“Zimbalhadas” a bordo do Angosat

O Governo angolano anunciou hoje que “brevemente” será lançado um concurso público para o processo de reprivatização da TV Zimbo e do Grupo Media Nova, confiscados pelo Estado no âmbito do processo de recuperação de activos. “Em relação aos órgãos de imprensa que foram recuperados, dizer que está em curso um processo e, muito brevemente, iremos abrir um concurso para o processo de privatização destes órgãos, nomeadamente a TV Zimbo e o Grupo Média Nova”, afirmou hoje no Parlamento o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel…

Leia mais

TPA e TV Zimbo fazem informação, não jornalismo

O Grupo Parlamentar da UNITA quer ouvir o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social e os responsáveis dos canais televisivos TPA e TV Zimbo, devido à (não) cobertura noticiosa dada por estes meios relativamente aos incidentes de Cafunfo. O pedido de audição foi entregue no gabinete do Presidente da Assembleia Nacional que, depois de receber “ordens superiores”, dirá de sua justiça. Em causa está a garantia constitucional (irrelevante no contexto em que o MPLA é Angola e Angola é do MPLA) relativa à igualdade de tratamento pela…

Leia mais

Tiros nos pés do… Presidente

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de informação e Comunicação Social, Manuel Homem, negou, neste domingo, a existência de censura na TV Zimbo e outras empresas do sector que reverteram recentemente para o Estado angolano. Enquanto não o exonerarem, o homem continuará a dar tiros nos pés de… João Lourenço. Ao intervir na cerimónia alusiva aos 45 anos da Televisão Pública do MPLA (TPA), afirmou que os órgãos apreendidos a entidades privadas continuam a trabalhar “normalmente”. Segundo o titular da carteira, ou pasta, estas empresas, constituídas com fundos públicos e detidas…

Leia mais

“Censura clara e explícita”

Luísa Rogério, na sua qualidade de presidente da Comissão da Carteira e Ética, órgão fiscalizador da actividade jornalística em Angola, lamenta o recuo da liberdade de imprensa no país, considerando ter havido “censura” no caso do jornalista Carlos Rosado de Carvalho. Censura que, segundo o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social angolano, Manuel Homem, “não existe”. Em declarações à agência Lusa, Luísa Rogério, também membro da Comissão Executiva da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), afirmou que “não se respira a liberdade de imprensa” que existiu entre 2017…

Leia mais

“Não existe censura”

O ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social angolano, Manuel Homem, disse hoje “não existir” qualquer censura nos órgãos públicos e privados confiscados pelo Estado/MPLA, afirmando tratar-se de “factos que visam prejudicar as reformas” do sector. “E u não sei do que é que estamos a falar, nós ainda não assistimos a nada relacionado com censura nos órgãos públicos ou privados, portanto esta é uma matéria que tem sido desenvolvida de forma intencional para prejudicar todo um trabalho que o executivo tem estado a fazer de reforma na…

Leia mais

Pensar ou dar penso?

Continua a dar que falar numa sociedade surda e muda o “caso Edeltrudes”. Depois de outras notícias sobre o mesmo assunto, uma reportagem da televisão portuguesa TVI denunciou um alegado favorecimento estatal ao chefe de gabinete do Presidente da República, Edeltrudes Costa, que também foi – conjuntamente com o ministro da Defesa, João Lourenço – um dos mais altos dignitários do anterior presidente, José Eduardo dos Santos. A UNITA, principal partido da oposição que o MPLA ainda permite, mostrou esta segunda-feira preocupação com “o cercear das liberdades de expressão e…

Leia mais

A pólvora seca de Paulo Julião

Paulo Julião, coordenador da Comissão de Gestão da Zimbo, nega qualquer acto de censura em declarações ao jornal português Observador, referindo que se tratou de um acto de “soberania editorial“. Pum! E siga a orgia do MPLA. Paulo Julião explica o inexplicável: “O jornalista queria apresentar o caso de uma forma diferente daquela que estava a ser difundida pelos órgãos de comunicação social e que não era favorável à imagem da Zimbo“. Ou seja, era “uma abordagem pouco jornalística e isenta” que, segundo Paulo Julião, até “podia parecer” favorável a…

Leia mais

A voz do dono

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) condenou hoje o que diz ser um “acto de censura” da Comissão de Gestão da TV Zimbo (escolhida pelo Presidente João Lourenço) que impediu a difusão da rubrica Directo ao Ponto do jornalista Carlos Rosado de Carvalho porque recebeu ordens superiores para censurar o tema proposto, o caso Edeltrudes Costa. Em comunicado, o SJA felicita o também economista “pela coragem em recusar e denunciar a censura” e insta os jornalistas da estação a denunciarem “outros actos de interferência na gestão editorial”. No sábado, o…

Leia mais

A (c)ERCA do MPLA

Ontem, a propósito da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA) e do caso do programa “Fala Angola”, da TV Zimbo, escrevemos que era muito mais simples ao MPLA atirar a pedra a esconder a mão, colocando a questão à sua sucursal para a comunicação social. Poderia mesmo juntar o parecer do partido, e o respectivo veredicto, de modo a que os seus serviçais da ERCA só tivessem de assinar (ou pôr a impressão digital) a decisão. Por Norberto Hossi Acrescentámos que o MPLA se manifestou particularmente agastado com o…

Leia mais

“Fala Angola” por “Fala MPLA”, Salú por Luvualu

O MPLA, partido no poder desde 1975, convive mal (muito mal) com a liberdade. Continua com o ADN de partido único e acha-se com o direito de formatar tudo e todos aos seus desígnios de único dono da verdade, de dono e senhor dos angolanos que, desde 1975, considera serem seus escravos. Por Orlando Castro Segundo o MPLA, o programa “Fala Angola” da TV Zimbo transformou-se “num tribunal em hasta pública e palco de exposição gratuita da vida privada”. E se essa intromissão é grave, mais grave é tudo estar…

Leia mais