Bitacaia no pé ou espinha na garganta?

O ex-chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas (CEMGFAA), Francisco Pereira Furtado, considerou hoje estável a situação político-militar do país, apesar de ser necessário “solucionar um pequeno detalhe da província de Cabinda”. Francisco Pereira Furtado dissertou hoje sobre o tema “A Paz como Factor Imperativo para a Estabilidade e Desenvolvimento de Angola”, na abertura das jornadas patrióticas alusivas ao 4 de Abril, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional, promovida pelo Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas. Em bom rigor factual registe-se o dia 4 de Abril (de 2002),…

Leia mais

FLEC “ataca” protectorado europeu do MPLA

A Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC), colónia de Angola, anunciou hoje o fim das “relações e contactos” com a Presidência e o Governo português por “intencionalmente ignorarem o martirizado povo de Cabinda”. No governo de Portugal ninguém sabe, nem quer saber, e odeia quem sabe, o que é isso de Cabinda. Limitam-se a cumprir as ordens superiores do… MPLA. Em comunicado, tornado público hoje, a FLEC felicita Marcelo Rebelo de Sousa pela vitória nas presidenciais, recusando-se, no entanto, sublinha, a “ser cúmplice de uma hipocrisia que persiste…

Leia mais

1 de Fevereiro de 1885

Num contexto colonial em que Portugal aparecia como mal menor entre todos os que queriam ser donos da Cabinda, os cabindas optaram por negociar com os portugueses, acreditando que a sua segurança e autonomia sairiam resguardadas. Mal sabiam que iriam ser apunhalados cobardemente pelas costas, em 1975, por outros portugueses. Mas foram. A 29 de Setembro de 1883, foi assinado o Tratado de Chinfuma no morro do mesmo nome, a norte do rio Chiloango. O local foi escolhido porque só por si corroborava o alcance do acordo. Assim, ficou estabelecido…

Leia mais

1 de Fevereiro de 1885

Num contexto colonial em que Portugal aparecia como mal menor entre todos os que queriam ser donos da Cabinda, os cabindas optaram por negociar com os portugueses, acreditando que a sua segurança e autonomia sairiam resguardadas. Mal sabiam que iriam ser apunhalados cobardemente pelas costas, em 1975, por outros portugueses. A 29 de Setembro de 1883, foi assinado o Tratado de Chinfuma no morro do mesmo nome, a norte do rio Chiloango. O local foi escolhido porque só por si corroborava o alcance do acordo. Assim, ficou estabelecido o protectorado…

Leia mais

Sim, senhor general!

A Procuradora-Geral da República (PGR) portuguesa, Lucília Gago, manifestou hoje a disponibilidade e empenho da instituição que dirige em promover a aproximação e estreitamento da cooperação com a congénere angolana. Basta ter o mesmo nome (PGR) para ser congénere? No resto, qualquer semelhança é mera coincidência. Desde logo porque a nossa é uma sucursal do partido que está no Poder, no caso o MPLA desde 1975. Em declarações à imprensa, Lucília Gago, que se encontra em Luanda a participar nas celebrações do 40º aniversário da Procuradoria-Geral da República de Angola,…

Leia mais

O que é isso de Cabinda?

A FLEC/FAC, revelando uma santificada ingenuidade, lamentou que o programa da visita de Estado a Angola do Presidente português exclua uma deslocação a Cabinda, mas disse acreditar que Marcelo Rebelo de Sousa aborde o assunto com o homólogo angolano, João Lourenço. Sonhar não paga impostos e, por isso, não custa acreditar que Marcelo tenha a hombridade, a verticalidade e, sobretudo, a honestidade intelectual de falar de Cabinda com João Lourenço. Em comunicado, a Direcção política da Frente de Libertação do Estado de Cabinda – Forças Armadas de Cabinda (FLEC/FAC), salienta…

Leia mais

A Portugal bastará ser protectorado de Angola?

Portugal parece ter descoberto, ontem e hoje, em Luanda, que em matéria africana vai nu. Mas vai nu há já muito tempo. Há mais de dez anos que nós, aqui no Folha 8, afirmamos isso mesmo. No entanto, honra lhe seja feita, foi preciso João Lourenço ir à Europa sem incluir Portugal, para que os políticos de Lisboa acordassem. Se é que acordaram mesmo. Por Orlando Castro “O problema é que durante muito tempo Portugal olhou só para a Europa e o Brasil olhou para o mundo inteiro”, disse em…

Leia mais

“Quanto mais nos bates…
mais nós gostamos de ti”

A propósito da retardada divulgação do substituto de Marcos Barrica como embaixador angolano em Lisboa, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Santos Silva, diz que “não há nenhuma anomalia nem nenhum facto superveniente que eu tenha que assinalar, muito menos que comentar”, garantindo ainda que a “República de Angola cumpriu o disposto nas convenções que regulam as relações diplomáticas entre países. Da nossa parte, também cumprimos”. Por Orlando Castro A cimeira Portugal/Angola esteve marcada para o dia 27 de Março passado. João Lourenço mandou recado por um dos seus…

Leia mais

Guterres sabe bem, mas não quer saber, o que é Cabinda

O presidente da Frente de Libertação do Estado de Cabinda (FLEC), Emmanuel Nzita, apelou à intervenção e “pressão” do secretário-geral da ONU, António Guterres, contra a “ocupação” daquele território por Angola, segundo uma carta hoje divulgada. Por Orlando Castro (*) Na carta, dirigida a António Guterres, Emmanuel Nzita, que se apresenta igualmente como “chefe do Governo provisório de Cabinda”, recorda que o povo daquele enclave, actualmente província de Angola limitada a norte pela República do Congo e a sul pela República Democrática do Congo, sem ligação terrestre ao restante território…

Leia mais