OBRIGADO, CARO DIRECTOR

Em Janeiro de 2007 (sim, 2007) escrevi o texto que se segue: Perguntei hoje à minha sombra (velha companheira dos dias sem pão e dos pães sem dias) se concordava em que eu escrevesse algo a dizer que o Jornalista angolano William Tonet é o herói do verdadeiro Jornalismo em Angola. A resposta foi lapidar: “Sem dúvida” (mal fora se ela dissesse o contrário). E se estamos de acordo, é mesmo sobre isso que vou escrever. Por Orlando Castro Uma rápida consulta ao dicionário permite-me dizer que herói é “um…

Leia mais

E se o Povo acorda?

O Bureau Político do MPLA exortou hoje os angolanos a honrarem a “memória dos Heróis da Liberdade”, defendendo a paz, democracia e reconciliação nacional, encorajando o líder do partido e Presidente de Angola a prosseguir com as suas políticas. O comunicado do MPLA que assinala o Dia do Herói Nacional, feriado angolano que comemora o dia do nascimento de Agostinho Neto, primeiro Presidente após a independência de Angola, responsável pelos assassinatos de milhares e milhares de angolanos nos massacres de 27 de Maio de 1977, sublinha que o pensamento político-estratégico…

Leia mais

Agostinho Neto ao Poder, já!

O primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, foi um construtor de pontes, que lutou pela união dos movimentos de libertação nacionais para fazer frente ao colonialismo português, considera o historiador Auxílio Muhongo, citado obviamente por um dos órgãos oficiais do MPLA, no caso o Jornal de Angola (JA). Por Orlando Castro Segundo o também professor universitário, Agostinho Neto criou condições para o diálogo com os demais líderes de movimentos políticos angolanos da altura, como Holden Roberto, da FNLA, e Jonas Savimbi, da UNITA, mostrando que o inimigo comum era…

Leia mais

E os culpados? E o chefe dos massacres?

A Plataforma 27 de Maio saudou hoje o pedido de desculpas apresentado pelo Presidente angolano, João Lourenço, sobre os massacres de milhares e milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977, mas considera indispensável que se apure a autoria dos crimes cometidos. Apure? A não ser que tenha recebido “ordens superiores” a Plataforma deveria ter dado o exemplo sobre o autor: Agostinho Neto. Na versão oficial, que a Agência de Notícias de Portugal, Lusa, não se cansa de divulgar, “em causa está o dia 27 de Maio de 1977,…

Leia mais

Martin Luther King, Mandela, Gandhi? Não. Apenas Neto

Martin Luther King nasceu em 15 de Janeiro de 1929 e foi assassinado em 4 de Abril de 1968. A necessidade de maior divulgação da vida e obra de Agostinho Neto, para merecer o devido reconhecimento da juventude, foi defendida em 2018, em Luanda, pelo chefe da Educação Patriótica do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), Baltazar Diogo. O MPLA tem toda a razão. Importa não esquecer, pelo contrário, o papel de Neto nos massacres de 27 de Maio de 1977. O oficial falava durante uma visita ao…

Leia mais

BP do MPLA ou MPLA do BP?

Como guia supremo do Povo matumbo, o Bureau Político (BP) do MPLA apelou, esta quinta-feira, à união de esforços da (sua) nação face à crise económica e financeira, bem como aos constrangimentos inerentes à pandemia da Covid-19. Estão convocados todos os autóctones, sobretudo os 20 milhões de pobres que o MPLA criou nos últimos 45 anos. O apelo do BP do MPLA vem expresso numa declaração a propósito do Dia do Fundador da Nação, do Herói Mundial e que, parafraseando Luís de Camões (provavelmente também militante do MPLA), “se mais…

Leia mais

No Ruanda, Agostinho Neto diz-se Theoneste Bagosora!

O primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, é considerado pelo MPLA como impulsionador da libertação da África Austral e um defensor intransigente da luta de libertação dos povos em África e no mundo. Assim disse o docente universitário Francisco Bala Francisco, em Setembro de 2017. É, portanto, certo para o MPLA que o massacre de milhares e milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977 contribuiu para essa “libertação dos povos em África e no mundo”. Por Orlando Castro Em 2017, em declarações à Angop, a propósito da…

Leia mais

De (suposto) herói a (confirmado) vilão

A história, este irreversível movimento do tempo, não mente, dados, factos, feitos e defeitos, ainda que, por vezes, regimes, ditadores e fascistas a tentem adulterar. Em todas as épocas assiste-se ao percurso de homens com carisma, retórica ou capacidade de liderança, na mobilização dos povos, para a libertação do jugo colonial ou da tirania fascista, que, chegados ao poder, uns, se transformam, pela negativa. Alguns, até ousam, deixar obras faraónicas, outros carimbos de sangue, como marcas do consulado. Por William Tonet O MPLA, partido que sem eleições deveriam realizar-se ao…

Leia mais

O que faz sentido é homenagear os assassinos

A Plataforma 27 de Maio lembrou hoje a necessidade de resgatar a memória dos massacres (que vitimaram milhares e milhares de angolanos) levados a cabo pelo MPLA sob as ordens de Agostinho Neto em Maio de 1977, data que marca uma suposta tentativa de golpe de Estado em Angola, e de procurar “a verdade, justiça e reconciliação”. O comunicado da Plataforma 27 de Maio refere que a posição é emitida por hoje se assinalar o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados, declarado pelas Nações Unidas, com o objectivo de…

Leia mais

Herói há só um, o genocida e mais nenhum

As jornadas alusivas ao Dia do Herói Nacional do MPLA, que se celebra a 17 de Setembro, em alusão ao 98º aniversário do nascimento do primeiro Presidente de Angola, responsável pelo massacre de muitos milhares de angolanos no genocídio de 27 de Maio de 1977, António Agostinho Neto, arrancam no dia 1 de Setembro, em todo o país do MPLA. Sob o lema “Angola 45 anos: unidade, estabilidade e desenvolvimento”, com actos no país e nas missões diplomáticas e consulares de Angola, da Coreia do Norte à Guiné Equatorial, passando…

Leia mais