Da Catalunha a Cabinda

O conjunto dos partidos independentistas da Catalunha reforçaram nas eleições a maioria que já tinham nesta região, apesar de o Partido dos Socialistas da Catalunha ter sido o mais votado. Na Europa é assim. Em África, nomeadamente em Angola, não há independentistas. Os que falam disso (ou de simples autonomia) para Cabinda e para as Lundas são “estrangeiros” e são “suicidados”. O conjunto dos partidos independentistas da Catalunha reforçaram nas eleições de ontem a maioria que já tinham nesta região espanhola, apesar de o Partido dos Socialistas da Catalunha (PSC-PSOE)…

Leia mais

Foi há 60 anos

O MPLA, partido que “só” está no poder em Angola desde 1975, assinala hoje a passagem de mais um aniversário do ataque de nacionalistas às cadeias de Luanda defendendo aquilo que não fez durante 45 anos: “mais disciplina” e “controlo” nos gastos nacionais para acabar com as “sequelas do colonialismo”. Por Orlando Castro A propósito do 4 de Fevereiro de 1961, data que o partido defende como o início da luta armada pela independência, o MPLA advoga que a libertação total do povo angolano e a liquidação de todas as…

Leia mais

Só se for do… MPLA

O Governo Provincial de Luanda, sob as ordens superiores de Joana Lina, proibiu a manifestação prevista para quarta-feira, organizada por jovens activistas, que mantêm a intenção de sair à rua para protestar contra o elevado do custo de vida e pedir eleições autárquicas em 2021. E se fosse para apoiar as medidas do Governo? Aí seria diferente. Em declarações à agência Lusa, Benedito (Dito) Dalí, um dos promotores da marcha, prevista para quarta-feira, dia em que se assinalam os 45 anos de independência de Angola, disse que a proibição foi…

Leia mais

Milhões com pouco,
poucos com milhões

O gestor António Costa e Silva, o angolano (nasceu em Nova Sintra – Catabola, Bié) que o primeiro-ministro português (António Costa) chamou para desenhar a estratégia económica de Portugal para a década, afirma que Angola caiu numa “armadilha” e, dos biliões das receitas petrolíferas “nada ficou para os angolanos”, 45 anos depois da independência. E quem governou nestes 45 anos? Apenas e só o MPLA. Para António Costa e Silva, a centralização do poder, a que a guerra obrigou, combinada com “um boom de receitas do petróleo” logo a seguir…

Leia mais

Fraco rei faz fraca a forte gente!

Tal como Folha 8 tem escrito (o que levou os cegos acólitos do Poder a catalogar-nos de marimbondos) o resultado das políticas de diversificação económica, supostamente sustentadas pela via reformista do Presidente João Lourenço, mais não são do que um vasto caderno de boas intenções. É assim há 45 anos para o Povo. “D esde que João Lourenço assumiu a presidência, o Governo tem feito esforços significativos para reformar a economia”, escreveram muitos analistas após a leitura desse manancial de boas intenções. Agora (três anos depois), quando analisam o país…

Leia mais

Discurso de “Maria Zungueira”

Angola celebra quarta-feira 45 anos de independência. Somos um país rico mas não somos um rico país. Somos um país de ricos com 20 milhões de pobres. Pedimos à “Maria Zungueira” que se imaginasse Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo e fizesse um discurso alusivo a esta data. Ei-lo, com o devido (e respeitoso) tratamento jornalístico crítico. No seu discurso, “Maria Zungueira” disse que “hoje é dia de glória! Dia de alegria! Há 45 anos, a 11 de Novembro de 1975, o povo angolano libertou-se para…

Leia mais

A História de Angola segundo o Governo

Território habitado já na Pré-história, como atestam vestígios encontrados nas regiões das Lundas, Congo e o deserto do Namibe, apenas milhares de anos mais tarde, em plena proto-história, receberia povos mais organizados. Os primeiros a se instalarem foram os bochmanes – grandes caçadores, de estatura pigmóide e claros, de cor acastanhada. No início do século VI d.C., povos mais evoluídos, de cor negra, inseridos tecnologicamente na Idade dos Metais, empreenderam uma das maiores migrações da História. Eram os Bantu e vieram do norte, provavelmente da região da actual República dos…

Leia mais

Independência editorial do Folha 8 vista como um crime

A discriminação contra o Folha 8 continua, ao fim de 25 anos de existência, a fazer morada no sector executivo ligado à Comunicação Social, numa clara demonstração de não haver distâncias entre o cinismo verbal e a prática diária. Por William Tonet Os governantes dizem haver, com a chegada de João Lourenço ao comando do partido que nos governa desde 1975 e, por essa via, à Presidência da República, uma maior abertura do apregoado “novo paradigma”, mas, afinal, tudo não passa de uma “tipóia esclavagista mental”, escancarada, em primeira mão,…

Leia mais

BD enaltece o 25 de Abril

O Bloco Democrático (BD), em comunicado assinado pelo seu presidente, Justino Pinto de Andrade, “por ocasião do 46º aniversário da Revolução dos Cravos, rende homenagem ao Capitães de Abril que derrubando o regime fascista português, tornou possível coroar de êxitos a longa resistência dos povos de Guiné-Bissau, Moçambique, Angola, Portugal, Cabo-Verde e S. Tomé e Príncipe, protagonizada pelos Movimentos de Libertação e pelas forças democráticas portuguesas”. Acrescenta o BD que “os acontecimentos que precederam e mais ainda os que sucederam de imediato ao 25 de Abril foram fundamentais para as…

Leia mais

A memória de cada um… de nós

E, agora, é chegado o segundo (horário) de cada um de nós, reconhecer a contribuição, voluntária ou involuntária, sobre o estado vegetativo em que, desgraçadamente, se encontra o país. É o minuto de assumir, se havia consciência-nacionalista do que seria a pedra de cada “eu”, no cabouco independência/1975. Por William Tonet É a hora de reconhecer se houve competência em se elaborar um verdadeiro “projecto-país”, no virar da página colonial ou, apenas, a implantação de projecto partidocrata de viés neocolonial, sob o nosso silêncio cúmplice? É, pois, chegado o momento,…

Leia mais