NADA MAIS DO QUE PROMESSAS ADUBADAS

O ministro da Agricultura e Florestas (Minagrif) de Angola, António Francisco de Assis, tal como quase todos os seus actuais e ex-colegas de Governo, também aposta forte no anedotário nacional. Agora, embora sem grande originalidade, foi ao Quénia repetir que o Executivo do MPLA tem apostado seriamente na revitalização do sector cafeeiro nacional, com base na promoção de programas de fomento da produção dirigidos ao sector familiar. ministro fez esta afirmação ao discursar na sessão de trabalhos da Segunda Cimeira do grupo dos 25 países africanos produtores de café (G25),…

Leia mais

FRANÇA FINANCIA TENTATIVA DE FAZER O QUE OS TUGAS FAZIAM

O sector agrícola de Angola recebeu uma doação de 8,8 milhões de euros (mais de oito mil milhões de kwanzas) da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), para reforçar o aumento da produção do café robusta, através do projecto “Mukafe”. No passado colonial português, que antecedeu a nova colonização do MPLA iniciada em Novembro de 1975, o café (como muitos outros produtos) ocupou um lugar de destaque na diversificada economia de Angola. projecto “Mukafe” prevê beneficiar famílias produtoras de seis municípios das províncias do Uíge, Cuanza Norte e Cuanza Sul, regiões…

Leia mais

Negro da cor do contratado!

Produtores de café solicitaram ao Governo mais apoio para tornar o produto mais rentável e contribuir para o desenvolvimento económico do país. Esta posição foi manifestada durante a abertura da Campanha da Colheita de Café 2021, no município do Golungo Alto, província do Cuanza-Norte. No acto, orientado pelo secretário de Estado para a Agricultura e Pesca, João Manuel Bartolomeu Cunha, os produtores afirmaram que o sector precisa de mais atenção no que concerne à aquisição de instrumentos de trabalho, produtos fitossanitários e meios de transporte. Na ocasião, o secretário de…

Leia mais

Quem ginga sempre alcança

A marca angolana Café Ginga estará disponível no mercado francês e suíço ainda este mês, através da empresa Angonabeiro, que aposta “de forma consistente” na internacionalização do “bago vermelho” de Angola. É altura de Téte António nos explicar se os portugueses já não são tão culpados como disse, em 2015, que eram. Em declarações recentes à Angop, a propósito do actual momento do mercado cafeícola angolano, o director-geral regional para os mercados internacionais do Grupo Nabeiro, José Beato, assegurou que a Angonabeiro está fortemente empenhada em revitalizar a fileira deste…

Leia mais

Café das noites angolanas

O café acompanha-me de há muito. Foi lá longe, onde a saudade castiga mais, que aprendi a amar o sonho e a sonhar com o amor. O café, companheiro fiel, estava sempre ao meu lado. Nas noites de boémia, como despertador da vida, e nas noites de trabalho, como sintonizador da realidade. Era, como diria Sebastião Coelho,… o Café da Noite. Por Orlando Castro E de dia? Claro que também. Servia, aliás, como «desculpa» para que no Himalaia (um dos mais conhecidos bares de Nova Lisboa) a malta se encontrasse…

Leia mais

Angola produz café?

Ao que parece (até prova em contrário só parece) Angola quer usar o café para dar um impulso ao crescimento económico mais sustentável e menos dependente do petróleo. Desde que comprou em saldo (aos portugueses) o país, o MPLA conseguiu que as mais de 230 mil toneladas anuais de café “crescessem” para… 8 mil toneladas. A Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, diz que o excesso de dependência do petróleo criou “um crescimento volátil e desigual” em Angola, mas acrescenta que a produção de café “pode ajudar o…

Leia mais

Não é vergonha aprender com quem sabe muito mais

A produção de café angolano deve crescer anualmente 1,5% até 2025 e 90% do total é feita por pequenos produtores familiares. Angola importou produtos de café no valor de 12,8 milhões de euros, entre 2016 e 2018, e exportou café no montante de 3,2 milhões de euros, registando défice de 9,6 milhões de euros na balança comercial. Para nos ajudar a fazer o que, há 45 anos, faziam os portugueses, a União Europeia disponibilizou 12 milhões de euros para reforçar o desenvolvimento da cadeia de valor do café. Para o…

Leia mais

Vejam como era em 1973 e… façam o favor de aprender

O ministro da Agricultura e Florestas, António de Assis, procedeu no município do Mungo (Huambo), ao lançamento do Programa de Revitalização da Cultura do Café Arábica no sector familiar, com o objectivo de contribuir para as estratégias de combate à pobreza e, ao mesmo tempo, garantir a segurança e a qualidade alimentar. Por outras palavras, a pobreza na barriga do povo e os luxos na casa dos donos do reino. Simples. Decorrido na aldeia de Beteleme, a 157 quilómetros da cidade do Huambo, o acto, testemunhado pela governadora do planalto…

Leia mais

Que tal o MPLA ver como os “maus” faziam há… 46 anos?

Angola participa de 7 a 11 deste mês, na Suíça, nas celebrações do Dia Mundial do Algodão e do Fórum Público da Organização Mundial do Comércio (OMC), que decorrerá sob o lema “Comércio para o Futuro: Adaptando-se a um Mundo em Mudança”. Em 1973 as principais exportações de Angola eram o petróleo (30%), café (27%), diamantes (10%), minérios de ferro (6%), algodão (3%) e sisal (2%). A delegação angolana, que será chefiada pelo do ministro do Comércio, Joffre Van-Dúnem Júnior, participará na Sessão Plenária de Alto Nível da celebração do…

Leia mais

Quem quer tacho continua
(é claro) a aviar-se no MPLA

Enquanto Angola for o MPLA e o MPLA for Angola, como continua a acontecer, o MPLA vai continuar a ganhar todos os simulacros eleitorais que por cá se realizarem e sempre com larga vantagem. Se fosse para perder nem simulavam eleições. Todos, a começar pelos angolanos, sabem isso. Quando 20 milhões de pobres arrotam à fome, chega-lhes à boca a solução: votar no regime. Por Orlando Castro O resultado das eleições de 23 de Agosto de 2017 deram, apesar de tudo, um importante resultado à UNITA e à CASA-CE. Embora…

Leia mais