do Lobito, por um prazo de 30 anos, anúncio feito pelo responsável do sector dos transportes. Como se “sabe”, só a partir 11 de Novembro de 1975 é que Angola passou…

Leia mais

Só para recordar a quem está no poder há 45 anos

Os que têm 45 anos, talvez, não saibam! Vale a pena recordar, o que os portugueses, que o MPLA tanto odeiam, deixaram em 1975 em Angola, além de habitações, escolas, hospitais etc., etc., que não constam nesta lista! Isto para 8 milhões de pessoas! PETRANGOL – Refinaria e Distribuição de Combustíveis. DTA-TAAG – Linhas Aéreas ligando todas as províncias, mesmo entre elas. CFB – Caminho de Ferro de Benguela, do Lobito a Dilolo-RDC. CFM – Caminho de Ferro de Moçâmedes, da Namíbia até Menongue. CFA – Caminho de Ferro de…

Leia mais

“Quem pouco rouba é ladrão, quem muito rouba é barão”

Depois de quase um mês de “dolce far niente”, que é o meu critério de referência para umas férias de Verão bem passadas, ainda por cima numa altura de pandemia onde o bom senso recomenda algum recolhimento e distanciamento, comecei a seguir com algum interesse o romance à volta das capacidades empreendedoras de um Senhor Economista, que por acaso, ou quiçá talvez não, é genro do Primeiro Presidente da República de Angola. Por Carlos Pinho (*) Mas recuando um pouco no tempo, houve ainda, e muito antes, todos os desenvolvimentos…

Leia mais

Da nacionalidade

Há dias li numa página da internet sobre Angola, que o senhor tenente-general angolano Leopoldino Fragoso do Nascimento, anteriormente mui digno Consultor do Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, cargo do qual tinha sido exonerado por Decreto Presidencial (angolano) n.º 170/18, tinha solicitado e consequentemente recebido a nacionalidade portuguesa. Por Carlos Pinho (*) C ontinuando a citar a mesma página (Club K) constatei o que lá referiam, concretamente que “depois de cumprir com todos os requisitos legais, a conservatória dos registos centrais de…

Leia mais

Antes havia. Hoje não há. Culpado há só um

Caro Senhor Presidente João Lourenço. Gostei de saber que V. Exa., na altura da inauguração do novo Instituto Geológico de Angola, em Luanda, tenha referido, no seu discurso que Angola tem muito mais recursos minerais além de petróleo, gás natural e diamantes. Por Carlos Pinho (*) Pois tem, e mais ainda, tem, ou devia ter outro tipo de recursos, tais como agrícolas, silvícolas, pesqueiros, turísticos e humanos. Mas a fixação nos recursos naturais minerais é uma fixação mórbida. Como dá imenso trabalho actuar noutras áreas, nesta dos recursos minerais é…

Leia mais

O culpado da corrupção
em Angola é… Diogo Cão!

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos angolano, Francisco Manuel Monteiro de Queiroz, disse hoje, em Luanda, que a corrupção em Angola tem a sua génese no período colonial português, uma fase que causou mais prejuízos ao país do que após a independência. E se ele o diz, até porque na altura da independência já tinha 24 anos de idade e de convivência colonial, é porque é verdade. Francisco Queiroz falava na abertura das Jornadas sobre o Dia Internacional contra a Corrupção, comemorado sob o lema: “Combate à Corrupção,…

Leia mais

Vejam como era em 1973 e… façam o favor de aprender

O ministro da Agricultura e Florestas, António de Assis, procedeu no município do Mungo (Huambo), ao lançamento do Programa de Revitalização da Cultura do Café Arábica no sector familiar, com o objectivo de contribuir para as estratégias de combate à pobreza e, ao mesmo tempo, garantir a segurança e a qualidade alimentar. Por outras palavras, a pobreza na barriga do povo e os luxos na casa dos donos do reino. Simples. Decorrido na aldeia de Beteleme, a 157 quilómetros da cidade do Huambo, o acto, testemunhado pela governadora do planalto…

Leia mais