Fim da ditadura de Santos e início da autocracia de JLo

O ex-Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, termina hoje a sua carreira activa de ditador e de político nunca nominalmente eleito durante 38 anos de poder absoluto e unipessoal, entregando o ceptro do poder no MPLA ao actual e por si escolhido chefe de Estado, João Lourenço. A passagem de testemunho, ao fim de praticamente quatro décadas de poder absoluto, autocrático e cleptocrático, vai acontecer no VI Congresso Extraordinário do MPLA, que decorre no Complexo de Belas, a sul de Luanda, onde os 2.591 delegados têm como ponto único…

Leia mais

“Depois de mim virá quem de mim bom fará”. Será mesmo?

João Lourenço vai ascender no sábado a presidente do MPLA, partido no poder em Angola desde 1975, acabando com praticamente um ano de “bicefalia” na liderança do país, reforçando a margem para aprofundar reformas económicas e políticas. Muitos acreditam que irá, agora, fazer o que ainda não fez: governar o país. Pelo menos fica sem essa desculpa chamada José Eduardo dos Santos. Actual chefe de Estado, vencedor das eleições fraudulentas e opacas de Agosto de 2017 que deram a vitória ao MPLA e ao seu cabeça-de-lista, João Lourenço estará como…

Leia mais

Começou a nova bicefalia. Onde? No MPLA e em Angola

Actualmente, quando alguns intelectuais e até jornalistas, falam de bicefalia, hoje como ontem (e certamente amanhã), de resto, apenas estão a bajular o presidente em exercício, para que lhes sejam garantidos lugares e tachos governamentais e similares que lhes permitam continuar a roubar e, nessa senda, como arma de arremesso utilizam a delação. Por William Tonet Tal como fizeram com Dos Santos para o levar ao vértice da pirâmide do poder, estes intelectualóides querem, em nome das auguradas mordomias, tornar João Lourenço um ditador, achando que só poderá governar se…

Leia mais

MPLA escolhe a picada e chama-lhe auto-estrada

O partido no poder (e já lá está desde 1975, importa não esquecer) mostrou, mais uma vez, não ter blindagem – muito menos substrato – intelectual capaz de cunhar sinais de positividade por muito débeis que fossem, ao manter-se fiel a práticas antiquadas de tudo fazer, incluindo a fraude, para governar “ad eternum” Angola e os angolanos. Por William Tonet Uma visão umbilical, cujo orgulho barroco não ultrapassando as próprias fronteiras ideológicas, não reservando mais do que um pequeno espaço, na estante dos fundos das bibliotecas, destino das obras e…

Leia mais

Da bicefalia à acefalia

Nesta hora de Abril de 2018, o que mais bate na media angolana na área da política nacional, é a bicefalia do governo, implantada, segundo vozes, daqui e de acolá, por força da conjuntura. Ora, o que está em causa nesta altura do “campeonato” no xadrez político não é nada que tenha a ver com bicefalia. Por William Tonet Por quê?… Porque não existe, pois enquanto vice-presidente do MPLA, JLO dirige mais de 80% das reuniões do secretariado do partido e está ao corrente de todas as suas decisões, enquanto…

Leia mais

Cobardia na defesa
da falsa bicefalia

O MPLA partido que, exclusivamente, desde 1975 detém o controlo absoluto de todos os órgãos de soberania e arredores, continua a ter intelectuais, muitos que se julgava, eminentes, a pensar e agir como se fosse, este partido, o órgão mais importante e mesmo acima do Estado. Por William Tonet Quer dizer, sob a capa de bicefalia, emerge a nostalgia de caber ao MPLA e ao seu líder, não importa qual, agora é a vez de João Lourenço, a condução e visão exclusiva, sobre Angola e os angolanos. Daí uma “matilha…

Leia mais

Bicefalia. Mal ou benefício nas discussões espúrias

A maioria dos intelectuais e, fundamentalmente, os jornalistas, deveriam, nesta fase de revolução de conceitos discernir qual a interpretação correcta que deve ser dada à bicefalia e o que é o conceito aplicado a José Eduardo dos Santos. Por William Tonet A bicefalia não é nenhum crime político e, em Angola, no caso vertente, não se coloca. Não se coloca, por ser impossível, à luz da Constituição, o presidente de um partido político, no caso do MPLA, impor regras ao Presidente da República. Agora, o que a Constituição manda acautelar…

Leia mais

Isabel navega à vontade

O MPLA (versão Eduardo dos Santos) apontou hoje obstruções ao processo de transição política em Angola, defendendo que a presença regular de Isabel dos Santos, filha do ex-chefe de Estado e presidente do partido, na sede nacional é normal. Aliás, no reino do partido que nos (des)governa desde 1975, tudo é normal. A posição surge numa nota divulgada pelo MPLA, em resposta a notícias dando conta de que, desde a saída do poder de José Eduardo dos Santos, a empresária é vista regularmente a trabalhar na sede do partido, no…

Leia mais

MPLA Um – JLo Zero

O MPLA de José Eduardo dos Santos anunciou hoje que vai propor legislação para a realização, progressiva, das primeiras eleições autárquicas em Angola e que esse desiderato será uma das tarefas políticas para 2018, mas novamente sem clarificar o futuro da liderança do partido. A Agenda Política do MPLA, no poder desde 1975, foi apresentada hoje, em Malanje, pelo secretário-geral, Paulo Kassoma, num acto de massas sem a presença de José Eduardo dos Santos, presidente do partido e ex-chefe de Estado angolano. Na sua intervenção, Paulo Kassoma apontou que se…

Leia mais

Ora mando eu, ora mandas tu

O MPLA (de José Eduardo dos Santos) assume a promoção de legislação para a realização das primeiras eleições autárquicas no país como uma das principais acções deste ano na agenda política do partido, no poder desde 1975. João Lourenço está de acordo e, por enquanto, assina por baixo.  A posição surge numa nota dando conta do conteúdo da 15.ª reunião ordinária do secretariado do Bureau Político do MPLA, que analisou “vários assuntos relativos ao país e à vida interna do partido”, sob a direcção do presidente e ex-chefe de Estado…

Leia mais