Quanto pior… melhor!

A consultora NKC African Economics estimou hoje que a inflação em Angola deverá aumentar de 22,2%, no ano passado, para 22,6% este ano devido à depreciação da moeda e à crise económica no país. Não são boas previsões, mas como para quem manda no reino… quanto pior melhor (é assim há 45 anos), siga a orgia dos vampiros. “Antecipamos que a taxa média de inflação aumente ligeiramente de 22,2% em 2020 para 22,6% este ano, antes de abrandar significativamente para 14,6% em 2022”, escrevem os analistas desta filial africana da…

Leia mais

Inflação e pobres em crescimento acelerado

O Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) em Angola fixou-se em Dezembro em 25,10%, o valor mais elevado desde Outubro de 2017, e que representa um acréscimo de 8,20 pontos percentuais face ao período homólogo. Segundo os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, a variação homóloga situa-se em 25,10%, registando um acréscimo de 8,20 pontos, e o índice de preços registou uma variação mensal de 2,06%, destacando-se as províncias da Lunda Norte com 2,31%, Luanda com 2,19%, Cunene e Bié com 1,96% cada, como…

Leia mais

Inflação e Kwanza agradecem a João Lourenço

A consultora NKC African Economics considera que a inflação em Angola, que está no valor mais alto desde 2017, vai continuar elevada no próximo ano devido à forte dependência dos produtos importados e à depreciação do kwanza. Ou seja, tudo normal segundo a superior definição estratégica do MPLA. “A inflação aumentou nos primeiros 11 meses deste ano, apesar das fracas condições económicas globais e locais, que resultaram principalmente da queda dos preços do petróleo este ano e da liberalização cambial de 2019 e que fizeram com que o kwanza tenha…

Leia mais

Inflação em alta, crude em greve

Os preços em Angola aumentaram 1,99% entre Outubro e Novembro, segundo um relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano, hoje divulgado, colocando a inflação acumulada a 12 meses no valor mais alto desde Novembro de 2017. A classe Alimentação e Bebidas não Alcoólicas foi a que registou um maior aumento dos preços, com 2,33%, seguindo-se Saúde, com 2,08%, Vestuário e Calçado, com 2,06%, e Hotéis, Cafés e Restaurantes, com 2,00%, refere o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN). A classe Alimentação e Bebidas não Alcoólicas foi também…

Leia mais

O que seria de nós?

A consultora Fitch Solutions prevê que o Banco Nacional de Angola mantenha a taxa de juro de referência nos 15,5% até final do ano para controlar a inflação, que deverá ficar nos 21,9% este ano. Não é por falta de bons diagnósticos que o doente vai morrer e que já está em coma. O problema está nos “médicos” que ministram antibióticos ao José Maria quando o doente é a Maria José. “N ós antevemos que o Banco Nacional de Angola mantenha a taxa de juro de referência nos 15,5% até…

Leia mais

Dá gosto ter um governo assim

Os preços em Angola aumentaram 1,79% entre Agosto e Setembro, segundo um relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano, valor que coloca a inflação acumulada a 12 meses no valor mais alto desde Novembro de 2017. Ao que parece já em 2017, sem o mundo saber, o Covid-19 andava por cá. Ou não? Segundo a Folha de Informação Rápida do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), a variação nos últimos 12 meses – entre Outubro de 2019 e Setembro deste ano – situa-se nos 23,82%, o maior…

Leia mais

Com o adubo “MPLA” tudo
(o que não deve) cresce

A agência de notação financeira Moody’s estima que Angola enfrente uma recessão de 3,3% do Produto Interno Bruto e que a dívida pública suba para 120% este ano, com as métricas de crédito a deverem deteriorar-se significativamente. Nada de novo. O MPLA responde: siga a farra que alguém há-de dar-nos… fiado. De acordo com a análise económica ao país governado há 45 anos pelo MPLA, divulgada no seguimento da descida do ‘rating’, na semana passada, os analistas escrevem que “o perfil de crédito de Angola é prejudicado pela moldura institucional…

Leia mais

Riquezas não, ricos sim!

A inflação, ou seja o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), em Angola subiu para 22,93% em Julho, um acréscimo de 5,69 pontos percentuais face ao período homólogo, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística de Angola. Mas está tudo bem. Não produzimos riquezas mas temos muitos ricos. A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento de preços com 1,02 pontos percentuais durante o mês de Julho, seguida das classes “Bens e Serviços Diversos” (0,14 pontos), “Vestuário e Calçado” (0,13) e…

Leia mais

Inflação sobe, kwanza cai, Povo sofre, MPLA festeja!

A consultora Oxford Economics estima que a inflação em Angola deverá continuar a subir este ano e que o kwanza vai continuar a desvalorizar-se, caindo mais de 50% face ao dólar este ano. Estamos no bom caminho, dirá com certeza a mais brilhante equipa económica do Governo. A certidão de óbito será assinada mais tarde… “P rincipalmente devido à queda dos preços do petróleo de Angola este ano, quase 70% até final de Maio, e à liberalização cambial, o kwanza perdeu cerca de 20% do seu valor desde o princípio…

Leia mais

Kwanza? Ainda existe?

O kwanza desvalorizou quase 250% desde 2017, uma estratégia necessária para defender as reservas líquidas internacionais, mas não suficiente, porque o país ainda precisa de dinamizar o sector produtivo de Angola, defende o economista Fernandes Wanda. Vamos, portanto, de desvalorização em desvalorização até ao… óbito. O investigador da School of Oriental and African Studies University of London salientou que existe uma interligação entre a desvalorização do kwanza, a política cambial, a inflação e a política monetária, “um problema que não é de hoje”, embora se tenha acentuado. Fernandes Wanda notou…

Leia mais