Se és do MPLA comes. Se não és…

A Amnistia Internacional (AI) denunciou a partidarização da distribuição de alimentos, no âmbito da resposta ao impacto da Covid-19, em alguns países da África Austral, como Angola, o que afecta os grupos mais vulneráveis e marginalizados. Por alguma razão existem angolanos de primeira, de segunda e os outros (escravos). A distribuição de ajuda alimentar às famílias pobres e aos que perderam rendimentos foi definida por alguns governos para mitigar o impacto da Covid-19, mas começam a surgir “padrões de distribuição partidária” desta ajuda, segundo a AI. “A distribuição de ajuda…

Leia mais

Diferentes mas iguais

A Human Rights Watch (HRW) denunciou hoje casos de discriminação e estigmatização a crianças portadoras de albinismo na província de Tete, alertando para as consequências psicológicas da rejeição de albinos naquela província do centro de Moçambique. Em Angola, os albinos continuam a enfrentar “problemas e barreiras” que vão desde a dificuldade de inserção no emprego e no sistema de ensino, à falta de assistência social e medicamentosa. “A s crianças que vivem com o albinismo na província central de Tete são amplamente discriminadas, estigmatizadas e frequentemente rejeitadas na escola, na…

Leia mais

Desagrado da comunidade Angolana na Alemanha

“A direcção da associação angolana em Berlim-Brandenburgo, indignada, cumpre informar a sociedade angolana que, o Presidente da República de Angola durante a sua visita na Alemanha e conforme fomos informados através da media angolana, que este estadista pretende encontrar-se com os angolanos, ” infelizmente vai se encontrar apenas com os membros do seu partido MPLA“ isto conforme o desejo do Embaixador Alberto Correia Neto (foto)”, afirma a Comunidade angolana Berlim-Brandemburgo em comunicado enviado ao Folha 8. Eis, na íntegra, o referido comunicado: «A comunidade, em deliberação no dia 4 de…

Leia mais

Queixas contra a Luanda International School

O colectivo de trabalhadores da Luanda International School (LIS), uma instituição sem fins lucrativos com sede em Talatona, criada para apoiar as famílias de funcionários de empresas petrolíferas que operam em Angola, pedem que o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS) realize uma “investigação muito profunda” àquela organização. A solicitação tem como base os supostos maus-tratos que têm sido alvo os trabalhadores nacionais, como também as assimetrias remuneratórias que mais beneficiam os trabalhadores estrangeiros. A denúncia consta numa carta dirigida à Secção de Inspecção do MAPTSS, à…

Leia mais

Estado/MPLA expulsa estudantes pobres e grávidas em Caluquembe

Nos primórdios da independência, a ênfase dada à educação pelo MPLA marcou toda uma geração. “Estudar é produzir, aprender é um dever revolucionário”, repetia-se todos os dias. Por Rafael Marques de Morais Hoje, no município de Caluquembe, província da Huíla, esse lema caiu no completo esquecimento. Dezenas de alunos estão a ser expulsos das salas de aulas da escola pública, por não pagarem as propinas mensais que foram impostas ilegalmente pelo administrador municipal e primeiro secretário do MPLA, José Arão Nataniel Chissonde. Há ainda outros alunos que, apesar de terem…

Leia mais

Sangue? Só se for do MPLA

A UNITA, maior partido da oposição angolana, denunciou hoje em comunicado que cerca de 50 militantes foram impedidos de doar sangue no Hospital Geral de Luanda, numa altura em que o país enfrenta uma rotura de dádivas para transfusão. Oincidente, de acordo a UNITA, teve lugar a 17 de Março, num hospital da capital angolana onde morrem diariamente 15 a 20 pacientes. Contudo, a direcção daquela unidade hospitalar já veio a público esclarecer que o partido não terá informado previamente, por escrito, da mobilização deste grupo de militantes para a…

Leia mais

Se Angola é o MPLA,
nunca serei angolano

No dia 28 de Julho de 2007, na Faculdade de Economia do Porto (Portugal), realizou-se uma conferência sobre o processo eleitoral em Angola. Caetano de Sousa, presidente da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), foi o orador principal do evento ao qual compareceram cerca de 200 angolanos de primeira e mais meia dúzia de segunda. Por Orlando Castro Com uma hora de atraso, o encontro começou com o aplauso da assistência à entrada do Embaixador de Angola, Assunção Afonso Sousa dos Anjos, bem como das cônsules em Lisboa e no Porto, respectivamente…

Leia mais