Divagações sobre tratados e não só

O artigo do Carlos Pacheco recentemente publicado neste jornal sobre a morte anunciada do MPLA e a problemática do lixo na cidade de Luanda, podem parecer assuntos díspares, mas efectivamente são a constatação empírica da incapacidade congénita do MPLA em ter uma atitude governativa digna e civilizada. Por Carlos Pinho (*) As considerações de Carlos Pacheco, e de outros autores noutras publicações jornalísticas têm, não só, mas principalmente por base os acontecimentos de Cafunfo e muito em concreto, a postura violenta e criminosa da Polícia Nacional de Angola. Recuando no…

Leia mais

Legitimidade dos lunda tchokwe é semelhante à dos cabindas

A legitimidade das reivindicações autonomistas da população Lunda tchokwe em Angola, violentamente reprimidas este sábado pelas autoridades policiais angolanas, “é semelhante à dos cabindas” e “a exploração de diamantes na região acentuou” essas reivindicações, disseram à Lusa investigadores. “Tal como Cabinda, a Lunda – actualmente dividida em Lunda-Norte e Lunda-Sul – também se congregou na Angola colonial portuguesa através de tratados de protectorado, assinados em 1885 e anos seguintes pelas autoridades locais, e por Henrique Carvalho, um militar português, que representou Portugal”, e enquadram-se na estratégia de ocupação territorial decorrente…

Leia mais

Primeiro mata-se e depois logo se verá…

A Friends of Angola (FoA) exige que as autoridades angolanas abram um inquérito para levar à justiça os responsáveis pela violação dos direitos humanos e liberdade de expressão, de manifestantes na província da Lunda Norte. Em causa está a morte de um número ainda não determinado de manifestantes, que no sábado terão – segundo a versão oficial -tentado invadir uma esquadra policial em Cafunfo, município do Cuango, resultando, segundo números oficiais, em pelo menos seis mortos do autodenominado movimento do Protectorado Português Lunda Tchokwe e cinco feridos, entre os quais…

Leia mais

Na linha do 270577

Ontem (como o Folha 8 noticiou), mais uma vez, com cobertura das autoridades, a começar pelo Presidente da República, o MPLA mostrou que, tal como em 27 de Maio de 1977, até prova em contrário todos os que discordam dele são culpados e que, na sua “democracia” e no seu “Estado de Direito”, primeiro mata-se e depois interroga-se. Uma vergonha! Mais uma! Face aos acontecimentos ocorridos no dia 30 de Janeiro de 2021, na Vila de Cafunfo, Município do Cuango, Província da Lunda-Norte, o Secretariado Executivo do Comité Permanente da…

Leia mais

Multi(re)plicar promessas

Angola prevê ter concluído em Novembro o Polo de Desenvolvimento Diamantífero de Saurimo, um investimento de 68 milhões de euros que está a ser construído na província da Lunda Sul, contando com quatro fábricas de lapidação de diamantes. Na ausência de racionalidade económica, o Governo anuncia o que já fora anunciado, acrescenta-lhe umas vírgulas e, assim, vende gato por lebre. A estrutura foi aprovada pelo despacho presidencial nº36/19, de 25 de Março, foi apresentado hoje, em Luanda, numa cerimónia presidida pelo ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás angolano. Em…

Leia mais

E os activistas das Lundas?

“A Human Rights Watch (HRW) e a Amnistia Internacional, são duas organizações de defesa dos Direitos Humanos, mais respeitados do mundo a par do Alto Comissariado da ONU dos Direitos Humanos, com sede em Genebra, que em muitas ocasiões advertem com os seus veemente apelos às autoridades angolanas no que respeita as violações aos Direitos Humanos e os abusos de poder sobre activistas angolanos, mas na verdade esquecem de falar das atrocidades nas Lundas”, acusa o Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe. Em comunicado, o Movimento diz que “os activistas políticos…

Leia mais

Seguranças privados continuam a… matar

Pelo menos duas pessoas morreram e três ficaram feridas, na província da Lunda Norte, na sequência de disparos de armas de fogo efectuados por um agente da segurança privada e um da polícia nacional, disse hoje fonte policial. Segundo o comunicado de imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior, o facto ocorreu na madrugada de domingo, na localidade de Calonda, município do Lucapa. A primeira vítima mortal foi um garimpeiro alvejado por disparos de um agente de uma empresa de segurança privada, por alegadamente este ter invadido um espaço…

Leia mais

Enquanto o Povo lapida…
os seus donos (de)lapidam!

O Governo angolano vai construir uma fábrica de lapidação de diamantes na província diamantífera da Lunda Sul, no leste de Angola, num negócio de 79,31 milhões de dólares (70,6 milhões de euros). É, com certeza, um enorme contributo para a criação dos novos 500 mil empregos prometidos pelo MPLA e, igualmente, para a redução dos nossos 20 milhões de pobres. A medida surge no âmbito da promoção de esforços para “fomentar a lapidação de diamantes brutos extraídos no país, bem como a sua comercialização para o mercado interno e externo”,…

Leia mais

Donos dos diamantes “amordaçam” os sobas

O poder tradicional dos sobas angolanos nas Lundas nada pode fazer contra o das diamantíferas, que expulsam as comunidades locais de terrenos seculares e põem em causa todo o desenvolvimento agrícola das duas regiões. E que diz o Governo? Nada. A razão da força (do dinheiro) continua a derrotar em toda a linha a força da razão (dos direitos). Os lamentos foram feitos à agência Lusa por duas das principais autoridades tradicionais que reinam em comunidades nas lundas Norte e Sul, em que destacaram a falta de acesso à terra,…

Leia mais

Liberdade de culto ou islamofobia?

Pelo menos 39 mesquitas foram encerradas pelas autoridades angolanas na província da Lunda Norte, indicou fonte da comunidade islâmica, afirmando que 10.000 muçulmanos estão, há um mês, “sem exercer o direito de culto” no leste de Angola. “I nfelizmente, estão encerradas no total 39 mesquitas. A maior parte foi encerrada em 2018 e este ano foram mais duas. Não estamos a rezar nas mesquitas e estamos impedidos de fazer os cultos”, disse à Lusa o secretário da comunidade islâmica na Lunda Norte, António Muhalia. Segundo o responsável, que considera a…

Leia mais