Culpados escapam desde 1576…

Chuvas torrenciais provocaram inundações, queda de árvores e de casas, congestionamentos e deixaram ruas intransitáveis em Luanda, onde uma zungueira morreu electrocutada e duas crianças estão desaparecidas. Culpados? Os mesmos dos últimos 500 anos. Faustino Miguéns, porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros de Luanda, citado pela TPA, revelou que a chuva ininterrupta afectou 80% da cidade e que além da morte de uma pessoa, duas crianças estão dadas como desaparecidas no distrito urbano do Nova Vida. No distrito urbano da Samba, a estrada principal ficou intransitável com extensos…

Leia mais

Presidente mente e valida mentiras da Polícia

O Presidente angolano, João Lourenço, falou hoje, pela primeira vez, sobre o massacre em Cafunfo, condenando o que sabe ser uma monumental mentira (“acto de rebelião”, como lhe chamaram os algozes da Polícia), mas garantindo também que serão responsabilizados os polícias que terão “praticado actos considerados desumanos”. Por Orlando Castro Um mês depois dos acontecimentos violentos, que, segundo a versão oficial, causaram seis mortos durante uma alegada invasão de uma esquadra, mas que testemunhas locais e organizações locais da sociedade civil (Igreja Católica incluída) e internacionais (como a Amnistia Internacional…

Leia mais

Só os criminosos idolatram os genocidas

A Plataforma 27 de Maio defende que o presidente angolano, João Lourenço, na qualidade de mais alto representante da nação e do partido do poder há 45 anos, MPLA, deve pedir desculpas públicas às milhares de vítimas dos massacres ordenados por Agostinho Neto em “27 de Maio de 1977”. Por Orlando Castro (*) A proposta foi apresentada na reunião da Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos (CIVICOP), altura em que foi feito um balanço de 2020, e contribui, segundo João Saraiva de Carvalho, ele próprio órfão…

Leia mais

Vilanagem até dizer… basta!

O Presidente de Angola, Presidente do partido no Poder há 45 anos (o MPLA) e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, disse hoje que o ano de 2020 foi “de muito sofrimento”, mas acrescentando que “uma luz de esperança já se vislumbra no horizonte”, augurando que 2021 seja da retoma da economia angolana. João Lourenço dirigiu hoje uma mensagem de fim de ano à nação, na qual considerou que o ano que finda “não foi bom, não foi generoso para com ninguém”, lembrando que prejudicou a vida familiar e profissional…

Leia mais

Colonização mental ocidental é contínua contra África

O mundo… parou! A minha “topografia-umbilical”, qual mundo, orgulhosamente, de utopia, carrega hoje, mais do que ontem, vergonha incontida, face à nossa colectiva omissão, inacção ou voto depositado, na maioria das vezes, ingenuamente, a favor de uma casta governante, incompetente, ditatorial, corrupta, malfeitora e assassina, cujo “mérito” é a criminosa liderança de países africanos e subdesenvolvidos, para o abismo sub-humano, superando os índices do colonizador. Por William Tonet A COVID-19 está aí, como prova acabada… O MPLA/actual, infelizmente, não se distingue, dos demais, pelo contrário… Estes falsos revolucionários, no período…

Leia mais

(Só) somos auto-suficientes em incompetência

Por sugestão do Presidente do MPLA e do Titular do Poder Executivo, o Presidente angolano, João Lourenço, autorizou a despesa e abertura de concurso para a aquisição de insumos agrícolas, entre os quais fertilizantes, para não comprometer o ano agrícola 2020-2021, ameaçado pela Covid-19 e pelo MPLA-45. O Decreto Presidencial nº 147/20, de 15 de Outubro refere que o ano agrícola 2020-2021 teve início no dia 9 deste mês, e por força do estado de emergência e posterior situação de calamidade que o país tem passado, bem como os constrangimentos…

Leia mais

Quem (nos) perdoa nosso amigo é

Angola poderá deixar de pagar 2,6 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) em pagamentos de dívida só este ano, o que corresponde a 3,1% do Produto Interno Bruto do ano passado. A Fitch Ratings considera que Angola será o país mais beneficiado com uma possível extensão da Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI) do G20, podendo “poupar” 4,3% do PIB só este ano. “D e acordo com os dados dos pagamentos devidos, publicados pelo Banco Mundial, só cinco dos 22 países que a Fitch avalia…

Leia mais

Para quê eleições se Angola é do MPLA?

Haverá eleições (autárquicas e outras) apenas quando o MPLA quiser, mesmo que o país pense de outra forma. Tal como está a acontecer nos EUA com Donald Trump, a pandemia de Covid-19 está a mostrar que João Lourenço e a sua máquina de guerra (o MPLA) não são uma solução para o problema. São, isso sim, um problema para a solução. Dando uma na UNITA e outra no PRA-JA (versão angolana da expressão portuguesa “uma no cravo e outra na ferradura”) o MPLA já admite em público que é quase…

Leia mais

Os truques do MPLA

A Covid-19, as constantes exonerações das exonerações, o preço do petróleo e outras maleitas do nosso país são vitais para que o Governo do MPLA (o único partido a governar Angola desde a independência) continue a desviar as atenções do cerne dos nossos problemas: a criminosa incompetência do Governo. Sabemos que é chato, mas nós temos memória. Por Orlando Castro Estamos (os que estão) na Páscoa. E, por isso, recordamos mais uma vez, tantas vezes quantas for preciso, que o Papa Francisco exortou a que os governos (não sabemos se…

Leia mais

“Portugal pediu desculpa”

Manuel Augusto, ministro angolano das Relações Exteriores, revelou que o seu homólogo (adjunto seria mais apropriado), Augusto Santos Silva, apresentou desculpas pelo que se passou no Bairro da Jamaica (Seixal) e sublinhou “a forma, com sentido de Estado, como as autoridades angolanas reagiram”. Dada a habituação no cumprimento das ordens do MPLA, o Governo português nem teve necessidade de recorrer ao uso de vaselina… Perante esta revelação, estando fora de questão o pedido de demissão (por falta de coluna vertebral) do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, ao Comandante Geral…

Leia mais