Pessoas não são mercadoria. Ou são?

Angolanos de bem, residentes em Portugal e comprometidos com o estado actual da Saúde Pública, no país, decidiram reunir-se hoje, em Lisboa, para emprestar serventia intelectual, pertinente no sentido de contribuírem com ideias, sugestões e contribuições. Primeira conclusão: O governo angolano não está preocupado em servir as pessoas mas, antes, em servir-se das pessoas, muitas vezes tratando-as como mercadoria. Restantes conclusões: subscrever a primeira conclusão. Assim, ciente da nobreza do propósito, realizaram o I Fórum Internacional – O estado da saúde pública: Angola e a Diáspora. O evento realizou-se hoje…

Leia mais

Chegamos aos 117 processos judiciais

Uma notificação deve, num sistema civilizado, não ser ambígua, evasiva, mas solene, principalmente, vinda do Ministério Público, órgão da Procuradoria-Geral da República. Ela tem de dizer, ao cidadão, ao que vem, através de elementos substantivos, indicadores do cometimento de ilícito ou da necessidade da sua participação como declarante, para ajudar a chegar-se à verdade material (a mais nobre missão da Justiça), num dado processo, em curso. No dia 22 de Abril (mas com data de 14.04) deu entrada na redacção do F8 (Folha 8) o Aviso de Notificação expedido pela…

Leia mais

Do Folha 8 para o Mundo

A jornalista angolana Hariana Verás, recebeu ontem, do Gabinete de Imprensa da Casa Branca, o famoso ‘Hard Pass’. Hariana e a sua equipa, composta por dois angolanos também, receberam passes de imprensa definitivos que lhes permite um maior acesso à Casa Branca, nos Estados Unidos de América. Com 18 anos foi repórter do Folha 8. A jornalista conta que ela e sua equipa passaram por testes intensivos, durante três anos, para se apurar as competências, bem como por um período de avaliação pelo gabinete de imprensa da Casa Branca e…

Leia mais

Folha 8 junta-se à homenagem a Agostinho Neto

A “pedido” (isto é como quem diz!) do Bureau Político, da ERCA, da Fundação Agostinho Neto e de todas as incomensuráveis sucursais do MPLA, o Folha 8 associa-se à efeméride de 17 de Setembro em honra do herói mundial (e arredores), o angolano António Agostinho Neto. Por Orlando Castro O Dia do Herói Mundial (que substituirá o Dia do Herói Nacional, designação muito pequena para a amplitude do protagonista) é uma comemoração partidária transformada, por força da ditadura, em nacional angolana e agora em mundial, em memória do nosso maior…

Leia mais

MPLA inaugura precedente revisionista da História

Mário Pinto de Andrade, primeiro presidente do MPLA, morreu no exílio, tal como Viriato da Cruz, criador do manifesto do amplo movimento de libertação de Angola. Porém, se Viriato da Cruz morreu em 1973, já o primeiro presidente do MPLA “viu” (por um binóculo) a celebração da Independência do país pelo qual se bateu e só faleceu em 1999, depois de ter sido cooptado pela Guiné Bissau, onde exerceu o cargo de Ministro da Cultura. Por José Luís Mendonça (*) O ostracismo de figuras adversas à linha ideológica da cúpula…

Leia mais

Director do Folha 8 acusa ERCA de ser ditatorial

O director do jornal angolano Folha 8 lamentou ontem não ter sido ouvido pela Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA) num protesto em que foi visado pela Fundação Agostinho Neto, acusando o órgão de ser ditatorial e violar a lei. Por LUSA O Folha 8 foi alvo de uma queixa da Fundação Agostinho Neto junto da ERCA por alegadamente instigar “o ódio incendiário” e ofender o primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto, tendo o regulador considerado que as práticas editoriais do jornal dirigido por William Tonet atentam contra…

Leia mais

Quem não defeca na entrada, defeca na saída

A actual tentativa por parte do Bureau Político do MPLA (BP do MPLA) em criar folclore à volta de um comentário que o Folha 8 colocou na sua página do Facebook, se não tivesse por detrás uma questão demasiado séria, dava um bom tema para o anedotário nacional. Por Carlos Pinho (*) Com efeito, é por demais conhecido por todos e tratado até à exaustão por diversos historiadores, o facto de que o Primeiro Presidente de Angola ter sido um grandessíssimo patife, ombreando com figuras que são a vergonha da…

Leia mais

Independência editorial do Folha 8 vista como um crime

A discriminação contra o Folha 8 continua, ao fim de 25 anos de existência, a fazer morada no sector executivo ligado à Comunicação Social, numa clara demonstração de não haver distâncias entre o cinismo verbal e a prática diária. Por William Tonet Os governantes dizem haver, com a chegada de João Lourenço ao comando do partido que nos governa desde 1975 e, por essa via, à Presidência da República, uma maior abertura do apregoado “novo paradigma”, mas, afinal, tudo não passa de uma “tipóia esclavagista mental”, escancarada, em primeira mão,…

Leia mais

Desde 24 de Março de 1995

Em 24 de Março de 1995 nasceu o jornal Folha 8. Mais do que um jornal somos a Liberdade. Fazemos, desde então, Jornalismo com memória. Por alguma razão o nosso Director, William Tonet, dizia na altura, e continua a dizer hoje, que um país mudo não muda. O aparecimento da imprensa em Angola data de 1845, contando-se 46 títulos na passagem do século passado. Pormenor de nota é a referência a jornais produzidos por “angolenses”, o termo usado na altura para os naturais de Angola, por oposição aos colonos provenientes…

Leia mais

Um até breve!

A realidade dói. Dói principalmente quando os mortais, vulneráveis, na sua resistência, teimam em não a encarar, mesmo quando a traduzem em sublimes versos. “Um dia quando eu partir, não deixarei mais do que simples lágrimas”, são as mais useiras antevisões, no calor de cada gemido, afago ou acalorada discussão. Por Folha 8 (o de ontem, o de hoje, o de amanhã) Hoje, não é assim, para nenhum dos presentes e, até dos ausentes, pois mais do que simples escorrer de lágrimas, nas faces, o rio giboiando em nossas mentes,…

Leia mais