ERA UMA VEZ UM REINO COR-DE-ROSA

O Ministério Público (MP) angolano pediu esta terça-feira a manutenção das acusações e “condenação máxima” para o major Pedro Lussati e para os restantes 48 co-arguidos por agirem de “má-fé”, de “forma dolosa” e defraudarem o Estado angolano em milhões de dólares. O julgamento do mediático caso Lussati prosseguiu na 3.ª secção do Tribunal da Comarca de Luanda com a apresentação das alegações orais do MP e da defesa, ocasião em que a acusação reafirmou que os arguidos estavam envolvidos num esquema fraudulento na Casa Militar do Presidente da República…

Leia mais

O MPLA SEGUNDO O PRÓPRIO MPLA

O coronel angolano Manuel Correia, co-arguido do ‘caso Lussati’, disse em tribunal que entregava mensalmente malas de dinheiro nas residências do general Eusébio de Brito Teixeira (foto), o que este negou. Nada como conhecer, pela boca dos próprios, o verdadeiro MPLA, a tal seita (grupo organizado que tem ideias ou causas em comum) que desgoverna Angola há 47 anos. Segundo Manuel Correia, ex-comandante do Batalhão de Transportes Rodoviários e Desminagem do Cuando-Cubango, adstrito à Casa Militar do Presidente da República de Angola, João Lourenço, igualmente Presidente do MPLA, o montante…

Leia mais

PORTUGAL “ENTRA” NO COFRE DE LUSSATI!

O major Pedro Lussati, principal arguido de um esquema fraudulento envolvendo militares das mais altas patentes da Casa de Segurança (hoje Casa Militar) do Presidente angolano, general João Lourenço, transferia alegadamente dinheiro para Portugal através de empresas do grupo Irmãos Chaves, segundo a acusação do Ministério Público. O grupo empresarial da Madeira, que opera em Portugal e em Angola em áreas como construção, imobiliário, saúde, agricultura e ‘rent-a-car’, aparece referenciado no processo através da empresa Prime Talatona, em que Pedro Lussati é sócio, juntamente com José António Figueira Chaves, um…

Leia mais

MENOS VINHO DA TUGA
 (XXILA 5 – “GAZELA” 0)

Angola representou menos de 3% das exportações de vinho português em 2021, com as vendas a diminuírem tanto em volume como em valor, apesar da subida do preço médio por litro, refere um estudo de mercado da ViniPortugal. Em vésperas da Grande Prova de Luanda, que se realiza na quinta-feira, o estudo datado de Abril de 2022, revela que o destino angolano não recuperou a importância que tinha há 10 anos, quando representava cerca de 40% das exportações. Apenas 2,61% das exportações totais de vinho português tiveram Angola como destino…

Leia mais

Diamantes de Nhareia ainda brilham?

Dada a inexistência de uma verdadeira Polícia Nacional e do desaparecimento do Ministro do Interior, coube ao ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República de Angola, Francisco Pereira Furtado afirmar que a segurança nacional “vai bem”, mas admitindo preocupação com os níveis de criminalidade que o país regista. Francisco Furtado reagia, em declarações à agência Lusa, ao discurso sobre o Estado da Nação efectuado hoje pelo Presidente angolano, João Lourenço, na cerimónia de abertura do novo ano legislativo, que considerou uma “abordagem exaustiva” sobre…

Leia mais

Generais em prontidão (genocida)

O chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, acusa os partidos da oposição de criar insegurança e terror em Angola para forçar o adiamento das eleições gerais. Oposição devolve acusações ao general e ao MPLA. Mais. O que leva o responsável pela Casa de Segurança a meter a foice em seara supostamente alheia? Hum! Cheira a esturro. O general Francisco Furtado, chefe da Casa de Segurança do Presidente da República de Angola, pede (ordena) “prontidão” às Forças Armadas Angolanas (FAA) face à “estratégia errada e irresponsável”…

Leia mais

Milhões de euros para combater a caça furtiva que é mantida por… generais

O Governo angolano apresentou hoje um projecto sobre o combate à caça furtiva, com orçamento inicial de mais de 4,1 milhões de dólares (3, 4 milhões de euros), visando travar o “preocupante fenómeno que persiste” no país. A prática da caça furtiva em Angola conta com “certa protecção especial dos órgãos que garantem a ordem e segurança pública” e é promovida por “comandantes provinciais, segundos comandantes, oficiais e generais”. O “Projecto sobre o Combate ao Comércio Ilegal da Vida Selvagem e ao Conflito entre o Homem e o Animal em…

Leia mais

Recorde de Estrelas Michelin para chefs do MPLA com pratos de caranguejo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) deteve mais cinco implicados na Operação Caranguejo, que envolve militares de alta patente ligados à Casa de Segurança do Presidente da República, João Lourenço, e por ele escolhidos, entre os quais o elo mais fraco, eventual testa-de-ferro, o major Pedro Lussaty. Há quem diga que tudo não passa da edição angolana do “Hell’s Kitchen”, exclusivamente vocacionada para os mariscos… Os cinco suspeitos foram submetidos a interrogatório na Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), tendo-lhes sido aplicada como medida de coacção a prisão preventiva,…

Leia mais

Problema não são os “Lussaty”, mas a idolatria da ditadura

O regime já não tem voltas a dar. Corroeu, gangrenou e a sobrevivência só é possível, com o recurso ao bico das baionetas, das balas assassinas e das bombas dos canhões, que também tem os dias contados, pois os “disparadores”, tratados como carne para canhão e muitos pós desmobilização, têm como reforma, vegetar nos contentores de lixo, para sobreviver, começam a ganhar consciência de serem usados como meros assassinos, para defender um regime e casta, que não lhes tem respeito e consideração, pois usam-nos apenas em proveito umbilical, para continuarem…

Leia mais

O melhor mesmo é premiar os gatunos

O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, exigiu hoje a demissão do governador do Banco Nacional de Angola (BNA), devido ao escândalo financeiro que envolve oficiais da Casa de Segurança do Presidente da República, João Lourenço. Em conferência de imprensa, o partido exige também a demissão da responsável da Unidade de Informação Financeira, bem como a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito ao banco central angolano e ao Ministério das Finanças, para se determinar a extensão das…

Leia mais