DITADORES SÃO ALÉRGICOS AOS DIREITOS HUMANOS

Enquanto as autoridades da Guiné Equatorial detinham mais activistas políticos, entre os quais Joaquín Eló Ayeto, coordenador da plataforma Somos+ por comemorarem o Dia dos Direitos Humanos, as autoridades do MPLA/Angola proibiam uma manifestação sobre o mesmo assunto e assassinavam a sangue-frio uma zungueira, de seu nome Raquel Kalupe. Tudo normal nestas duas… ditaduras. egundo um dos seus advogados, o activista Joaquin Eló Ayeto, uma das vozes mais respeitadas do país em matéria de direitos humanos e coordenador da plataforma Somos +, foi detido no domingo à tarde e, desde…

Leia mais

SEXTO MANDATO PARA… OBIANG

A campanha eleitoral para as eleições gerais na Guiné Equatorial, agendadas para dia 20, arranca hoje, nas quais o Presidente, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, no poder desde 1979, tem garantido novo mandato – o sexto – para os próximos sete anos. Em caso de alguma dificuldade basta pedir ajuda à CNE (MPLA) ou ao Tribunal Constitucional (MPLA)… Teodoro Obiang concorre ao sexto mandato, pela quinta vez contra Buenaventura Monsuy Asumu, que dirige o Partido da Coligação Social Democrata (PCSD), um partido próximo do regime e aliado crónico do Partido Democrático…

Leia mais

COMO QUEM MORRE É O POVO…

O chefe da diplomacia angolana, Téte António, entregou uma mensagem do Presidente de Angola, João Lourenço, ao seu homólogo da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mbasogo, em que expressa a importância equato-guineense na região do golfo da Guiné. Segundo um comunicado oficial, que cita declarações de Téte António à imprensa no final do encontro, Angola considera a Guiné Equatorial “um motor importante na região e no continente africano e, ao mesmo tempo, também é uma oportunidade para trocar impressões com o [Presidente] Obianga Nguema Mbasogo sobre questões regionais, uma vez que…

Leia mais

Obiang assume-se como rei do… bordel

O Presidente da Guiné Equatorial disse hoje que a comunidade lusófona (a CPLP, mais exactamente) não pode continuar alheada da situação de violência armada na província moçambicana de Cabo Delgado, sublinhando que uma “família de irmãos” deve regular-se pela solidariedade. Teodoro Obiang já fala como dono do  bordel e, afinal, até tem razão. “A nossa organização não deve permanecer alheia a esta tragédia, que ultrapassa a dimensão de simples conflito interno”, disse Teodoro Obiang, assinalando que Moçambique está a ser palco de “agressões perpetradas, programadas e financiadas a partir do…

Leia mais

Uma orgia (+ ou -) em português

O Presidente da Guiné Equatorial, paradigma do que não é uma democracia e um Estado de Direito, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, corta hoje a fita da hipocrisia de uma espécie de cimeira lusófono em que participam 250 empresários de Portugal, Moçambique, Angola e Cabo Verde em Malabo. É a primeira cimeira de negócios promovida pela Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP). São Tomé e Príncipe estará representado ao mais alto nível com a presença do Presidente da República, Evaristo Carvalho, que com o anfitrião, Teodoro Obiang,…

Leia mais

Picareta assobiante sob as ordens do maestro Obiang

O comité de Direitos Humanos das Nações Unidas (OHCHR) manifestou hoje, em Genebra, preocupações com a permanência da “corrupção generalizada” na Guiné Equatorial (“país” que integra a CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa), recomendando a intensificação dos esforços no combate a fenómenos como o branqueamento de capitais. O comité registou a adopção (em tese) de medidas de luta contra a corrupção, incluindo a ratificação da convenção das Nações Unidas sobre o assunto, a criação do Tribunal de Contas e do Comité Nacional de Coordenação das políticas de luta…

Leia mais

Só o dinheiro conta!

O presidente da Confederação Empresarial da CPLP (um emblemático elefante branco), Salimo Abdula, defende que a Guiné Equatorial não deve ser afastada da organização e estão preocupados com posições públicas de governantes sobre aquele país-membro. É muito mais fácil e rentável negociar com ditaduras do que com regimes democráticos. E o resto que se lixe. “T ivemos uma reunião da comissão executiva da confederação e falamos sobre este assunto e, mesmo alguns elementos representantes de Portugal, mostraram-se muito preocupados por afirmações vindas de governantes de Portugal” relativamente à Guiné Equatorial,…

Leia mais

CPLP continua a gozar com a nossa chipala

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), sobretudo devido ao incremento (ou será excremento?) dado pela Guiné… Equatorial, tem estado na ribalta.Cabe a Portugal escolher, até Junho, o próximo líder da organização, sendo Vítor Ramalho (um ilustre “militante” do MPLA) um dos nomes apontados. Por Orlando Castro Segundo o saudoso Vasco Graça Moura, na altura presidente do Conselho de Administração da Fundação Centro Cultural de Belém, “a CPLP é uma espécie de fantasma que não serve para rigorosamente nada, que só serve para empatar e ocupar gente desocupada”. Seja…

Leia mais

Petróleo torna suíços amigos íntimos do ditador Obiang

Os intermediários financeiros suíços são os maiores compradores de petróleo da Guiné Equatorial, tendo ficado com 90 mil barris por dia em 2011 e 2012, segundo o Instituto de Governação dos Recursos Naturais, uma organização não-governamental na Suíça. “Na Guiné Equatorial, as companhias suíças são os maiores compradores de petróleo ao Governo. Os dados identificados sugerem que a companhia nacional do petróleo, a GEPetrol, vendeu pelo menos 90 mil barris de petróleo por dia em 2011 e 2012″, lê-se no relatório com o título ‘Big Spenders — Swiss trading companies, African oil and…

Leia mais

Human Rights Watch “preocupada” com direitos humanos na Guiné Equatorial

A organização Human Rights Watch (HRW) reconheceu estar “preocupada” com o desempenho da Guiné Equatorial em matéria de direitos humanos, considerando que o país não cumpriu com “importantes recomendações” internacionais. Na sequência da revisão periódica universal do Conselho de Direitos Humanos (CDH), realizada em Genebra (Suíça), a organização internacional de defesa dos direitos humanos frisa, em comunicado, estar “profundamente preocupada”, nomeadamente porque a Guiné Equatorial não cumpriu com “a decisão de não tolerar a tortura e a detenção arbitrária”. Na análise feita pelo CDH em 2009, a Guiné Equatorial, país…

Leia mais