“OBRIGADO, PORTUGAL”

A ministra da Saúde de Angola, Sílvia Lutucuta, agradeceu hoje a Portugal pela doação de vacinas contra a Covid-19, em particular ao seu país, e aos restantes Estados-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). Quando alguns temiam que as vacinas fossem retidas para serem dadas aos ucranianos… Sílvia Lutucuta discursava na abertura da VI reunião de ministros da Saúde da CPLP, que decorre em Luanda, para entre vários assuntos realizar a passagem oficial da presidência da reunião de Cabo Verde para Angola. A governante angolana considerou imprescindível aumentar-se…

Leia mais

OBRIGADO MIA E AGUALUSA

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e o G7+, grupo de Estados frágeis, anunciaram hoje que vão reforçar a cooperação no domínio da saúde pública para acelerar a vacinação contra a Covid-19 nos seus Estados-membros. Mia Couto e José Eduardo Agualusa (e, a reboque, António Guterres), fizeram mais pela causa do que a própria CPLP. Obrigado. No final de uma reunião entre representantes das duas organizações, na sede da organização lusófona, em Lisboa, o secretário-executivo da CPLP, Zacarias da Costa, referiu que foram apresentadas diversas propostas de cooperação “no…

Leia mais

Covid-19 preocupa a UNITA

A UNITA apelou hoje ao reforço da campanha de vacinação contra a Covid-19 em Angola, bem como das medidas de biossegurança, expressando preocupação com o aumento de casos e mais de 100 mortes na última semana. Mas como é que isso se fará se o Governo não tem, diz, dinheiro para comprar as vacinas? O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA (ainda) permite que exista em Angola, salienta num comunicado a sua preocupação com o estado epidemiológico da Covid-19, mas não se mostra favorável…

Leia mais

Pandemia e golpes de estado por culpa dos… outros

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, disse hoje nas Nações Unidas que a diferença entre países na administração das vacinas contra a Covid-19 é “chocante” e defendeu a liberalização da sua produção e distribuição. “É chocante constatar-se a disparidade existente entre umas nações e outras no que diz respeito à disponibilidade de vacinas, pois essas diferenças permitem, nalguns casos, administrar-se já uma terceira dose, enquanto noutros países, como ocorre em África, a larga maioria não está sequer vacinada com a primeira dose”, disse o chefe do Estado angolano…

Leia mais

Vacinas no fim da validade e o camião do Porto para a Beira

A “task-force” da luta contra o Covid-19 em Portugal garantiu hoje que “não serão desperdiçadas” as 500 mil vacinas contra a Covid-19 que expiram em Outubro, estando programada a doação a outros países, tal como já aconteceu com mais de 200 mil doses. “Não serão desperdiçadas vacinas nenhumas”, garantiu hoje o vice-almirante Gouveia e Melo à margem da visita ao Centro de Vacinação de Loures. Em causa está a proximidade do fim da validade de cerca de 500 mil vacinas da Astrazeneca que o responsável da “task-force” explicou que vão…

Leia mais

A sapiência do mestre João Lourenço

O Presidente angolano, João Lourenço, juntou-se ao Presidente do MPLA e ao Titular do Poder Executivo num apelo à união de esforços entre todos os países africanos para melhor explorarem os mecanismos de acesso às vacinas contra o novo coronavírus que “injustamente não estão” ao seu alcance. “O nosso continente só poderá vencer a pandemia da Covid-19 se houver a união de esforços entre todos os países africanos, no sentido de melhor explorarmos os mecanismos de acesso às vacinas que injustamente não estão ao nosso alcance”, disse João Lourenço durante…

Leia mais

Certificado para Astrazeneca de origem indiana? O MPLA resolve…

O embaixador português em Luanda, Pedro Pessoa e Costa, admitiu hoje estar preocupado com a situação dos portugueses vacinados em Angola com a vacina Astrazeneca produzida na Índia que as autoridades europeias não têm certificado. “A Astrazeneca deveria ser igual tanto a produzida na Índia como noutros sítios”, porque este é “um combate de todos”, afirmou aos jornalistas Pedro Pessoa e Costa, durante o início da administração das vacinas trazidas por Portugal na quinta-feira pela comitiva do Presidente português, que esteve presente na Conferência de Chefes de Estado e de…

Leia mais

Estaremos mesmo no bom caminho?

A representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Angola, Djamila Cabral, reiterou hoje que o processo de vacinação em curso no país está no bom caminho, cuja meta é proteger a população. Assim, quem já foi vacinado… está vacinado e, pasme-se, a finalidade é proteger a população. Quem diria? Djamila Cabral disse que Angola preparou-se desde muito cedo para receber as vacinas “e desde o dia 2 de Março que iniciou o processo de imunização e que qualidade da organização tem vindo a aumentar. A responsável considera que a…

Leia mais

Chulam África até ao tutano

O director do departamento africano do Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje que o continente enfrenta uma “divergência perigosa” face ao resto do mundo em termos de vacinas e de crescimento económico decorrente da pandemia. “A recuperação é mais anémica do que gostaríamos, temos um crescimento de 6% no mundo, e na África subsaariana é de 3,4% este ano, queríamos que fosse ao contrário, porque esta é uma divergência perigosa”, afirmou Abebe Aemro Selassie, durante a Cimeira da Paz, que decorre na véspera da realização da cimeira sobre o financiamento…

Leia mais

Quem sai aos seus…

Em Portugal, autarcas, dirigentes de lares, funcionários da segurança social e do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) estão no centro dos vários casos de vacinação indevida (vigarice) denunciados em vários pontos do país, alguns a ser alvo de inquéritos por parte do Ministério Público. É fácil aos angolanos saberem quem foram os mestres dos nossos dirigentes… O primeiro caso de vacinação a violar os critérios estabelecidos no plano nacional a ser denunciado envolveu José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, que justificou ter sido vacinado na…

Leia mais