A ilusão da miragem

O professor universitário Domingos da Cruz diz que os observadores internacionais foram “precipitados” em decretar uma mudança política em Angola, salientando que o objectivo do Presidente é manter o poder através de uma nova narrativa. Por alguma razão, recorde-se, o Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou João Lourenço pela vitória nas eleições mesmo antes de os resultados terem sido anunciados… “T erá havido uma precipitação, ao nível externo, em tirarem conclusões relativamente a Angola, foram demasiado precipitadas, rápidas, e baseadas naquilo que se chama impressão”, disse…

Leia mais

Privatizar a saúde, falir o reino e fugir com a massa

A ministra da Saúde angolana exortou hoje os técnicos do sector a eliminarem “barreiras e processos burocráticos desnecessários” para materialização de um “melhor ambiente de negócios”, para atrair investidores internos e externos. Será que ainda vamos ver Sílvia Lutucuta como ministra de Estado e do Desenvolvimento Económico e Manuel Nunes Júnior como governador da província do Cunene? “A nossa recomendação vai no sentido de aceleração e facilitação do ambiente de negócios, razão pela qual exortamos a todos os órgãos intervenientes no processo de facilitação dos negócios no sector da saúde”,…

Leia mais

A miragem (mais uma) da repatriação de capitais

A Lei de Repatriamento de capitais, aprovada mais como uma visão unipessoal do Presidente da República, João Lourenço do que uma linha programática de compromisso entre todos os actores políticos, renovada no segundo semestre deste ano, concede aos poucos angolanos, ideologicamente, identificados, no partido do regime, detentores de fortunas que tenham bens ou activos não declarados no exterior a oportunidade de regularizar essa situação. Por William Tonet É uma moratória, mas fundamentalmente, a institucionalização da lavagem de dinheiro, evitando aos dirigentes do MPLA responsabilização pelos crimes de evasão de divisas,…

Leia mais

É tudo para levar a sério?

De acordo com Eduardo Magalhães, Director Nacional de Comunicação Institucional, em artigo publicado no Jornal de Angola, “a recente garantia dada pelo Presidente da República, João Lourenço, ao líder da oposição, Isaías Samakuva, sobre a exumação e inumação dos restos mortais do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, ainda este ano, representa um sinal claro de que os compromissos assumidos e reiterados pelo Titular do Poder Executivo, perante o povo angolano aquando da sua investidura, são para serem levados a sério”. Parafraseando João Lourenço, as suas promessas são mais “conhecidas que…

Leia mais

Memória de todos também comanda a vida, a verdade

Domingos Simões Pereira, então secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) incentivou n dia 12 de Março de 2009 a criação de uma associação de jornalistas no espaço lusófono que possa contribuir para uma maior comunicação entre os Estados membros da instituição. Até pareceu uma boa ideia. E pareceu, desde logo, porque parte de um organismo que enquanto tal não existe e, é claro, porque respeita a uma profissão – veja-se o caso português – que tende a deixar de existir. À delegação que o informou sobre…

Leia mais

Escravos à ordem do rei

A organização Human Rights Watch (HRW), um mês após a condenação dos 17 activistas angolanos, afirma hoje que a liberdade de expressão em Angola é “ainda uma miragem” e denuncia as más condições prisionais no país. Nada de novo, portanto. “Os activistas terão de continuar a enfrentar as más condições nas prisões de Angola. Celas sobrelotadas, falta de água potável e violência são apenas alguns dos desafios que muitos detidos enfrentam diariamente em Angola”, escreve hoje Zenaida Machado da Divisão África num comunicado da Human Rights Watch. A organização de…

Leia mais