NINA NÃO DEIXA SAUDADES

Nina Maria Fite, a embaixadora cessante dos Estados Unidos em Angola (já foi substituída pelo diplomata, nascido na República Democrática do Congo, Tulinabo Salama Mushingi), voltou a elogiar, em Luanda, o processo de reformas económicas em curso no país. Foi suficiente para o órgão oficial do MPLA (Jornal de Angola) escrever: “EUA elogiam reformas económicas em Angola”. A diplomata americana, fez essas projecções à imprensa no termo da audiência que lhe foi concedida, na Cidade Alta, pelo Presidente da República, João Lourenço, a quem foi apresentar os cumprimentos de despedida.…

Leia mais

O teté de Téte

O novo chefe da diplomacia angolana, Téte António, afirmou hoje que vai dar continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado, privilegiando a diplomacia económica e a diáspora angolana, bem como a reforma do Ministério das Relações Exteriores. Mais do mesmo, como é natural. “A diplomacia tem de assentar numa casa organizada e funcional para ter resultados lá fora”, disse, em declarações aos jornalistas, após o acto formal da passagem de pastas com o seu antecessor, Manuel Augusto. “Estamos conscientes de que não vamos herdar o mundo que tínhamos…

Leia mais

Mais alto título da diplomacia mundial para jovem angolano

Por ocasião do 38° aniversário do Dia Mundial da Paz, que se celebra no dia 21 de Setembro, a Federação para a Paz Universal (Universal Peace Federation), com sede na Nova Iorque, Estados Unidos da América, presente em mais de 180 países, e com status consultivo no Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ONU) nomeou o jovem angolano João Kanda Bernardo para o cargo de Embaixador Supremo da Paz e cuja tomada de posse teve lugar este sábado, 7 de Setembro, na Holanda, onde o nomeado se encontrava em…

Leia mais

Mudar apenas a embalagem mas mantendo o conteúdo

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, defendeu hoje, em Luanda, uma “diplomacia com impacto real na economia e na sociedade angolana”, tendo em vista a captação de mais investimento estrangeiro para o país. Limitou-se, como bom bajulador, a repetir as ideias de João Lourenço apresentadas, por exemplo, em 15 de Outubro de 2018 na Assembleia Nacional. No discurso de abertura do VIII Conselho Consultivo do Ministério das Relações Exteriores (MIREX), sob o lema “Reforma e Formação: Uma Visão Virada para o Futuro”, Manuel Augusto considerou fundamental que…

Leia mais

A política externa de
São Tomé e Príncipe

Tendo granjeado a sua independência a 12 de Julho de 1975, deu-se a emergência de um Estado totalmente novo e inexperiente em matérias de política interna e externa, uma situação que exigia sensibilidade por parte dos seus protagonistas. Por António Viegas Bexigas Na jovem história da diplomacia de São Tomé e Príncipe, e pela sua dimensão geográfica, o país sempre se assumiu como um “micro-Estado” que, entre recuos e avanços, vem dando passos significativos no seu processo de desenvolvimento. É evidente que para tal processo de desenvolvimento, a estratégia de…

Leia mais

Há (mesmo) muito mais vida
para lá do tal… “irritante”

A propósito da contínua e acelerada peregrinação de políticos portugueses a Angola, o Folha 8 está a publicar a opinião de alguns reputados especialistas. Depois do Professor Universitário e Deputado da UNITA eleito pelo Círculo Eleitoral Provincial de Cabinda, Raul Tati, segue-se a de Eugénio Costa Almeida, Investigador angolano do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL(CEI-IUL). «O Jornal Folha 8, convidou-me a elaborar uma análise àquilo que denomina de «correria de políticos portugueses a Angola», recordando, por certo, as recentes viagens dos dois líderes oposicionistas portugueses, em contraponto a, até…

Leia mais

Até ver ainda é Deus no céu
e, claro, Santos na Terra!

O Presidente da República do MPLA (se fosse de Angola teria, necessariamente, outro comportamento), João Lourenço, qualificou hoje, em Luanda, José Eduardo dos Santos, famigerado “escolhido de Deus” e “arquitecto da Paz”, como exímio diplomata, “que conduziu, com mestria e saber, o processo de reconhecimento, pela comunidade internacional, do Estado angolano, fundado a 11 de Novembro de 1975”. João Lourenço discursava na 8ª Reunião de Embaixadores de Angola no Exterior, que decorre, até sexta-feira, em Luanda e que pretende – segundo a fidedigna informação do MPLA – alicerçar uma diplomacia…

Leia mais