Crimes? A China resolve!

O ministro do Interior de Angola, Eugénio Laborinho, admitiu hoje, na China, que o país tem ainda algumas dificuldades na prevenção e combate ao crime, pelo que pede a colaboração daquele país no domínio da segurança pública. Bem pensado. Desde logo porque a China é o país que mais aplica a pena de morte em todo o mundo e executou, em 2017, mais condenados do que todos os outros países juntos, segundo a Amnistia Internacional. Segundo uma nota do Ministério do Interior de Angola, Eugénio Laborinho deslocou-se à China para…

Leia mais

Faça algo de digno pela Lusofonia… Demita-se!

O escritor equato-guineense Juan Tomás Ávila Laurel disse, em entrevista à agência Lusa, que existe uma “pena de morte oficiosa” na Guiné Equatorial que não acabará, defendendo que o Presidente Obiang jamais cumprirá as exigências da comunidade lusófona. Talvez por isso é que o secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Francisco Ribeiro Telles, felicitou agora o presidente da Guiné Equatorial pelo 51.º aniversário da independência do país, desejando que continue no caminho do desenvolvimento. “P ara o público e para a Comunidade de Países de Língua…

Leia mais

Só o dinheiro conta!

O presidente da Confederação Empresarial da CPLP (um emblemático elefante branco), Salimo Abdula, defende que a Guiné Equatorial não deve ser afastada da organização e estão preocupados com posições públicas de governantes sobre aquele país-membro. É muito mais fácil e rentável negociar com ditaduras do que com regimes democráticos. E o resto que se lixe. “T ivemos uma reunião da comissão executiva da confederação e falamos sobre este assunto e, mesmo alguns elementos representantes de Portugal, mostraram-se muito preocupados por afirmações vindas de governantes de Portugal” relativamente à Guiné Equatorial,…

Leia mais

Siga a pena de morte

O reino esclavagista de Teodoro Obiang, também conhecido por Guiné Equatorial, acaba de passar um (mais um) monumental atestado de estupidez aos restantes membros da Comunidade de Países de Língua (mais ou menos) Portuguesa – CPLP. Tudo normal, portanto. De cócoras, cantando e rindo, eles lá vão… levados, levados sim! Por Orlando Castro Assim o reino de Obiang (amigo íntimo de José Eduardo dos Santos) diz que está disposto a abolir “imediatamente” a pena de morte mas só quando for encontrado um “modelo adequado” que tenha em conta o contexto…

Leia mais

CPLP, ONU e… Obiang

O futuro secretário-geral da ONU, António Guterres, disse confiar que a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) poderá desempenhar “um papel positivo” quanto à pena de morte, em relação à qual a Guiné Equatorial impôs uma moratória. Por Norberto Hossi “Apena de morte está espalhada em todos os continentes ainda, infelizmente. Mas tenho confiança que a CPLP possa desempenhar um papel positivo neste domínio”, defendeu o próximo responsável da Organização das Nações Unidas, em declarações aos jornalistas, em Brasília, antes de ser recebido pelo Presidente brasileiro, Michel Temer, no…

Leia mais

O cómico nanismo português

Portugal transmitiu hoje à Guiné Equatorial que considera “muito necessário” que este país “conclua definitivamente” a abolição da pena de morte e dê passos evidentes na democratização política e na adopção do português, antes da próxima cimeira da CPLP. Teodoro Obiang dever ter-se fartado de rir. Aliás, como acontece com o regime angolano, deve ter perguntado: Mas quem é que Portugal julga que é? A posição portuguesa foi hoje transmitida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, ao seu homólogo da Guiné Equatorial, Agapito Mba Mokuy, durante um encontro…

Leia mais