“Excessos e extorsão”? Não serão antes rebuçados e chocolates?

Taxistas angolanos queixaram-se hoje de “excessos e extorsão” por parte de alguns agentes da Polícia por “má interpretação” do decreto presidencial sobre o estado de emergência, devido à Covid-19, principalmente das administrações e comandos municipais, em Luanda. Excessos? É preciso que todos, taxistas incluídos, entendamos que – como diz o ministro Eugénio Laborinho – as forças de segurança não andam aí para distribuir rebuçados e chocolates… Segundo o presidente da Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (ANATA), Francisco Paciente, prevalecem na via pública divergências entre os seus associados, autoridades…

Leia mais

Culpados são os taxistas, zungueiras e domésticas

O Governo angolano quer (é, pelo menos, o que diz) retirar, entre outros grupos-alvo, taxistas, empregadas domésticas e vendedores de rua, do mercado informal, que absorve cerca de nove milhões de pessoas, um terço da população de Angola. Não o faz por uma questão de equidade social mas, apenas e só, porque quer arrecadar dinheiro dos impostos que, desta forma, não consegue fazer. Segundo o secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social de Angola, Manuel Moreira, a título de exemplo, só o sector de táxis, ainda informal, representa anualmente…

Leia mais

Implosão social à vista.
Rastilho (já) está a arder

Mais de 200 taxistas marcharam hoje, em Luanda, em protesto contra a possível (quase certa) subida dos preços dos combustíveis no país, uma medida que irá “encarecer ainda mais” a vida dos cidadãos. O Governo angolano terá de duplicar o preço do litro de gasolina e de gasóleo em oito meses, para eliminar os subsídios que atribui à petrolífera estatal Sonangol para manter os preços baixos, estima o FMI. E com isso tudo vai aumentar em cadeia, até mesmo o “residual” número de pobres – 20 milhões. A marcha de…

Leia mais

Taxistas esperam uma semana

A Associação de Taxistas de Luanda (ATL) vai esperar mais uma semana pela resposta do governo da capital às reivindicações destes profissionais, que na segunda-feira promoveram uma greve que terminou com detenções e destruição. O presidente da ATL, Manuel Faustino, disse que inicialmente tinha sido dado às autoridades o prazo de cinco dias, a contar da data do incidente, na segunda-feira, mas o documento com as reivindicações só terá sido entregue na quarta-feira. Manuel Faustino, que admite o “erro de má interpretação” da parte da associação, disse que, seguindo os…

Leia mais

Maka na greve dos taxistas

Mais de uma dezena de possas foram detidas hoje pela Polícia Nacional na sequência de uma greve de taxistas iniciada durante a manhã, em Luanda, e que resultou em agressões e destruição de viaturas. O porta-voz do comando provincial de Luanda da Polícia, inspector-chefe Mateus Rodrigues, disse que a greve visava apresentar junto do Governo Provincial de Luanda algumas reclamações dos taxistas – transporte público informais -, como a falta de paragens e necessidade de subida das tarifas, devido aos vários aumentos dos combustíveis do último ano. Segundo Mateus Rodrigues,…

Leia mais