Mas o Zango existe mesmo?
– Pergunta, perspicaz, JLo II

Centenas de cidadãos do município angolano de Viana, em Luanda, manifestaram-se hoje em frente à administração municipal, em protesto pelas “péssimas condições de habitabilidade”, uma vez que vivem há dez anos em tendas, na localidade do Zango 1. E estão com sorte, pensarão os ideólogos da “Nova Angola” liderados por João Lourenço II, porque ainda… (sobre)vivem. “Q ueremos as nossas casas”, “Chega de sofrimento” eram alguns dizeres estampados nos cartazes dos manifestantes, que, em 2009, viram demolidas as suas residências na Ilha de Luanda, e foram transferidos para o Zango…

Leia mais

Quatro condenados pelo assassinato de Rufino

A justiça angolana condenou hoje quatro militares pela morte a tiro de um menor, Rufino António, que protestava contra a demolição da casa (isto é como quem diz) dos pais, em 2016, em Luanda. Na altura, o general António dos Santos Neto “Patónio” disse que os militares agiram “em legítima defesa”. O responsável hierárquico pelos militares e pela acção sai ileso. Tudo normal, portanto. O militar que fez o disparo mortal, o primeiro-sargento José Tadi, 36 anos, foi condenado a 18 anos de prisão e a pagar uma indemnização de…

Leia mais

Povo do Zango saiu à rua

VEJA O VÍDEO. O povo está saturado, com o estado de calamidade social e já não tem medo das balas. E não o tem, mesmo tendo consciência de que as balas das armas da Polícia Nacional e das Forças Armadas matam mesmo. Nos desalojamentos forçados, nos esbulhos violentos, da Boavista à Chicala e da Samba aos Zangos, os exemplos estão à mão de semear. A cada reivindicação legítima, assente na Constituição e na lei, mesmo “jessianas” (de José Eduardo dos Santos), a resposta vem com uma violência extrema, na ponta…

Leia mais

Nunda explica o (in)explicável

As Forças Armadas Angolanas (FAA) justificam a polémica demolição de centenas de casas nos arredores Luanda por estas terem sido construídas na área de protecção do novo aeroporto da capital, podendo inviabilizar os voos internacionais. Por Óscar Cabinda (*) Num Estado de Direito cabe às Forças Armadas justificar demolições deste tipo? Não, não cabe. Mas como Angola não é um Estado de Direito, têm a palavra os militares. A posição foi assumida pelo chefe do Estado-Maior das FAA, general Geraldo Sachipengo Nunda, ao falar dos 25 anos sobre a constituição…

Leia mais

“Legítima defesa”, diz o general “Patónio”

Em entrevista-encomenda ao boletim oficial do regime (Jornal de Angola), o juiz-conselheiro-presidente do Tribunal Militar (do MPLA), general António dos Santos Neto “Patónio”, considerou que os militares das FAA (sob comando do general Wala) que assassinaram o adolescente António Rufino, ocorrida no Zango, agiram em legítima defesa. Por Orlando Castro O juiz-conselheiro-presidente do Tribunal Militar do MPLA tem toda a razão. Os militares em serviço no Zango estavam, afinal, fortemente armados… apenas com leques (para enfrentar o calor) e, por isso, viram-se em perigo quando o puto Rufino tirou do…

Leia mais

Mais um absurdo policial

A Polícia Nacional do MPLA, quando era suposto socorrer as vítimas, faz o inverso, partindo para a extorsão, com base no conhecimento prévio que tem do apelo de socorro. Como atesta a denúncia, que acusa o comandante da Polícia de Intervenção Rápida do Zango e um técnico da Administração de posse indevida de terreno, que deveria proteger, no quadro das suas obrigações profissionais. As entidades foram instadas pelo grito desesperado de um cidadão, como atesta a carta abaixo: “À Administração de Viana C/C: Posto de Comando Policial de Viana, ao…

Leia mais

Testemunhas descrevem o assassino de Rufino

O militar que pôs termo à vida ao pequeno Rufino António é de fácil identificação por ser o único, num grupo de quatro soldados, a disparar contra as pessoas que reivindicavam as suas habitações, contaram ao Folha 8 algumas das testemunhas do infortúnio. Por Antunes Zongo Amorte a tiro do pequeno Rufino António, de apenas 14 anos de idade, às mãos de um operativo das Forças Armadas Angolanas (FAA), destacado ao Posto Comando Unificado (PCU) do Zango, no passado dia 06.08.16, instalou um medo sepulcral aos moradores do bairro Walále,…

Leia mais

Zango envergonha Angola mas não o regime do MPLA

São injustas, ilegais e inaceitáveis as expropriações e demolições de casas na zona do Zango II e III no Município de Viana em Luanda. Mas, para o regime, o que conta é a razão da força. Os despejos em larga escala perpetrados pelo Governo tiveram o seu ponto mais alto em 2002 e continuam sendo uma prática reiterada até a presente data. A SOS Habitat registou de 2000 até 2016 mais de 15,000 casas foram destruídas e muitos terrenos cultivados de pequena dimensão foram confiscados, afectando cerca de 56,202 famílias…

Leia mais

Carta para um bajulador

Após Gildo Matias José ter dito que a morte do adolescente Rufino António, ocorrida a 6 de Agosto no Zango 3, “foi um acidente”, o site Central Angola 7311 publicou uma carta onde repudia as declarações daquele “pseudo-analista” feitas à televisão Zimbo na semana passada. Por Sedrick de Carvalho Na carta aberta, os membros do site afirmam que Gildo Matias “deve estar muito equivocado”, mas garantem saber as reais motivações do mesmo: “queres atingir grandes patamares e promoções tal como os que te antecederam naquela cadeira [da mesa de debates]…

Leia mais