Bons resultados fiscais

Angola arrecadou, no primeiro trimestre deste ano, 264,7 mil milhões de kwanzas (cerca de 890 milhões de euros) de receita fiscal não petrolífera dos grandes contribuintes, 4% mais do que em idêntico período de 2017, anunciou hoje fonte oficial. A informação foi transmitida pela administradora da Administração Geral Tributária (AGT) de Angola, Maria da Conceição Matos, durante a cerimónia de abertura do segundo encontro com os grandes contribuintes dos sectores bancário e seguros. De acordo com a responsável, a acção dos grandes contribuintes, constituídos por mais de 350 empresas dos…

Leia mais

No caso do BPC o governo
é incompetente, diz o FMI

O FMI está preocupado com o crédito malparado no BPC, o maior banco angolano, recomendando ao Governo que nova injecção de liquidez fique condicionada à concretização do plano de reestruturação e mantendo-se proibida a concessão de novos empréstimos. A informação consta das conclusões, de Junho, da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) no âmbito das consultas regulares com as autoridades angolanas, ao abrigo do Artigo IV, realizadas este ano, e que abordam com preocupação a situação da banca angolana, e a sua falta de liquidez. Na avaliação, a missão do…

Leia mais

Grupo que avalia sistema bancário tem mais 60 dias

O Presidente angolano, João Lourenço, atribuiu mais dois meses para a conclusão do trabalho do grupo que está avaliar o sistema bancário nacional público e a sua reestruturação, que já deveria ter cessado funções. A decisão de prorrogação dos trabalhos por mais 60 dias consta de um despacho deste mês, assinado pelo Presidente, envolvendo ainda a avaliação às participações detidas pelo Estado ou empresas públicas em bancos nacionais e estrangeiros, incluindo o Millennium BCP. Este grupo de trabalho é liderado pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, e a sua criação…

Leia mais

Isabel dos Santos quer
novos investidores no BFA

A empresária Isabel dos Santos quer a entrada de novos accionistas no Banco de Fomento de Angola (BFA), onde detém uma participação maioritária, disse em entrevista à agência de informação financeira Bloomberg. Isabel dos Santos falou desta intenção numa entrevista no Egipto, onde está a participar numa conferência numa estância balnear do país, tendo detalhado que a venda deverá ser de 25% do capital do BFA através de uma oferta de acções (IPO – Initial Public Offering, em inglês) a ocorrer em bolsa já no primeiro trimestre de 2018. O…

Leia mais

Europa aperta (e muito bem) cerco a Isabel dos Santos

A margem de impunidade de Isabel dos Santos na banca europeia começa a diminuir radicalmente, fruto das várias denúncias junto das instituições da União Europeia levadas a cabo por um grupo de deputados do Parlamento Europeu, liderado por Ana Gomes e substantivamente baseado no trabalho desenvolvido por Rafael Marques no MakaAngola. Por Rui Verde (*) A 16 de Dezembro de 2016, a ABE (Autoridade Bancária Europeia, organismo europeu de supervisão bancária, equivalente nessa função ao Banco Nacional de Angola, mas abarcando toda a Europa), através do seu número um, Andrea…

Leia mais

FMI regressa a Luanda

Os atrasos nos pagamentos do Estado angolano, a situação da banca nacional ou a dívida pública do país são assuntos que uma delegação do Fundo Monetário Internacional (FMI) vai abordar com o Governo, em Luanda, a partir de quinta-feira. De acordo com uma informação prestada hoje à agência Lusa pelo Ministério das Finanças, a delegação do FMI, chefiada pelo economista brasileiro Ricardo Velloso, vai manter, até 17 de Novembro, reuniões com elementos do Governo e da administração de várias empresas públicas, ao abrigo dos contactos bilaterais anuais (Artigo IV). A…

Leia mais

Conseguirá o regime viver sem corrupção?

Gestores de bancos angolanos defenderam hoje o que se esperava que defendessem há décadas. Isto é, a necessidade cada vez maior de as instituições financeiras do país cumprirem com as regras internacionais de transparência e livrar Angola do alto índice de percepção sobre o verdadeiro ADN do regime, a corrupção. A posição foi hoje marcada no VI Fórum da Banca, promovido pelo jornal Expansão, subordinado ao tema “Compliance em Angola”. No painel dedicado ao tema da conferência, o Presidente do Conselho Executivo do banco BAI e antigo governador do Banco…

Leia mais

Se fosse só na banca…

Isabel oié! Isabel oié! - Folha 8

A falta de ética e sigilo bancário foram identificadas como uma das principais debilidades entre funcionários angolanos deste ramo financeiro, disse hoje em Luanda o director do Instituto de Formação Bancária de Angola (IFBA). C ruz dos Santos falava hoje à imprensa à margem da abertura do seminário sobre “Desenvolvimento do Capital Humano, Formação e Produtividade”, para cerca de 80 funcionários da banca angolana, em parceria com o Instituto de Formação Bancária de Portugal (IFB-Portugal). “Sabemos que há algum défice nos trabalhadores bancários, principalmente nos recém-admitidos, naquilo que são principalmente…

Leia mais

Sonangol fecha (para já) torneira a investimentos na banca portuguesa

Sonangol fecha (para já) torneira a investimentos na banca portuguesa - Folha 8

O presidente do Conselho de Administração da Sonangol afirmou hoje que a petrolífera angolana não pretende aumentar o nível de investimento na banca portuguesa, onde é accionista do banco Millennium BCP. A posição foi assumida durante a apresentação, em Luanda, em conferência de imprensa, dos resultados de 2014 da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), que se traduzem numa quebra de 77% (ver notícia aqui no F8) nas receitas, para 710,3 milhões de dólares (626 milhões de euros). “Neste momento, a Sonangol não tem intenção de aumentar a sua…

Leia mais

Obrigações do Tesouro “procuram” 1,7 mil milhões

Obrigações do Tesouro "procuram" 1,7 mil milhões - Folha 8

O Presidente Eduardo dos Santos autorizou a emissão de Obrigações do Tesouro de mais de 1,7 mil milhões de euros, para aumentar rácios em fundos e bancos nacionais. E m seis decretos, com data de 02 de Janeiro, José Eduardo dos Santos autoriza, ao abrigo do Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2015, a “emissão especial” pelo Ministério das Finanças de Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional, com valores máximos individuais a partir de 4 mil milhões de kwanzas (32,6 milhões de euros). Cinco destes decretos são justificados com a…

Leia mais