Diferentes mas iguais

A Human Rights Watch (HRW) denunciou hoje casos de discriminação e estigmatização a crianças portadoras de albinismo na província de Tete, alertando para as consequências psicológicas da rejeição de albinos naquela província do centro de Moçambique. Em Angola, os albinos continuam a enfrentar “problemas e barreiras” que vão desde a dificuldade de inserção no emprego e no sistema de ensino, à falta de assistência social e medicamentosa. “A s crianças que vivem com o albinismo na província central de Tete são amplamente discriminadas, estigmatizadas e frequentemente rejeitadas na escola, na…

Leia mais

E os albinos, senhores?

A Amnistia Internacional (AI) exortou hoje os países da África Austral para que os seus sistemas judiciais protejam os albinos, que são mortos na região devido à crença de que partes do seu corpo têm poderes mágicos. De facto, ser albino não é crime mas às vezes, demasiadas vezes, parece. Parece ou é? A AI relembrou num comunicado, citado pela agência de notícias espanhola EFE, que em países como Maláui, Moçambique ou a Tanzânia é comum “a impunidade” por esses crimes, o que agrava o problema, acrescentando que as pessoas…

Leia mais

Ser albino não é crime.
Mas às vezes até parece

Os albinos em Angola continuam a enfrentar “problemas e barreiras” que vão desde a dificuldade de inserção no emprego e no sistema de ensino, à falta de assistência social e medicamentosa, advertiu hoje a Associação de Apoio aos Albinos de Angola. A informação foi transmitida pelo presidente da Associação, Manuel Vapor, durante uma palestra realizada hoje, em Luanda, a propósito do dia mundial para a consciencialização sobre o Albinismo. De acordo com aquele responsável, ainda há casos de discriminação no país e grande parte dos albinos em Angola não tem…

Leia mais

Drama em África. Ainda se amputam e matam albinos

Pelo menos 30 mil albinos moçambicanos foram vítimas de discriminação pela sociedade e muitos correm risco de vida, denuncia a Amnistia Internacional no seu mais recente relatório. Nada é pior do que ser africano e… albino. Este é, infelizmente, um drama recorrente. Em 2015, por exemplo, 13 pessoas albinas morreram em Moçambique vítimas da onda de homicídios contra portadores de albinismo associada a práticas supersticiosas, indicava o relatório da Procuradoria-Geral da República de Moçambique. Mas não é só em Moçambique. A informação, então apresentada pela Procuradora-Geral de Moçambique, Beatriz Buchili,…

Leia mais