DIREITOS HUMANOS “À LA CARTE”

O Executivo do MPLA considera, diz para justificar o que não fez nos últimos 46 anos, imperioso que as empresas e a Administração Pública estejam alinhadas na promoção, defesa e protecção dos direitos humanos. A tese é da secretária de Estado para os Direitos Humanos e Cidadania, Ana Celeste Januário. Certamente que, em breve, vão incluir na necessidade de protecção dos direitos humanos a colaboração de marimbondos, caranguejos e jacarés… Ao discursar na abertura do Fórum Internacional sobre Empresas e Direitos Humanos Angola-Noruega, a governante considerou que cada vez mais…

Leia mais

As estrelas (da fome) são do Povo

A União Europeia, que – para além dos negócios – sobre Angola tem apenas uma vaga e ténue ideia do que se passa, sublinha o empenho na abolição da pena de morte, na erradicação da tortura e na eliminação de todas as formas de racismo e diz que Angola pode incentivar outros países a seguir exemplo. Lindo. Só faltou citar Manuel Rui Monteiro a dizer que “as estrelas são do Povo”. Em concreto, a União Europeia congratula com a adesão de Angola a três tratados internacionais de protecção dos direitos…

Leia mais

Divagações sobre tratados e não só

O artigo do Carlos Pacheco recentemente publicado neste jornal sobre a morte anunciada do MPLA e a problemática do lixo na cidade de Luanda, podem parecer assuntos díspares, mas efectivamente são a constatação empírica da incapacidade congénita do MPLA em ter uma atitude governativa digna e civilizada. Por Carlos Pinho (*) As considerações de Carlos Pacheco, e de outros autores noutras publicações jornalísticas têm, não só, mas principalmente por base os acontecimentos de Cafunfo e muito em concreto, a postura violenta e criminosa da Polícia Nacional de Angola. Recuando no…

Leia mais

Trump branqueia o MPLA

Angola e Estados Unidos da América acordaram “continuar a fortalecer” a cooperação bilateral para apoiar Luanda nos esforços contra a corrupção (que já tem 45 anos sob a égide do MPLA) e abusos contra os direitos humanos. Equipa de Donald Trump branqueia os amigos. O acordo foi alcançado (como foram outros subscritos mas não cumpridos pelo MPLA) no terceiro Diálogo Bilateral sobre Direitos Humanos, realizado no dia 1 deste mês e que reuniu representantes dos dois países, incluindo o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos de Angola, Francisco Queiroz,…

Leia mais

Os “cheques” do sheik

A possibilidade de um investimento árabe, mais um, no ramo da hotelaria, na província de Luanda, foi abordada, nesta quarta-feira, entre a governadora, Joana Lina, e o Sheik Ahmed Dalmook Al Maktoum, dos Emirados Árabes Unidos (EAU). Em 19 de Setembro de 2019, Angola e os EAU assinaram, em Luanda, dois memorandos de entendimento no domínio da agricultura, para potenciar o cultivo do milho e soja, bem como a criação de aves. Com a ajuda do Sheik Ahmed Dalmook Al Maktoum, o Governo do MPLA teima em vender-nos mandioca por…

Leia mais

Morrer da doença ou da cura?

O Cedesa, que analisa assuntos políticos e económicos de Angola, considera não ser possível nem oportuno um acordo entre o Estado angolano e a empresária Isabel dos Santos, considerando que “seria o óbito” da política anticorrupção do Presidente. E o que será melhor, negociar e recuperar (eventualmente com juros) o capital para ajudar a economia a sair do estado de coma, ou perder o dinheiro e ficar com o exemplo da condenação? “A conclusão a que chegamos, analisando os factos, a lei e o contexto político como estão neste preciso…

Leia mais

Picada conjunta UE/MPLA

A cooperação entre Angola e a União Europeia (UE) tem conhecido “mudanças qualitativas” com a introdução de métodos inovadores de relacionamento, afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores de Angola, Téte António. Introdução de métodos inovadores que ainda não chegaram a Luanda. Consta que, devido à Covid, vêm de bicicleta mas que os pneus… furaram. Segundo o governante angolano, que falava na abertura da 5.ª Reunião Ministerial Angola-União Europeia, por videoconferência entre Luanda e Bruxelas, no âmbito do programa “Caminho Conjunto”, o encontro tem em vista uma cooperação mais activa…

Leia mais

Alto Kauango, a mãe dos Acordos de Bicesse

O general Sachipengo Nunda, na altura dos Acordos do Alto Kauango era chefe operacional na Região Centro e acompanhou todo processo, na distância geográfica e proximidade das comunicações militares. Instado a pronunciar-se pelo Folha 8 fê-lo começando por uma máxima sublime, para os que fazem a história: “Diante de um facto há sempre a minha história, a tua história e a história”. Esta resulta de factos, tendo como fontes primárias: Os protagonistas, os documentos e as fontes secundárias: obras escritas por outras pessoas. Na tropa também sabemos que “a vitória…

Leia mais

MPLA deve devolver o que roubou à UNITA e ao Povo!

O presidente da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, destacou hoje o clima de abertura que marcou o seu primeiro encontro enquanto líder partidário com o Presidente angolano e líder do MPLA (partido no governo desde 1975), João Lourenço, a quem pediu mais empenho na devolução do património do seu partido. “Foi uma boa conversa, uma conversa aberta a que esperamos dar continuidade futura no sentido de criarmos confiança e diálogo, mesmo quando possa haver leituras divergentes, para que tenhamos oportunidade de encontrar momentos de aproximação”, disse Adalberto da Costa Júnior,…

Leia mais

TOTAL(mente) de acordo com quem tiver poder

As petrolíferas angolana, Sonangol, e, francesa, Total, assinaram hoje, em Luanda, um acordo de compra e venda dos Blocos 20 e 21, que custou numa primeira fase 400 milhões de dólares (359,5 milhões de euros). Os acordos destes Blocos localizados na bacia do Kwanza, foram rubricados pelos presidentes da Total, Patrick Pouyanné, e Sonangol, Sebastião Martins. Em conferência de imprensa, Sebastião Martins referiu que as negociações levaram “bastante tempo”, considerando um acordo importante para trazer desenvolvimento à bacia do Kwanza. Segundo o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, o…

Leia mais