Buracos comeram as estradas

A Sonangol, petrolífera estatal angolana, rejeitou hoje que exista falta de combustível em algumas províncias do país, entre as quais Zaire, Lunda Norte e Lunda Sul, atribuindo a dificuldade em repor alguns produtos ao mau estado das estradas. Por outras palavras, dificuldades em repor não significa falta… Em declarações emitidas pela rádio pública de Angola, o porta-voz da Sonangol, Dionísio Rocha, referiu que o ciclo de importação de combustíveis está a funcionar de acordo com as previsões da empresa, garantindo que há combustível suficiente para o país, país suficiente para…

Leia mais

Torneira sem água

O sector das águas executou apenas, nos últimos cinco anos, 18 por cento dos projectos que submeteu a concurso no país, sendo que a maioria destes sistemas de abastecimento de água à população foram suportados por linhas de financiamentos externas, afirma o secretário de Estado das Águas, Lucrécio Costa. E assim vai o reino. Apesar de o país ter disponibilidade hídrica, a fraca capacidade de investimento por falta de financiamento, constitui o maior constrangimento para a execução dos concursos e empreitadas no país, justificou o Lucrécio Costa no espaço a…

Leia mais

Há mais Angola para além
de Luanda. Uau! Quem diria?

O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, Diamantino de Azevedo, orientou hoje o Instituto Regulador dos Derivados de Petróleos (IRDP) a identificar as áreas do país que não possuem postos de abastecimento de combustíveis, para a sua rápida instalação. Afinal, 43 anos depois da independência, o MPLA criou um novo instituto que irá concluir que também existe país para lá dos grandes centros populacionais. Diamantino de Azevedo, que intervinha no acto de posse do corpo directivo do IRDP, realçou que Angola está num processo de contínua liberalização do…

Leia mais

Dívida pública. 70,8% do
PIB em 2018, 67% em 2017

O Governo angolano estima fechar 2018 com um endividamento público de 77.300 milhões de dólares (65.100 milhões de euros), equivalente a 70,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país para este ano, excluindo – note-se e anote-se – a dívida da petrolífera estatal Sonangol. A informação consta do prospecto da emissão de ‘eurobonds’ (ou euro-obrigações) de 3.000 milhões de dólares (2.500 milhões de euros), a 10 e 30 anos e com juros acima dos 8,2% ao ano – concretizada pelo Estado angolano este mês -, que foi enviado aos investidores.…

Leia mais

Água potável? O que é isso?

Cerca de metade dos agregados familiares (47%) angolanos não tem acesso a fontes de água potável e muitas crianças passam horas a caminhar diariamente para aceder a esse líquido, segundo a UNICEF. Segundo o ministro angolano da Energia e Água, João Baptista Borges, cerca de 60% da população em Angola, estimada em mais de 28 milhões de habitantes, tem acesso a água potável. João Baptista Borges disse, à margem do 8º Fórum Mundial da Água que decorre no Brasil, que a principal preocupação do Executivo é aumentar a taxa de…

Leia mais

Sem água e à luz da lanterna

Mais de metade dos cerca de 5,5 milhões de agregados familiares de Angola, um país que é um dos maiores produtores africanos de petróleo e tem como Presidente da República o mesmo cidadão desde 1979, não têm acesso a água “apropriada” para beber e 31,6% têm nas lanternas a forma de iluminação. As conclusões resultam da análise da Lusa aos números do censo angolano, realizado em 2014, mas cujos milhares de dados definitivos só foram divulgados na semana passada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano. O levantamento entende por…

Leia mais

Dia da água, dia de promessas

Quarenta anos depois da independência, 14 anos depois de alcançada a paz, o Governo de Angola diz que quer duplicar o abastecimento de água a Luanda, província com mais de 6,5 milhões de habitantes, e levar a água potável a mais 1,5 milhões de pessoas que moram em áreas rurais até 2017. As metas foram reforçadas pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, nas comemorações do Dia Mundial da Água, que hoje se assinala, sendo a falta de acesso a água potável por parte das populações mais carenciadas…

Leia mais

Água procura-se!

O Governo angolano pretende procurar reservatórios de água subterrâneos em zonas desérticas para minimizar os efeitos dos sucessivos ciclos de estiagem que têm afectado sobretudo o sul do país. A posição foi assumida pelo ministro da Energia e Águas de Angola, João Baptista Borges, na 59ª sessão da conferência geral da Agência Internacional de Energia Atómica, que está a decorrer desde segunda-feira em Viena, na Áustria. “Angola enfrenta também problemas geológicos, como a erosão dos solos e períodos cíclicos de estiagem nas áreas desérticas do país”, apontou o governante na…

Leia mais