QUEM ASSIM FALA NÃO É GAGO MAS É DESONESTO

O Governo ouviu dizer que ficava bem falar da política de desenvolvimento do território, procurando mecanismos para reduzir as assimetrias existentes nos territórios menos desenvolvidos. Vai daí, pôs o ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, a dissertar sobre o assunto. Ao discursar na abertura do Conselho Nacional do Ordenamento do Território, que junta técnicos de vários sectores, para encontrar soluções definitivas (que há 46 anos fogem dos peritos do MPLA) sobre a problemática do ordenamento do território, Manuel Nunes Júnior reconheceu que o sistema urbano existente…

Leia mais

A lição (mais uma) de Cabo Verde

O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, afirmou, nas Nações Unidas, que a “primeira prioridade” do arquipélago é “combater” a pandemia de Covid-19 e pediu mais atenção aos problemas dos pequenos Estados insulares. “Na presente conjuntura, a primeira prioridade de Cabo Verde é combater a pandemia de Covid-19. Ganhos importantes e consistentes têm sido registados, tanto na redução das taxas de transmissão, quanto na taxa de vacinação da população elegível, que já atingiu os 74%, com pelo menos uma dose, sendo nossa meta atingir 85%, da população elegível, totalmente…

Leia mais

Um dia destes, um destes dias!

A produção agrícola em Angola cresceu mais de 5 por cento em 2020, face ao ano de 2019, revelou agora o Ministro da Agricultura e Pescas, António Francisco de Assis. “Este crescimento ainda é pouco para aquilo que o país precisa, apesar dos resultados positivos assinaláveis”, admitiu o ministro. Recorde-se, entre múltiplos exemplos, que ainda recentemente (11 de Fevereiro de 2021) o Banco Alimentar Mundial (BAM) anunciou que ia disponibilizar a Angola 60 milhões de dólares (49,4 milhões de euros), com o objectivo de financiar o aumento da produção agrícola…

Leia mais

Sim, não, talvez, antes pelo contrário, todavia…

O Governo angolano anunciou que vai financiar 270 cooperativas agrícolas e que “tem condições para financiar mais”, no âmbito da reanimação do cooperativismo em Angola, com vista a impulsionar a cadeia logística. Será desta que vamos reduzir a cratera que separa 2021 de… 1974? A informação foi transmitida pelo secretário de Estado para a Economia, Mário Caetano João, garantindo que “há condições para financiar mais cooperativas agrícolas” para “ir ao encontro da necessidade de se reanimar o cooperativismo” no país. O Ministério da Economia e Planeamento angolano e a UNACA…

Leia mais

Países ricos, povos pobres

O economista-chefe do Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank) defendeu hoje, em entrevista à Lusa, que os investidores europeus devem alinhar a percepção com a realidade em África, considerando que as perspectivas são positivas. “África está a tornar-se mais resiliente, lançou reformas muito difíceis, há dois meses a Nigéria cortou subsídios em plena pandemia, e os investidores europeus (portugueses incluídos) têm de alinhar a percepção que têm do continente com a realidade que existe hoje”, defendeu Hippolyte Fofack. “As percepções sobre o continente estão atrasadas relativamente à realidade e…

Leia mais

França quer ensinar a pescar. China apenas “dá” peixe…

O Governo francês anunciou hoje uma mudança estratégica na assistência ao desenvolvimento dos países africanos, em resposta ao aumento da influência política e económica da China neste continente, na qual privilegia as questões ambientais e sociais. “É inconcebível dar rédea solta aos novos actores que vemos empenhados no campo da ajuda ao desenvolvimento”, assumiu o ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, numa conferência de imprensa onde esteve também o seu homólogo da Economia, Bruno Le Maire, realizada em Paris no final do primeiro conselho presidencial dedicado especificamente à ajuda…

Leia mais

“Procultura” para PALOP e Timor

O Instituto Camões escolheu o Dia da Música para apresentar hoje um “projecto inédito” que pretende criar 800 novos empregos nas áreas da música, artes cénicas e literatura infanto-juvenil nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e Timor-Leste, metade dos quais para mulheres. A iniciativa, hoje apresentada em Lisboa, vai permitir, pela primeira vez, que entidades de direito público ou privado a operar no sector cultural nos PALOP e Timor-Leste se candidatem a subvenções até 7,8 milhões de euros. “É um projecto pioneiro, os olhos europeus estão em nós”,…

Leia mais

Tudo graças a Neto

O Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM) vai assinalar os seus 115 anos de existência com um memorial para homenagear as 18 pessoas que morreram na sequência de um acidente ocorrido em 2018, no município da Bibala, província do Namibe. Só falta agora que os historiadores do regime nos venham dizer que o CFM foi fundado pelo MPLA e graças à visão do seu herói, Agostinho Neto… Angola foi, até ao início dos anos sessenta do século passado, essencialmente um reservatório de matérias-primas por explorar, como um diamante em bruto que esperava…

Leia mais

Governo diz que vai fazer
o que promete desde 1975

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, afirmou hoje que Angola quer subir 15 posições no “ranking” Doing Business (que realiza uma análise do ambiente de negócios em 190 economias) até 2022, uma “decisão firme” para a qual conta com a ajuda do Banco Mundial. No ano passado, o país caiu quatro lugares no relatório Doing Business, passando da 173ª para a 177ª posição no conjunto dos 190 países analisados. A avaliação do Banco Mundial inclui critérios como facilidade em abrir um negócio, obter licenças de construção, registar uma…

Leia mais

Quem não sabe o que faz…

A Procuradoria-Geral da República (PGR) angolana anunciou a apreensão de mais de mil imóveis inacabados, bem como edifícios e estaleiros “construídos com fundos públicos” que se encontravam na posse do China International Fund. Não será antes um investimento privado em terrenos públicos, como há cerca de um ano considerou o governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova? Tiro nos pés ou só um suicídio? Angola, República do Congo e Nigéria deverão ter menor procura da China, mas isto não significa um desinvestimento da China no continente africano. O investimento chinês cresceu…

Leia mais