Não basta parecerem ser sérios

A UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, assumiu hoje culpa no “incumprimento” das medidas de biossegurança, devido à Covid-19, em actividades políticas de massa, exortando outros partidos políticos a “darem a mão à palmatória” e a “obedeceram” às regras sanitárias. Noutro contexto, apresentou no Parlamento um projecto de lei sobre a Liberdade de Reunião e de Manifestação que visa revogar a lei vigente, “por ser inconstitucional”, e “salvaguardar a integridade” dos cidadãos. Segundo o presidente do grupo parlamentar da UNITA, Liberty…

Leia mais

Degradação económica e social sem precedentes

Há três anos, no dia 26 de Setembro de 2017, João Manuel Gonçalves Lourenço tomava posse como chefe de Estado, com o propósito de “corrigir o que estava mal no país”. Mas a degradação da economia e da situação social em três anos atingiu recordes sem precedentes. A corrupção, a repressão e a fragilidade das superestruturas político-jurídicas e económicas herdadas do seu predecessor colocam-se como desafios cruciais. Por José Marcos Mavungo (*) Todos sabemos o famoso slogan do actual Presidente da República de Angola na campanha eleitoral de Agosto 2017:…

Leia mais

Todos falam mas só ele decide

O Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, reúne-se na sexta-feira com representantes da sociedade civil angolana para “trocar ideias” sobre o futuro, face ao impacto da Covid-19 sobre a economia angolana e a vida das famílias. Segundo uma nota da secretaria de imprensa vão estar presentes empresários, líderes religiosos, académicos, representantes da juventude e jornalistas. Depois de dois meses de estado de emergência, Angola iniciou esta terça-feira uma fase diferente de excepção, a situação de calamidade pública, que se prolongará enquanto se mantiver o…

Leia mais

Angola é uma vergonha!

Angola caiu duas posições no “ranking” global do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2018. Nada de novo. Em 44 anos o MPLA não poderia fazer melhor. Precisa de mais 56 anos. Um relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Angola foi o único país de língua portuguesa a cair duas posições, e aparece na posição 149 entre 189 nações, duas posição abaixo da registada um ano antes. A culpa é dos colonialistas portugueses, dirá com certeza o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Manuel…

Leia mais

Privatizar um Estado que
deve ser de todos é crime

A toponímia do actual governo não difere da do anterior, pelo contrário, curou de repristinar o que este tinha de pior, aumentando a dose de raiva, ódio, assassinatos de carácter moral e físico e julgamentos selectivos, contra os adversários internos e externos, para gáudio de uma justiça partidocrata, superiormente capitaneada. Por William Tonet Nessa óptica, o executivo parece fadado em vender o país ao capital estrangeiro, numa cumplicidade com o caos, a fome, o desemprego, a inflação, a alta taxa do câmbio, num apologético crime contra a economia e a…

Leia mais

Advogados no país real

O Governo muito tem falado sobre o turismo e a necessidade de se explorar mais o país real, mas pouco ou nada, de concreto faz, para o rasgar, através das suas estradas, caminhos e rotas, agrestes que sejam. É uma pena! Uma coisa é conhecer, outra – bem diferente – é ter uma ideia, tantas vezes… vaga. Por Walter Kariango (*) Conhecer as rotas, os pontos, os locais, onde o mar farfalha o rio, a savana a estepe e o homem a natureza, só através de palmilhar o chão de…

Leia mais

Quem nasce e cresce torto alguma vez se endireitará?

O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou hoje a criação de um Laboratório de Inovação do Sistema de Pagamentos de Angola que deve integrar jovens com propostas inovadoras para o sistema financeiro do país. Aplauda-se. Só falta uma iniciativa similar para ensinar os governantes a… governar. O anúncio foi feito aos jornalistas por Pedro Castro e Silva, administrador do BNA, à margem de uma conferência sobre Inclusão Financeira, referindo que o laboratório foi aprovado, no princípio de 2019, pela administração do banco central. “É a forma que o BNA quer…

Leia mais

Não se assustem nem se arrepiem

Aqueles que me conhecem bem sabem que nunca fui de morder a minha própria língua só para não dizer aquilo que penso, seja em qualquer circunstância e momento da minha vida. Perguntem ao Reginaldo Silva, Mateus Morais de Brito Júnior, Liras, Mateus Figueiredo e outros tantos que se constituíram, para mim, verdadeiros professores, pois com eles aprendi muita coisa sem gastar um tostão. Por Fernando Vumby Hoje, a forma como escrevo, encaro o mundo, as pessoas que me rodeiam e outras tantas coisas é graças aqueles profissionais, que já tinham…

Leia mais

Violência doméstica,
um flagelo a erradicar

A violência doméstica é um fenómeno humilhante, mas, infelizmente, muitas pessoas, ainda, são vítimas dela em pleno século XXI. Este crime macabro e hediondo é traumatizante para quem o sofre na pele. Por Pascoal Pedro Adão Neto Milhares de mulheres vivem sofrendo, no mais absoluto silêncio, a dor de um matrimónio de amargura e tortuoso. Quiçá por medo ou vergonha, muitas mulheres preferem calar-se e não denunciar os seus agressores e continuam a prolongar, às vezes, a sua angústia. Quantas mulheres chegam às suas casas fatigadas, depois de um longo…

Leia mais

Nesta luta entre gerações

Em África, e particularmente em Angola, existe uma luta entre gerações, onde os nossos “mais velhos” usam e abusam dos seus poderes para permanecerem em lugares decisórios das nossas vidas e sociedades, impedindo assim a ascensão dos “mais novos”. Por Pedrowski Teca Esta barreira, que surge em várias facetas da nossa vida familiar e pública, consiste na criação dos mais variados e sofisticados artifícios que dificultam a ascensão dos mais novos, principalmente através da inexistência do processo rigoroso de passagem de testemunho, que permite a capacitação de novas gerações e…

Leia mais