Paulo Catarro semeou
e a recompensa aí está

Para sua majestade o rei de Angola, José Eduardo dos Santos, “jornalista” bom, e que quer continuar vivo, é aquele que não viu nada, nada ouviu e que faz tudo para agradar ao regime de quem, aliás, recebe benesses. O mais recente paradigma desta tese chama-se Paulo Catarro. Por Orlando Castro Paulo Catarro deixou a RTP ao fim de 27 anos ao serviço da estação pública portuguesa. A sua decisão, disse, foi “muito ponderada”. Foi correspondente da RTP em Angola desde 2009. Pouco tempo depois converteu-se profissionalmente ao MPLA, foi-lhe…

Leia mais

Síntese da derrota de Luvualu

Existem pelo menos 30 razões que (com)provam que João Soares venceu, recentemente, o debate na RTP com o embaixador itinerante de sua majestade o rei de Angola, Luvualu de Carvalho. Por Elias Catengue “Deixem o Velho ir de férias, deixem-no ir para a Reforma”, já roubou muito, está cansado, deixem-no ir gozar os muitos milhões em dinheiro que tem no mealheiro; “José Eduardo dos Santos não está no poder há 37 anos, havia um outro sistema político que era liderado por José Eduardo dos Santos, houve mudança de sistema político,…

Leia mais

Itinerante na ignorância
e residente na estupidez

Mais uma vez, e como não poderia deixar de ser (o patrão manda e o sipaio obedece), o embaixador itinerante de sua majestade o rei de Angola, Luvualu de Carvalho, esteve há pouco na RTP a vender banha de jacaré (do Bengo). João Soares, o outro interveniente no debate, bem procurou dizer-lhe que o pior cego é aquele que não quer ver. Por Orlando Castro De nada adiantou. É que Luvualu de Carvalho, para além de ser mesmo cego, sofre de nanismo mental, atrofia intelectual e de visível eunuquismo. Para…

Leia mais

Enorme sova de Agualusa põe Luvualu estendido no tapete

O Presidente Eduardo dos Santos apostou tudo em António Luvualu de Carvalho como embaixador itinerante do regime. Hoje, na RTP, foi diversas vezes ao tapete. Só não foi derrotado por KO porque o seu opositor, José Eduardo Agualusa, é magnânimo e não quis ver um compatriota nessa posição. N ão se sabe onde nasceu, nem isso é importante. Os pais estudavam na URSS. Dividiu-se entre Luanda e Moscovo, Minsk (Bielorússia) e Yarkov, na Ucrânia. Só em 1994, regressou definitivamente a Angola com a mãe. Recordemos o artigo do nosso director,…

Leia mais