A caminho do abismo!

A agência de “rating” Fitch prevê uma recessão de 4% em Angola e uma subida da inflação para 24%, com a produção petrolífera a descer para 1,3 milhões de barris por dia neste e no próximo ano. Mesmo que assim seja não haverá crise para o MPLA nem para os seus estratégicos planos de recuperação, caso, por exemplo, do Satélite Angosat-2. Em matéria de pobres, quem tem 20 milhões também pode ter 21 ou 22 milhões… “A economia de Angola continua a ser limitada pelo alto nível de dependência de…

Leia mais

Governo diz que vai fazer
o que promete desde 1975

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, afirmou hoje que Angola quer subir 15 posições no “ranking” Doing Business (que realiza uma análise do ambiente de negócios em 190 economias) até 2022, uma “decisão firme” para a qual conta com a ajuda do Banco Mundial. No ano passado, o país caiu quatro lugares no relatório Doing Business, passando da 173ª para a 177ª posição no conjunto dos 190 países analisados. A avaliação do Banco Mundial inclui critérios como facilidade em abrir um negócio, obter licenças de construção, registar uma…

Leia mais

Dívida controlada? Claro!
30% em 2014 e… 103% em 2019

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) manteve o ‘rating’ de Angola em B- (lixo), piorando a perspectiva de evolução de estável para negativa, com a dívida pública a ficar nos 99% do Produto Interno Bruto este ano. Para dar a volta ao problema, João Lourenço negociou (mais) uma linha de crédito de 1.500 milhões de dólares (1.300 milhões de euros) com o banco alemão KfW IPEX-Bank para financiar projectos de investimento público. “A perspectiva de evolução negativa reflecte a possibilidade de uma descida se o alto nível…

Leia mais

Competência procura-se!

A Fitch que atribui uma notação de “B” a Angola, afirma que a avaliação da economia angolana é explicada pela elevada dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB), a diminuição das reservas e a recessão. Ou seja, em tudo o que é essencial do ponto de vista económico e financeiro, o governo do MPLA (partido no Poder há 44 anos) continua a mostrar que não é capaz de levar “a carta a Garcia”. “Em Angola, a Perspectiva de Evolução Negativa é motivada pela deterioração das métricas da dívida, a…

Leia mais

De derrota em derrota até
à previsível derrota final!

A agência de notação financeira Fitch (que, obviamente, não consultou o DIP do MPLA, como mandam as ordens superiores de João Lourenço) piorou a Perspectiva de Evolução da economia de Angola (Outlook) de Estável para Negativa, mantendo o rating em B, ou seja, abaixo do nível de recomendação de investimento, ou lixo. A dívida de Angola vai custar 12,3 mil milhões de dólares este ano em juros e amortizações, ou seja, 33,6 milhões de dólares por dia. Coisa pouca… “A revisão do Outlook para Negativa reflecte a degradação das métricas…

Leia mais

Evolução? Negativa (pois!).
E o “rating”? “Lixo” (claro!)

A agência de notação financeira Fitch desceu a Perspectiva de Evolução da economia de Angola, mantendo o país no nível B, abaixo da recomendação de investimento, com o “rating” de “lixo”, devido à lenta recuperação económica e ao aumento da dívida pública. “A revisão da Perspectiva de Evolução da economia de Estável para Negativa reflecte a deterioração das métricas da dívida, a contínua queda das reservas externas e uma recuperação económica adiada e mais lenta do que o previsto”, escrevem os analistas na explicação que sustenta a acção de “rating”.…

Leia mais

Está tudo bem, Majestade?

Para a agência financeira Moody’s, o “perfil de crédito de Angola reflecte uma “baixa força económica” com “perspectivas económicas modestas”, acrescentando os peritos (que, é claro, se esqueceram de ouvir os seus homólogos do… MPLA) que a solidez financeira é “muito baixa”. Tudo normal e na santa paz (e sabedoria) de quem nos “governa” desde 1975. Assim, a Moody’s (que agora resolveu azucrinar a intocável competência “tripartida” do Presidente do MPLA, do Titular do Poder Executivo e do Presidente da República) considerou que o “rating” atribuído a Angola (B3) é…

Leia mais

É isso. “Negativo” e “lixo”

A agência de notação financeira Standard & Poor’s (S&P) reviu em baixa a Perspectiva de Evolução da economia de Angola, de Estável para Negativa, devido ao “significativo aumento” da dívida pública, e manteve o rating em “lixo”. Parafraseando o secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, quando fala do Folha 8 pelas costas, estes tipos são uns “ressabiados”. “A dívida pública de Angola em percentagem do Produto Interno Bruto aumentou significativamente em 2018, em parte devido ao impacto da forte depreciação do kwanza no volume de dívida pública em…

Leia mais

Com os mesmos dados, cada um diz o que dá jeito

A consultora IHS Markit considerou hoje que Angola poderá crescer 1,9% este ano, sustentada no acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e no “forte sinal de estabilidade política” que isso implica. Falar de “forte sinal de estabilidade política” quando, pouco mais de um ano após a posse, João Lourenço não se cansa de exonerar ministros e governadores provinciais para um exagero. Mas… “O acordo com o FMI vai aliviar as pressões de liquidez na economia angolana a curto prazo e vai enviar um forte sinal sobre a estabilidade política…

Leia mais

Economia cresce, não
cresce, talvez cresça!

A previsão de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de Angola foi revista para 1,5% em 2018, em baixa face aos 2,8% anteriormente previstos. Para 2019 o crescimento será de 2,3%, face a 2,6%, e de 2,6% para 2020. Previsões para todos os gostos e interesses. A consultora Fitch Solutions reviu hoje em baixa a previsão de crescimento para Angola este ano, antecipando agora uma expansão económica de 1,5%, quase metade dos 2,8% previstos anteriormente devido à tendência decrescente da produção petrolífera. “Revimos a nossa previsão de crescimento real…

Leia mais