ROUBO, LADROAGEM, LADROÍCE. NUMA SÓ PALAVRA: MPLA

O vice-procurador-geral da República (PGR) angolano, Mota Liz, disse hoje que denúncias de alegados desvios de fundos públicos por parte da presidente do Tribunal de Contas angolano, Exalgina Gamboa, “é matéria específica da PGR” e não entrou em detalhes. “Esta é matéria específica da PGR e sobre isso não falo”, respondeu Mota Liz à Lusa, sem entrar em detalhes, quando questionado em relação a uma investigação sobre a presidente do Tribunal de Contas, Exalgina Gamboa. As despesas da presidente do Tribunal de Contas de Angola, Exalgina Gamboa, que terá gastado…

Leia mais

ELES GOZAM COM A NOSSA CHIPALA

As despesas da presidente do Tribunal de Contas de Angola, Exalgina Gamboa, que terá gastado quatro milhões de dólares em mobílias a expensas do Estado angolano (ou seja, à custa dos angolanos, 20 milhões dos quais são pobres), não mereceram explicações por parte da instituição nem da Procuradoria-Geral da República. Tudo normal, portanto. No reino é mesmo assim. Mais uma vez se prova que o MPLA é Angola e que Angola é do MPLA. O caso foi denunciado pelo jornalista e activista angolano Rafael Marques e Morais, no portal Maka…

Leia mais

ENQUANTO JOÃO LOURENÇO ESTAVA EM ESTRATÉGICA HIPNOSE

Mais de 167 mil milhões de kwanzas foram subtraídos de forma fraudulenta (roubados, em português) dos cofres do Estado, entre 2003 e Junho de 2021, através de pagamentos de salários a pessoas fantasmas, aquisição da logística e outros benefícios feitos para a assistência dos efectivos da Casa Militar do Presidente da República, localizada na província do Cuando Cubango. Onde andava nesse período o general João Lourenço? Explica o órgão oficial do MPLA, Jornal de Angola, que durante 18 anos (o MPLA está no Poder há 46 anos), o saque do…

Leia mais

Denúncia do Folha 8 leva a PGR a investigar a Angoskimas

A Procuradoria-Geral da República (PGR), no Cuando Cubango, abriu um inquérito para apurar a autenticidade da dívida de 439.552.312.379,07 Kz (quatrocentos e trinta e nove biliões, quinhentos e cinquenta e dois milhões, trezentos e doze mil e trezentos e setenta e nove kwanzas e sete cêntimos), equivalentes a 500 milhões de dólares, reclamada pela empresa ANGOSKIMAS LDA, pelo fornecimento de bens diversos ao Governo do Cuando Cubango, entre 1991 e 1997. ANGOSKIMAS que legalmente só existe desde 18 de Junho de 2009 (Diário da República III SÉRIE- nº 112). Da…

Leia mais

Bessa e Vera na gamela de roubo milionário de 500 milhões de dólares?

A vida política partidária exige dos seus agentes, decoro, ética e sentido de dever, principalmente, se no acaso, forem chamados ao exercício de funções, nos órgãos de soberania. Aqui chegados, a partidocracia ideológica deve, imediatamente, fazer emergir a cartilha de serviço público. Infelizmente, o regime, desde 1975-2021, anda em sentido contrário, exclusivamente, com um projecto de poder, assente na ladroagem institucional… Por William Tonet O roubo continua em grande escala! A corrupção, também! Nada mudou, com João Lourenço, desde a sua ascensão em 2017, pelo contrário, tudo piorou; mais despesismo,…

Leia mais

Quem rouba é, ou não, ladrão?

Partidos políticos da oposição angolana condenaram hoje o “escândalo financeiro” que envolve oficiais superiores ligados à Presidência da República, pedindo “responsabilização exemplar” dos implicados, enquanto o MPLA garante que “o combate à corrupção vai continuar, doa a quem doer”. Por alguma razão João Lourenço afirmou que viu roubar, participou nos roubos, beneficiou dos roubos mas que não é… ladrão. “Estamos perante uma situação bastante grave, uma situação que vai afectar a reputação de Angola no ponto de vista económico e financeiro, porque não é admissível que avultadas somas financeiras fiquem…

Leia mais

Sebastião já era, Furtado “regressa”

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou esta segunda-feira o chefe da sua Casa de Segurança e ministro de Estado, general Pedro Sebastião, nomeando para o seu lugar o antigo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, general Francisco Pereira Furtado. Exoneração acontece uma semana depois de ser tornado público o envolvimento de oficiais generais da FAA afectos à Casa de Segurança do Presidente, num crime de peculato (roubo, ladroagem) de milhões de dólares e euros. Além de Pedro Sebastião, o Presidente angolano decidiu fazer outras mudanças nos seus serviços…

Leia mais

Choça com (todos) eles!

O Banco Nacional de Angola (BNA) confirmou que o dinheiro encontrado na posse de um oficial das Forças Armadas Angolanas, e que pertencia à Casa de Segurança do Presidente João Lourenço, saiu de um banco comercial, sem revelar a identidade do banco. Por outras palavras, o BNA revelou que o país é uma espécie de casa da mãe-joana onde vale (quase) tudo. O escândalo multimilionário envolvendo valores em dólares e em euros voltou a abalar os angolanos (20 milhões dos quais passam fome às segundas, quartas e sextas, às terças,…

Leia mais

Caranguejo(la) “made in” MPLA

No âmbito da “Operação Caranguejo”, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve o major Pedro Lussaty, oficial das Forças Armadas Angolanas (FAA), afecto à Casa de Segurança do Presidente da República, João Lourenço, e descobriu que o militar é dono de 45 imóveis, dos quais uma penthouse no Talatona, cinco apartamentos em Lisboa, um apartamento na Namíbia; dois iates de luxo, dezanove malas abarrotadas de dólares, euros e kwanzas, duas dezenas de relógios de luxo revestidos de diamantes e ouro rosa e quinze viaturas topo de gama e comprovativos de…

Leia mais

Roubar e beneficiar do roubo não é ser ladrão

O antigo vice-presidente de Angola e ex-presidente da Sonangol, Manuel Vicente, é apontado, no despacho de Acusação do empresário Carlos São Vicente, como o parceiro com quem o arguido terá montado “um plano de apropriação ilícita de rendimentos e lucros”. Carlos São Vicente está acusado de fazer aquilo que é apenas uma parte do que é essencial no ADN do MPLA: Fraude fiscal continuada. A justiça angolana, no despacho de Acusação contra o luso-angolano Carlos São Vicente, considera que o antigo número dois do Presidente José Eduardo dos Santos (e…

Leia mais