Ditadura na Imprensa banha os três anos

A liberdade de expressão está em cheque. A liberdade de imprensa caminha velozmente para o precipício. O cenário actual é dramático, quando se esperava uma inversão, principalmente depois do Presidente da República ter idolatrado maior liberdade e pluralidade de informação, com a redução de meios de comunicação social, da esfera privada, mais jornalistas desempregados e, pasme-se, unanimismo informativo. TV Zimbo, TV Palanca, O País, Expansão, Rádio Mais, Rádio Global, agora convertidos à idolatria do DDT (Dono Disto Tudo). Por William Tonet Daí ser hora de se perguntar: Que liberdade de…

Leia mais

A casa da mãe joana

João Lourenço vai coordenar o novo modelo de governação do sector mineiro, que prevê também a redução da presença directa do Estado na actividade económica mineira. Por não encontrar no MPLA, seu exclusivo arsenal de especialistas, gente que tivesse o cérebro fora do intestino (grosso), lá teve ele de assumir o dossier. E para ajudar à festa, Elsa Maria Pires Lopes dos Santos Lourenço, recém nomeada Secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher, não aceitou participar na tomada de posse que teve lugar hoje, porque foi nomeada…

Leia mais

Como é vontade do MPLA,
no seu reino tudo é coxo

A Polícia do MPLA (que deveria ser nacional e, portanto, de todos) reconheceu esta sexta-feira que o seu sistema de segurança pública “é defeituoso”, e que apesar de acções de prevenção e combate à criminalidade, o mesmo deve ter como suportes a reacção e prevenção primária. Se o governo que tem sido desde 1975 do mesmo partido, o MPLA, é ele próprio “defeituoso”, como é que a Polícia não o seria também? “O problema está exactamente por nós termos um sistema de segurança pública coxo, porque o sistema devia assentar…

Leia mais

Ascensão e queda de um país

Mesmo os governos mais sólidos, assim como os corpos mais saudáveis, têm células responsáveis pela sua destruição e metabolitos oxidantes que nem uma dieta exclusiva de frutos vermelhos poderia eliminar totalmente, quando muito adiar a morte. No fundo, grossus modus, cada ano que corpo e governo vão vivendo corresponde a menos um que têm para viver. Por Brandão de Pinho No caso da Administração de Angola como um todo, a reacção por parte das minorias criativas, chamemos assim à corte que o Rei Eduardo I criou, a dada altura, mesmo…

Leia mais

Versão recauchutada da saga o “escolhido de deus”

Os angolanos (a maioria) assistem, impávidos e serenos ao desnorte do governo, perdão, a Constituição no art.º 120.º exclui esta figura, elegendo a de Titular do Poder Executivo, qual semelhança com as monarquias absolutas, de triste memória. É o dono exclusivo do reino, da verdade, da inteligência, das ideias e das leis ditatoriais e discriminatórias. O representante de deus numa terra partidocrata. Por William Tonet Os “homens da vez” (bajús), consideram estar o actual ciclo executivo no início e, de o longevo consulado de Dos Santos, ter deixado marcas profundas…

Leia mais

Visão neocolonial do MPLA

O partido no poder, MPLA numa clara visão neocolonial continua de mãos dadas com uma abjecta e persistente incoerência histórica. Por um lado, diz ser Angola independente de Portugal e constituir um novo ente jurídico internacional, no concerto das nações mundiais, desde 11 de Novembro de 1975, quando abdicou, “de jure” de ser província, para se converter em República Popular de Angola. No entanto, “de facto” a realidade é diferente, em função dos complexos da maioria dos altos dirigentes do MPLA, que por tudo e por nada, adoptam e copiam…

Leia mais

Nação não, sim reino do MPLA

O MPLA e a sua liderança, enquistada nos ensinamentos perenes e nobres dos tempos de partido único, engravidada pelas não menos nobres qualidades da ditadura, corrupção, branqueamento e exploração de escravos, continua a mostrar que se está nas tintas para a democracia. E tem razão. Por Orlando Castro A democracia foi, segundo o seu presidente, imposta. E para derrotar tudo o que é imposto, dizem que a luta continua e a que a vitória é certa. E essa luta faz-se contra um Povo que, consideram, por ser ignorante continua a…

Leia mais

A “pulhícia” do reino

A “Pulhícia” Nacional (pulha = vil, desprezível, torpe, indecente) emitiu um comunicado sobre a morte de mais uma inocente, negligenciada por não ter o curso de electrotecnia, sem a possibilidade de ser (di)Gerente ou Presidente de empresas de “pitrol”. Por Domingos Kambunji Um dia, quando a pulhícia disser a verdade o pessoal não vai acreditar. A “curtura” reinante na sociedade é de a “pulhícia” poder matar, depois pedir ao cidadão para se identificar e, finalmente, dar ordem de prisão por o cidadão não respeitar as ordens superiores da autoridade, por…

Leia mais

Um brinde à santa… Isabel

A nova fábrica de Isabel dos Santos (sim, é a filha de Eduardo dos Santos, PCA da Sonangol e também dona de tudo quanto dá dinheiro em Angola) traz a Sagres para Angola e vai produzir a Luandina. A nova fábrica da princesa herdeira do trono vai produzir a partir de 2017, em Luanda, a cerveja Sagres e uma nova marca angolana também de cerveja. A Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA) é a mais nova empresa de produção e distribuição de bebidas em Angola foi apresentada em…

Leia mais

“Reinografia” (im)perfeita

No seu discurso que marcou o arranque de mais um ano legislativo, o Presidente da República (no poder há 37 anos e nunca nominalmente eleito), José Eduardo dos Santos, fez uma radiografia perfeita sobre aquilo que é o actual estado do seu reino. Quanto à Nação Angolana, passou ao lado. Por Óscar Cabinda Um reino que é, como o Presidente teve ocasião de bem sublinhar, marcado por uma conjuntura económica adversa, fruto de um contexto internacional desfavorável para quem tem alergia mortal à democracia e ao Estado de Direito. Não…

Leia mais