Kiferro nunca aceitou ser da DISA

O país, ao longo do seu curto, mas tortuoso período de existência tem visto partir, injustamente, valorosos filhos, muitas vezes, por pensarem diferente, como ocorreu com Kiferro, primeiro ostracizado, por grande parte dos jovens da sua geração, tudo por não ter aceite integrar, até os últimos dias da sua vida, a tenebrosa DISA, a polícia de Estado secreta de António Agostinho Neto. Por Fernando Vumby (*) Como ex-preso político da PIDE/DGS, no ex-campo prisional de São Nicolau dizia: “Não lutei por Angola, na clandestinidade, para me transformar em ‘bufo’ dos…

Leia mais

No re(i)gime do MPLA vale tudo

Líder do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe, José Mateus Zecamutchimam, detido em Luanda. O coordenador do Observatório Político e Social de Angola (OPSA), Sérgio Calundungo, afirmou hoje que as autoridades angolanas não parecem interessadas em investigar os incidentes em Cafunfo e defendeu que o Presidente angolano se deve pronunciar sobre o caso. “Não parecem interessadas” é uma forma eufemística de falar do assunto quando, de facto, até dentro do MPLA se diz que as autoridades não estão interessadas em… mostrar que as ordens superiores fora para matar primeiro e…

Leia mais

Génios do MPLA têm o cérebro (potável) no intestino

O Bureau Político do MPLA, no poder em Angola há 45 anos e liderado por João Lourenço, critica o posicionamento de líderes políticos e personalidades da sociedade civil (incluindo altos dignitários da Igreja Católica) que condenaram o que muitos chamaram de “massacre” na aldeia de Cafunfo, na província da Lunda Norte, quando confrontos entre as forças de segurança e manifestantes convocados pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchowe deixaram um número ainda indeterminado de mortes no dia 30 de Janeiro. Em comunicado divulgado no fim-de-semana, aquele órgão de apologia bajuladora ao…

Leia mais

Kim Laborinho Jong-un ou Kim Almeida Jong-un?

O grupo parlamentar da UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, denunciou hoje que uma viatura com mantimentos foi impedida de os entregar aos cinco deputados e dois activistas retidos, desde quarta-feira, à entrada da vila de Cafunfo. Numa denúncia pública, o grupo parlamentar da UNITA referiu que os deputados foram impedidos pela Polícia do MPLA de receber os mantimentos que lhes foi prontamente enviado, a partir do município do Cuango. De acordo com a nota, os deputados e activistas passaram fome horas…

Leia mais

Mortes, medo e fuga em Cafunfo

Um activista denunciou hoje que uma pessoa foi baleada durante a madrugada de hoje em Cafunfo, a vila mineira onde no passado sábado várias pessoas morreram num incidente caracterizado como “ato de rebelião” pelas autoridades e “massacre” por organizações internacionais, Igreja Católica de Angola e partidos da oposição. De acordo com Jordan Muacabinza, morador em Cafunfo, o incidente aconteceu no bairro Elevação e o jovem terá sido baleado num pé. “Houve muitos disparos como se fosse um confronto entre as forças do Governo e os inimigos”, contou, deixando um apelo…

Leia mais

Martin Luther King, Mandela, Gandhi? Não. Apenas Neto

Martin Luther King nasceu em 15 de Janeiro de 1929 e foi assassinado em 4 de Abril de 1968. A necessidade de maior divulgação da vida e obra de Agostinho Neto, para merecer o devido reconhecimento da juventude, foi defendida em 2018, em Luanda, pelo chefe da Educação Patriótica do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas (FAA), Baltazar Diogo. O MPLA tem toda a razão. Importa não esquecer, pelo contrário, o papel de Neto nos massacres de 27 de Maio de 1977. O oficial falava durante uma visita ao…

Leia mais

“O padrinho de casamento assassino”

O relato é sobre um dos meus melhores amigos; Orlando Simão, também conhecido por Mr. Mbuku, com o farol apontado na mais tenebrosa data, conhecida e vivida depois da era colonial, que superou a reacção dos fascistas portugueses nas sublevações dos indígenas na Baixa de Kassanje e 4 de Fevereiro de 1961, o genocídio do 27 de Maio de 1977. Por Fernando Vumby (*) Um tipo que não se tornou assassino, mas nasceu assassino, com instinto canibal, no interior do Kwanza Sul: Henrique dos Santos Onambwe, que matou a rodos,…

Leia mais

No meu antigamente na vida

Naquele tempo, lá na primeira metade da década de 1960, lá na cidade de São Paulo de Assunção de Luanda, sim já naquele tempo Luanda se escrevia com “u”, pois que o tempo em que Loanda se escrevia com “o” ainda era mais lá no antigamente na vida e eu ainda não tinha existência. Por Carlos Pinho Pois nesse meu antigamente na vida, em que eu era monandengue, ia lutar de espadachim lá nas Barrocas dos Coqueiros, eu e os meus kambas colegas de bairro, todos nós candengues, nós, a…

Leia mais

Anjo (cust)ódio

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, desafiou as universidades do país (desde logo a Universidade da qual é patrono) a promoverem a elaboração de projectos de estudos no âmbito do centenário de Agostinho Neto. A caminho, presume-se, de uma série de galardões internacionais, caso do Nobel da Literatura… Luísa Damião, que falava na abertura da mesa-redonda sobre “A dimensão política e cultural de Neto”, propôs à Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto a criação de um departamento ou estudos sobre a vida e obra de Neto, à semelhança de…

Leia mais

Porque não se cala?

O Presidente da República, João Lourenço, defende uma industrialização do continente africano assente numa nova perspectiva de aceleração, ancorada no “Plano Marshall da Alemanha com a África”. Em síntese, o que o se pretende é, por inépcia própria, que se peça dinheiro aos pobres dos países ricos para dar aos ricos dos países pobres. O Chefe de Estado angolano assumiu essa posição quando participava, por vídeo-conferência, na Terceira Edição da Cimeira Global de Manufacturação e Industrialização. No evento promovido pela Agência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI), João…

Leia mais