Boçalidade política coloca os angolanos pior que os cães

O clima de tensão, nos últimos quatro anos, está em crescendo, em função do fracasso, raiva, selvajaria e boçalidade da política económica liderada por Manuel Nunes e cegamente apoiada pelo Titular do Poder Executivo. Por William Tonet Angola, pela incompetência e falta de visão de desenvolvimento sustentado do território, pelo partido que sustenta o Executivo, está colocada sob a bota abjecta e neocolonialista do FMI (Fundo Monetário Internacional). Nos países civilizados, conduzidos por dirigentes comprometidos com a cidadania e a democracia, existem três órgãos de poder de Estado: Legislativo, Executivo,…

Leia mais

Crianças são escravos em duplicado

Angola fracassou no alcance das metas definidas no protocolo internacional dos 11 compromissos da criança, dizem analistas angolanos para quem é necessário que o Governo do MPLA há 46 anos tenha (como é seu dever) um papel mais activo para que se cumpram esses objectivos. Os 11 compromisso são “a esperança de vida ao nascer”, a “segurança alimentar e nutricional”, o “registo de nascimento”, a “educação da primeira infância”, “a educação primária e formação profissional”, “ justiça juvenil”, “prevenção e redução do impacto do VIH/SIDA nas famílias e nas crianças”,…

Leia mais

Milhões de angolanos em risco

Milhões de pessoas estão em risco de vida e muitas já abandonaram as suas casas no sul de Angola devido à seca agravada pelas alterações climáticas que está a devastar aquela região, alertou a Amnistia Internacional. Enquanto isso obras emblemáticas do regime, como o metropolitano de Luanda ou o satélite AngoSat, estão a “bombar”. Viva os quase 46 anos de governação do MPLA… A organização humanitária referiu que a criação de fazendas para o comércio de gado em terras comunitárias expulsou comunidades pastorícias das suas terras desde o final da…

Leia mais

A verdadeira marca registada do MPLA

Por estes dias, vagueando pela internet, em sítios sobre notícias sobre Angola, passei por um título deveras interessante, “Angola tem mais de 64.000 marcas registadas”. Para ser mais preciso, o referido montante é de 64.968 marcas. Veio-me logo à cabeça, mas falta uma! De facto o número correcto deveria ser de 64.968 + 1. Este mais um é a marca que faltava, é a grande marca registada do MPLA. A sua referência máxima! O seu paradigma! O seu nec plus ultra em termos de competência! O lixo! Por Carlos Pinho…

Leia mais

De Maio de 1977 a Março de 1988

O ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria (do MPLA), João Ernesto dos Santos “Liberdade”, afirma que o pensamento do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto, segundo o qual “na Namíbia, no Zimbabwe e na África do Sul está a continuação da nossa luta”, foi determinante para a derrota do regime segregacionista da África do Sul, a 23 de Março de 1988. Tal como foi decisivo para a derrota da vida quando, nos massacres de 27 de Maio de 1977, mandou assassinar milhares e milhares de angolanos. Por Orlando…

Leia mais

Ser poeta é… sentir

Hoje, 21 de Março, é Dia Mundial da Árvore e Dia Internacional da Floresta. É também, entre outros, Dia Nacional para a Eliminação da Discriminação Racial, Dia Internacional da Astrologia, Dia Universal do Teatro, Dia Mundial da Poesia e Dia Mundial da Marioneta. As minhas crianças de barriga vazia passam ao lado de todos os natais, esquecidas pelos que fazem poesia para ser cantada nos seus funerais. Os abutres do regime lá comem tudo, esquecem que o povo morre à fome. O poeta, esse mantém-se bem mudo e tem como…

Leia mais

Covid há um ano, MPLA há 45

As restrições de mobilidade impostas pelas autoridades, devido à Covid-19, que duram há um ano, e as “más políticas económicas” – que duram há 45 anos – são apontadas por vendedores e clientes dos mercados de Luanda como as principais razões da “subida vertiginosa” dos produtos da cesta básica, no último ano. Vendedores e consumidores afirmam que, em um ano de pandemia, os preços dos principais produtos de consumo, sobretudo os da cesta básica, dispararam mais de 100%, “rogam” pelo fim da pandemia e manifestam nostalgia do tempo pré-Covid-19. No…

Leia mais

Kiferro nunca aceitou ser da DISA

O país, ao longo do seu curto, mas tortuoso período de existência tem visto partir, injustamente, valorosos filhos, muitas vezes, por pensarem diferente, como ocorreu com Kiferro, primeiro ostracizado, por grande parte dos jovens da sua geração, tudo por não ter aceite integrar, até os últimos dias da sua vida, a tenebrosa DISA, a polícia de Estado secreta de António Agostinho Neto. Por Fernando Vumby (*) Como ex-preso político da PIDE/DGS, no ex-campo prisional de São Nicolau dizia: “Não lutei por Angola, na clandestinidade, para me transformar em ‘bufo’ dos…

Leia mais

No re(i)gime do MPLA vale tudo

Líder do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe, José Mateus Zecamutchimam, detido em Luanda. O coordenador do Observatório Político e Social de Angola (OPSA), Sérgio Calundungo, afirmou hoje que as autoridades angolanas não parecem interessadas em investigar os incidentes em Cafunfo e defendeu que o Presidente angolano se deve pronunciar sobre o caso. “Não parecem interessadas” é uma forma eufemística de falar do assunto quando, de facto, até dentro do MPLA se diz que as autoridades não estão interessadas em… mostrar que as ordens superiores fora para matar primeiro e…

Leia mais

Génios do MPLA têm o cérebro (potável) no intestino

O Bureau Político do MPLA, no poder em Angola há 45 anos e liderado por João Lourenço, critica o posicionamento de líderes políticos e personalidades da sociedade civil (incluindo altos dignitários da Igreja Católica) que condenaram o que muitos chamaram de “massacre” na aldeia de Cafunfo, na província da Lunda Norte, quando confrontos entre as forças de segurança e manifestantes convocados pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchowe deixaram um número ainda indeterminado de mortes no dia 30 de Janeiro. Em comunicado divulgado no fim-de-semana, aquele órgão de apologia bajuladora ao…

Leia mais