Contas da ONU: “23,9% dos angolanos passam fome”

Pelo menos 40 mil alunos estão afectados pela seca nos municípios dos Gambos, Jamba, Matala, Quipungo, Quilengues, Caconda e Lubango (Huíla), enfrentando dificuldades de acesso à comida e água, sendo que alguns desistiram de estudar, afirma a directora do gabinete provincial da Educação, Paula Joaquim. João Lourenço não ouviu. Estava a caminho do Nova Iorque. Paula Joaquim falava no final de um encontro com responsáveis da educação de quatro províncias da região sul afectadas pela seca, com o secretário de Estado para o Ensino Pré-escolar e Geral, Pacheco Francisco, com…

Leia mais

MPLA quer os 20 milhões de pobres a ajudar os pobres!

O Presidente angolano, João Lourenço, apelou, através da sua conta no Twitter, à contínua busca de apoios para os milhares de sinistrados da seca no sul do país. Consta que também o Presidente do MPLA e o Titular do Poder Executivo já manifestaram a sua concordância… Segundo o chefe de Estado, o momento crítico para o Sul de Angola avizinha-se (Julho, Agosto e Setembro), pelo que os milhões de angolanos devem continuar solidários, para salvar vidas naquelas comunidades. “Seja solidário, doe o que pode”, escreveu João Lourenço. Que se saiba,…

Leia mais

MPLA inventou agora o que
os Tugas já faziam em… 1958

O governador da província da Huíla, João Marcelino Tyipinge, apelou hoje ao Presidente João Lourenço para a construção de represas e barragens como forma de minimizar as consequências da seca que afecta o sul de Angola. Nova descoberta da pólvora? Para o MPLA, sim. Mas é a mesma que os portugueses já tinham descoberto em 1958… O apelo foi feito no Lubango, capital da província da Huíla, na abertura da sétima reunião ordinária da Comissão Económica do Conselho de Ministros, orientada pelo chefe de Estado, a terceira descentralizada da actual…

Leia mais

Como Angola é país pobre,
a Unicef vai dar uma ajuda

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) precisa de quase 12 milhões de euros para apoiar as populações no sul de Angola, onde mais de 700 pessoas estão sem acesso a água potável, devido à seca prolongada. Ainda bem que a Unicef sabe que Angola é um país pobre (é isso não é, presidente João Lourenço?) e que sem essa ajuda externa não será possível salvar muitos dos nossos cidadãos. Aliás, ainda hoje se ficou a saber que o Governo angolano prevê gastar este ano 19.500 milhões de…

Leia mais

Seca? Então? Venha daí o kumbu e o resto se verá…

A União Europeia disponibilizou 65 milhões de euros para desenvolver em três províncias do sul de Angola, afectadas pela seca, um projecto para o reforço da segurança alimentar e nutricional, que deverá arrancar em 2018. Bem disse em 1 de Setembro de 2014 o chefe da diplomacia de Angola. Georges Chikoti, recorde-se, disse ser necessário “reflectir-se” sobre o futuro da parceria entre o grupo África, Caraíbas e Pacífico e a União Europeia, assim como a abertura a outros entendimentos. Por outras palavras, ou a Europa deixava de chatear com essas…

Leia mais

ONU dá milhões para, dizem, combater a seca

As Nações Unidas doaram a Angola 8,2 milhões de dólares para executar um projecto de combate às alterações climáticas na província do Cunene, que enfrenta há vários anos uma seca severa. Como gestor de um país “pobre”, José Eduardo dos Santos agradece. Aministra do Ambiente angolana, Fátima Jardim, e o Coordenador residente das Nações Unidas em Angola, Pier Paolo Balladelli, assinaram hoje o Memorando de execução do Projecto de Resiliência às Alterações Climáticas na Bacia Hidrográfica do Rio Cuvelai. O projecto, a ser desenvolvido até 2019, visa ajudar – se…

Leia mais

As focas que se cuidem

O Governo angolano voltou a permitir a captura de focas no país em 2016, tal como no ano anterior, segundo a regulamentação para a actividade de pesca. A medida está prevista no documento sobre a gestão das pescarias marinhas, da pesca continental e da aquicultura para o ano de 2016, que entrou em vigor a 15 de Janeiro e que define ser “permitida a captura de focas como forma de assegurar a gestão racional e sustentável dos recursos biológicos aquáticos”. “Devem ser organizados programas de monitorização em conformidade com as…

Leia mais

Água procura-se!

O Governo angolano pretende procurar reservatórios de água subterrâneos em zonas desérticas para minimizar os efeitos dos sucessivos ciclos de estiagem que têm afectado sobretudo o sul do país. A posição foi assumida pelo ministro da Energia e Águas de Angola, João Baptista Borges, na 59ª sessão da conferência geral da Agência Internacional de Energia Atómica, que está a decorrer desde segunda-feira em Viena, na Áustria. “Angola enfrenta também problemas geológicos, como a erosão dos solos e períodos cíclicos de estiagem nas áreas desérticas do país”, apontou o governante na…

Leia mais

Seca afecta 1,8 milhões de pessoas no sul de Angola

Seca afecta 1,8 milhões de pessoas no sul de Angola - Folha 8

A seca que tem vindo a afectar o sul de Angola está a obrigar à realização de centenas de furos para captação de água, como solução de “emergência”, revelou hoje o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges. Em causa está a estiagem vivida sobretudo nas províncias do Kunene, Kuando Kubango, Huíla e Benguela, desde 2012, que está a obrigar à intervenção do Executivo em colaboração com os governos provinciais. “São soluções de emergência. Neste momento mais de 200 furos estão a ser feitos em cada uma dessas províncias”,…

Leia mais