Premiar escritores… assassinos

O escritor angolano Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos) considerou hoje que Presidente de Angola, João Lourenço, deve vencer as próximas eleições, mas com margem reduzida sobre a oposição, considerando que Abel Chivukuvuku “é um bom candidato” e uma ameaça. Se alguém que fez parte da máquina assassina que engendrou o genocídio de 80 mil angolanos, nos massacres de 27 de Maio de 1977, ordenado pelo herói nacional do MPLA, Agostinho Neto, o diz… Em entrevista à Lusa em Lisboa, o escritor (que pertenceu a uma Comissão do MPLA…

Leia mais

Aponta onde fica a ponta

No dia 24 de Junho de 2020, o MPLA repudiou, com veemência, o jornal “Folha 8”, pela publicação de um texto (apenas na sua página do Facebook) em que – segundo o partido dirigido por João Lourenço – associou o então Presidente de Angola, António Agostinho Neto, às figuras consideradas defensoras da escravatura. O pequeno texto que o Folha 8 publicou diz: “Vários países estão a retirar dos espaços públicos as estátuas de assassinos, ditadores e defensores da escravatura. Em Angola está a demorar muito para que isso aconteça”. Das…

Leia mais

Aprofundar na estrumeira

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, a que dá carinho e solidariedade aos familiares das zungueiras que a polícia do MPLA mata, exortou os académicos a aprofundar os estudos sobre a dimensão histórica, cultural e política de Agostinho Neto. Por Domingos Kambunji Os académicos “importaram imediatamente, da China, um tractor com uma pá escavadora” para aprofundar esses estudos. Quando começaram a retirar a poeira, que se acumulou durante os últimos 45 anos, espalhou-se na atmosfera um cheiro nauseabundo proveniente desse aprofundamento. Na camada mais superficial, a da dimensão histórica de…

Leia mais

O que faz sentido é homenagear os assassinos

A Plataforma 27 de Maio lembrou hoje a necessidade de resgatar a memória dos massacres (que vitimaram milhares e milhares de angolanos) levados a cabo pelo MPLA sob as ordens de Agostinho Neto em Maio de 1977, data que marca uma suposta tentativa de golpe de Estado em Angola, e de procurar “a verdade, justiça e reconciliação”. O comunicado da Plataforma 27 de Maio refere que a posição é emitida por hoje se assinalar o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados, declarado pelas Nações Unidas, com o objectivo de…

Leia mais

Herói há só um, o genocida e mais nenhum

As jornadas alusivas ao Dia do Herói Nacional do MPLA, que se celebra a 17 de Setembro, em alusão ao 98º aniversário do nascimento do primeiro Presidente de Angola, responsável pelo massacre de muitos milhares de angolanos no genocídio de 27 de Maio de 1977, António Agostinho Neto, arrancam no dia 1 de Setembro, em todo o país do MPLA. Sob o lema “Angola 45 anos: unidade, estabilidade e desenvolvimento”, com actos no país e nas missões diplomáticas e consulares de Angola, da Coreia do Norte à Guiné Equatorial, passando…

Leia mais

Ode a um criminoso

As cinco novas notas de kwanza entram em circulação no mercado de forma faseada a partir de 30 de Julho e até Janeiro de 2021. Não se trata, obviamente, de qualquer perseguição política no seio do MPLA mas, antes, da solidificação do que João Lourenço chama de reconciliação. Foi retirada a foto de um corrupto que escolheu pessoalmente o novo Presidente, José Eduardo dos Santos, mas mantém-se a de um genocida que mandou assassinar milhares e milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977, António Agostinho Neto. O Banco…

Leia mais

Obrigado MPLA!

O MPLA repudiou, com veemência, esta terça-feira, o jornal “Folha 8”, pela publicação de um texto (apenas na sua página do Facebook) em que – segundo o partido dirigido por João Lourenço – associa o então Presidente de Angola, António Agostinho Neto, às figuras consideradas defensoras da escravatura. O pequeno texto diz: «Vários países estão a retirar dos espaços públicos as estátuas de assassinos, ditadores e defensores da escravatura. Em Angola está a demorar muito para que isso aconteça». Das três “acusações” (assassinos, ditadores e defensores da escravatura) o Bureau…

Leia mais

Deus no céu, Neto na Terra (será que assim está bem?)

O MPLA repudiou, com veemência, esta terça-feira, o jornal “Folha 8”, pela publicação de um texto em que associa o então Presidente de Angola, António Agostinho Neto, às figuras consideradas defensoras da escravatura. Nem ler sabem. Por alguma razão o Presidente do MPLA quer um melhor ensino em Angola. Por Orlando Castro O Folha 8 escreveu: «Vários países estão a retirar dos espaços públicos as estátuas de assassinos, ditadores e defensores da escravatura. Em Angola está a demorar muito para que isso aconteça». Onde está a associação de Agostinho Neto…

Leia mais

“Operação Lavagem” está ainda mais letal e pujante

O Presidente da República, Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, deposita, segunda-feira, uma coroa de flores na estátua do Fundador da Nação, herói nacional e internacional, e o mais emblemático líder mundial, António Agostinho Neto, no Largo da Independência. Por Orlando Castro De acordo com uma nota da Casa Civil da Presidência da República, a actividade enquadra-se no programa comemorativo dos 44 anos da Independência Nacional, dia histórico para todo o mundo por representar o início de uma nova era desde o Paleolítico. O acto central…

Leia mais

Tudo é Neto, Neto é tudo

O Presidente da República, João Lourenço, reafirmou, nesta segunda-feira, em Luanda, o compromisso do Executivo com o sector social, particularmente as áreas da educação e saúde, com vista a melhoria da prestação destes serviços à população. Isto, é claro, sem esquecer que a Educação e a Saúde não eram preocupações nos últimos 44 anos de governação do MPLA porque… não existiam. João Lourenço falava à imprensa depois de ter descerrado a placa inaugural do Centro Ortopédico e de Reabilitação Polivalente António Agostinho Neto, que antes se designava Centro Ortopédico de…

Leia mais