Sarna, raiva, malária, são eterno património do MPLA

No Cunene, 416 casos de escabiose, doença conhecida popularmente por sarna, foram registados de Janeiro a Julho deste ano, o que representa 199 casos a mais em relação ao igual período anterior. Por outro lado, as autoridades sanitárias no município de Nharêa, no Bié, registaram, desde o passado mês de Junho, 12 casos de munícipes mordidos por cães raivosos, dos quais três terminaram em óbitos. A informação sobre a sarna foi avançada pelo chefe do Departamento de Saúde Pública e Controlo de Epidemias do Cunene, Félix Belarmino, referindo que o…

Leia mais

Malária ajuda o turismo?

Angola, este reino que ainda agora recebeu o Fórum Mundial do Turismo e que já garantiu para 2020 o mesmo evento, registou já 1.025 óbitos por malária, de Janeiro a Maio de 2019, entre os 1.168.813 casos confirmados e 77 óbitos por sarampo, particularmente, na província da Lunda Sul, segundo o Ministério da Saúde. A malária é a principal causa de mortes em Angola (o tal reino que, segundo o presidente do Fórum Mundial do Turismo, Bulut Bagc, em termos de turismo é “virgem” e que isso a torna um…

Leia mais

A raiva veio para ficar?

Na província da Huíla 32 pessoas morreram de raiva em 2018, um aumento de 13 casos em relação a 2017, sendo a falta de vacina anti-rábica apontada como a principal causa das mortes com vítimas menores de idade. Em Novembro de 2018 , a ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, garantiu que Angola já tinha vacinas suficientes… A informação sobre os casos da Huíla foi agora avançada, no Lubango, pelo técnico provincial de vigilância epidemiológica do departamento de saúde pública na Huíla, Hélio Chiangalala. O técnico salientou que o número…

Leia mais

Operação (anti) raiva

A ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, garantiu hoje que Angola já tem vacinas contra a raiva para humanos, doença que já provocou 189 mortes em 2018, depois de uma ruptura total de stock registada este ano. Sílvia Lutucuta respondia esta segunda-feira aos deputados numa sessão de consulta aos governantes da área social, no âmbito da discussão (eufemismo formal para dar um ar democrático à já conhecida aprovação) na especialidade do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019. De acordo com Sílvia Lutucuta, o Ministério da Saúde tem uma “grande…

Leia mais

Raiva continua a matar

Pelo menos 26 pessoas morreram vítimas de raiva na província angolana do Bié ao longo do primeiro semestre deste ano, mais 12 do que em idêntico período de 2017, indicaram hoje fontes de saúde provinciais. Tudo normal, não é Senhor Presidente João Lourenço? Em declarações à Angop, no Cuito, o chefe de Departamento de Saúde Pública e Controlo Endemias local, Isaías Sambunga Cambissa, frisou que o município do Andulo lidera com 11 mortes, seguido pelo do Cuito, com seis, Chinguar e Cunhinga com três cada, enquanto Catabola, Chitembo e Nharea…

Leia mais

Cães com raiva (está bom
de ver) não são do MPLA!

Perto de 2.000 pessoas morreram em Angola afectadas pela raiva, nos últimos dez anos, com a província de Luanda, capital do país, a liderar o número de óbitos, segundo dados da Comissão Técnica contra a Raiva, hoje divulgados. Os dados revelam que entre 2007 e 2017 foram notificados 1.977 casos de mordeduras de cães vadios que resultaram em óbitos. Em finais de Fevereiro, a Comissão Técnica contra a Raiva reuniu para fazer o balanço da implementação das actividades preconizadas no Plano Nacional de Contingência e Emergência Contra a Raiva, aprovado…

Leia mais

Passividade de quem manda perante a raiva dos… cães

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou hoje, em Luanda, que o surto de raiva provocou na capital angolana, em 2016, um total de 113 óbitos, das quais 24 eram crianças com menos de cinco anos. A informação foi divulgada pelo representante da OMS em Angola, Hernando Agudelo, durante o lançamento de uma nova campanha de vacinação animal contra a raiva, que decorreu no município de Cacuaco, um dos mais populosos de Luanda e um dos mais afectados pelo surto em 2016. “Neste momento, temos um grande incremento do número…

Leia mais

Ataques de cães famintos

O aumento de casos de mordedura animal está a preocupar as autoridades sanitárias do município de Viana, arredores de Luanda, que registou nos últimos meses cinco casos de raiva, numa altura que faltam vacinas anti-rábicas em Angola. A situação foi hoje avançada pelo director municipal de Saúde de Viana, Mateus Neto, que redobrou a preocupação com a carência de vacinas em todas as unidades hospitalares da capital angolana. Segundo o responsável, que falava à Angop, nos últimos meses registaram-se cinco casos de raiva, situação preocupante, uma vez que as autoridades…

Leia mais

Mais de 160 mortes por raiva

Angola registou, desde Janeiro a Setembro do presente ano, mais de 160 mortes por raiva, segundo a informação prestada à imprensa, pela bastonária da Ordem dos Médicos Veterinário, Antonieta Baptista. Por Antunes Zongo A veterinária, que falava por ocasião do Dia Mundial de Luta Contra a Raiva que se comemorou ontem, deixou explícito que a actual situação é alarmante e a tendência, disse, é de haver nos próximos tempos, um aumento considerável de casos e mortes, por causa da falta de vacinas contra a raiva para humanos. De acordo a…

Leia mais

Raiva anda à solta

A raiva matou já este ano, apenas em Luanda, 37 pessoas, mas os últimos sete óbitos foram registados na semana passada, afirmou uma fonte do Ministério da Saúde angolano. Segundo a fonte, a falta de vacina tem sido uma preocupação, que deverá ficar resolvida nas próximas semanas, depois de uma reunião realizada quinta-feira, em Luanda, entre o Ministério da Saúde angolano e o Comité de Coordenação Inter-agências (CCI). O CCI é o conjunto de agências humanitárias das Nações Unidas e organizações de ajuda humanitária para respostas a emergências, avaliação de…

Leia mais