Contas furadas reflectem
boa (in)gestão do Governo

Dezasseis milhões de dólares foi o valor que o Estado angolano arrecadou, menos 64 milhões do que o previsto, com a privatização integral de cinco unidades industriais instaladas na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda/Bengo, inoperantes há 10 anos. No âmbito das (supostas) boas contas do MPLA, a projecção inicial era arrecadar 80 milhões de dólares, mas o mercado acabou por ditar o valor final das aquisições, revelando que mais uma vez os cálculos saíram furados. As unidades foram vendidas no quadro do processo de privatização de activos do Estado, que…

Leia mais

Estado injecta mais uns
largos milhões no BPC

O Estado angolano necessita de injectar 31.500 milhões de kwanzas (115 milhões de euros) no Banco de Poupança e Crédito, para completar o capital social do maior banco nacional, em processo de reestruturação devido ao volume de crédito malparado. A informação consta da análise da auditoria externa às contas de 2017 do BPC, totalmente detido pelo Estado, elaborada pela UHY – Auditores & Consultores, e que alerta desde logo que a “capacidade do banco para continuar as operações depende do sucesso das suas actividades futuras, da manutenção dos depósitos dos…

Leia mais

Se não tivesse prejuízos, a
TAAG poderia ter… lucros

A transportadora aérea angolana TAAG, totalmente pública, necessita de uma capitalização estatal de 952 milhões de dólares (805 milhões de euros) para fazer face às perdas acumuladas nos últimos anos, anunciou a administração da empresa. Nada de novo, portanto. Por cá, administrar empresas públicas é sinónimo de… prejuízos. A informação foi prestada, em Luanda, pelo presidente do Conselho de Administração da TAAG, José Kuvíndua, ao apresentar o plano estratégico da companhia de bandeira para o período 2018/2022 durante um seminário promovido pelo Ministério dos Transportes. A preocupação da administração da…

Leia mais

Tchizé diz-se difamada e arrasa João Lourenço

A deputada do MPLA Welwitschea dos Santos (Tchizé), filha do ex-Presidente da República José Eduardo dos Santos, diz-se difamada pela forma como foi rescindido o contrato de gestão do segundo canal da Televisão Pública de Angola (TPA). Em causa está a decisão, de 15 de Novembro, na qual o actual chefe de Estado, João Lourenço, ordenou ao Ministério da Comunicação Social a retirada da gestão da TPA 2, canal público, à empresa Semba Comunicação e da TPA Internacional à Westside. Desde o início de Janeiro que a gestão do canal…

Leia mais

Se não fossem os prejuízos
a TAAG teria tido… lucros!!

A transportadora aérea angolana, TAAG, anunciou hoje que registou prejuízos de 12 milhões de dólares (10,1 milhões de euros) no primeiro semestre, mais do dobro do saldo negativo do ano passado, o que atribui a dívidas de 2010. Mas, é claro, está tudo sob controlo do regime. Em comunicado, a companhia estatal refere que os resultados financeiros não auditados dos primeiros seis meses deste ano registam, ainda assim, “algumas melhorias”, apesar do prejuízo do semestre comparar com os cinco milhões de dólares (4,2 milhões de euros) de todo o ano…

Leia mais

O petróleo angolano e a sua mancha negra de destruição

Angola vive uma situação delicada do ponto de vista democrático e isso infelizmente já faz décadas. O actual governo corrobora com esse cenário difícil de conviver por meio de actos de violência contra manifestações civis, prisões injustas e medidas para não viabilizar o debate político com outros partidos e casos extremos de corrupção activa e passiva. A actividade petrolífera no país está envolvida em vários escândalos de corrupção e degradação do meio ambiente angolano. Por Marcelo de Medeiros (*) Além de ser a fonte principal dos casos de falta de…

Leia mais

Lucros da Sonangol em queda acentuada. Desceram 77%

Lucros da Sonangol em queda acentuada. Desceram 77% - Folha 8

A produção de petróleo em Angola diminuiu 2,6% em 2014, face ao ano anterior, para 1,671 milhões de barris por dia, e os lucros líquidos da Sonangol caíram 77%, para 710 milhões de dólares. O s números foram apresentados hoje pelo presidente do Conselho de Administração da Sonangol em conferência de imprensa realizada em Luanda para apresentação dos resultados anuais do grupo da concessionária petrolífera angolana. Francisco de Lemos José Maria, presidente da petrolífera, admitiu que 2014 foi um ano “bastante difícil”, em que não foram alcançadas as metas previstas,…

Leia mais