Água e energia são luxos. Pobres não precisam deles

A crise económica levou o Governo angolano a cortar para metade os quase 20.000 milhões de euros que previa investir no sector da energia e águas entre 2014 e 2017. Isso não evitou que, na sua visita à Europa, o Presidente João Lourenço tenha usado – segundo a Imprensa espanhola – um avião de 320 milhões de euros e um séquito gigante. ”Uma aeronave de luxo jamais vista na região”, segundo o portal de informação espanhol La Nueva España. A informação sobre este corte no investimento no sector da energia…

Leia mais

Protecção Civil para quê?

A protecção civil angolana vai receber este ano praticamente metade do valor atribuído no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2017, de acordo com a proposta do Governo que reserva para este fim, em 2018, pouco mais de 1.792 milhões de kwanzas (8,8 milhões de euros) dos cofres do Estado, o equivalente a 0,02% de toda a despesa pública. Trata-se de um corte de 42% face ao OGE de 2017, que previa um financiamento de 3.092 milhões de kwanzas (15,2 milhões de euros), equivalente a 0,04% da total da despesa…

Leia mais

Cortes de energia por falta
(é claro) de sincronização!

A capital angolana, Luanda, está a registar diariamente, nos últimos dias, cortes gerais de energia eléctrica, devido ao processo de sincronização da primeira máquina da central hidroeléctrica de Laúca às das barragens de Cambambe e Capanda. Os motivos dessas restrições foram hoje explicados pelo administrador para a Região de Luanda e zona norte da Empresa Nacional de Distribuição Eléctrica (ENDE), Hélder Adão, à margem de um seminário sobre a localização de avarias promovido pela empresa produtora e fornecedora de equipamentos eléctricos à empresa pública de electricidade. Segundo o responsável, a…

Leia mais

Luanda está às escuras?
– Sim, mas só à… noite!

Os empresários de Luanda começam a desesperar com os custos acrescidos com combustível para os geradores, de dezenas de euros por dia, necessário para manter o negócio a funcionar, face às poucas horas diárias de electricidade da rede pública. Há mais de um mês que a capital angolana regista restrições diárias no fornecimento da electricidade devido, neste caso segundo a justificação oficial, ao enchimento da albufeira da barragem de Laúca, que particularmente no centro de Luanda é garantida apenas, em regra, entre as 18 e as 24 horas, obrigando os…

Leia mais

Luanda tem muito mais (des)encanto às escuras

A empresa angolana responsável pelo (mau) fornecimento de electricidade no país anunciou hoje que vai reduzir as facturas de cobrança de energia, durante esta fase de restrições, que Luanda vai registar até Julho. As restrições na distribuição de electricidade à capital angolana tiveram início a 11 de Março, segundo o porta-voz da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) de Angola, Pedro Bila, com a justificação que o problema se ficou a dever ao início do enchimento da albufeira do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca. O responsável a ENDE prevê fazer…

Leia mais

Às escuras não se nota a barriga… vazia

Comida estragada nos frigoríficos, telemóveis que não tocam porque não têm carga e velas sempre à mão tornaram-se numa rotina nos musseques à volta de Luanda, devido aos prolongados cortes no fornecimento de electricidade da rede pública. Em causa estão cortes que se arrastam há várias semanas, que o Governo angolano justifica com o aumento do consumo de electricidade e o défice de produção, mas também as obras de reforço de potência na barragem de Cambambe, no Cuanza Norte, que estão a desesperar sobretudo os bairros mais pobres de Luanda,…

Leia mais

Menos dólares para os militares? Alguém acredita?

Menos dólares para os militares? Alguém acredita? - Folha 8

Angola prevê gastar este ano cerca de sete mil milhões de euros na Defesa, Segurança e Ordem Pública, um corte de 17,2% face à versão ainda em vigor do Orçamento Geral do Estado (OGE). Alguém acredita? O s dados constam da proposta revista do OGE e que começa a ser supostamente discutido na Assembleia Nacional, com votação na generalidade, na quarta-feira. Sendo a proposta do governo liderado por José Eduardo dos Santos, sendo José Eduardo dos Santos presidente do partido maioritário, MPLA, sendo José Eduardo dos Santos Presidente da República,…

Leia mais

Petróleo também põe a nu a (in)competência do regime

Petróleo também põe a nu a (in)competência do regime - Folha 8

O rombo previsto pelo Governo nas contas públicas com a crise do petróleo, segundo os pressupostos da revisão em curso do Orçamento Geral do Estado (OGE), é quase equivalente às remunerações de toda a função pública. S egundo dados compilados pela agência Lusa, no OGE ainda em vigor para este ano, o Executivo de José Eduardo dos Santos (também Presidente da República e líder do MPLA) previa para a rubrica Remunerações – a principal -, que envolve vencimentos e contribuições sociais dos trabalhadores do Estado, uma verba total de 1.565…

Leia mais

Seis milhões regressam segunda-feira às aulas

Seis milhões regressam segunda-feira às aulas - Folha 8

Mais de seis milhões de estudantes angolanos do ensino geral iniciam na segunda-feira o ano lectivo de 2015, marcado pela inauguração na província do Zaire de 250 novas salas de aula. D e acordo com informação do Ministério da Educação, a cerimónia oficial da abertura deste ano lectivo vai decorrer no Soyo (Zaire), com a inauguração de várias escolas por parte do Vice-Presidente da República, Manuel Vicente. Só no município do Soyo serão inauguradas seis novas escolas do ensino geral, com 148 salas de aula e capacidade para receber 15.000…

Leia mais